domingo, 30 de março de 2008

Do leitor

De todas as cartas e e-mails que recebo, classifico este como um dos mais curiosos, pois é a própria voz do povo clamando, não por uma obra faraônica, asfalto ou teatro, cinema etc., mas é uma luta por algo simples, mas de extrema necessidade. Vejam:

Caro João Lemes...
Gostaríamos de sugerir que o Prezado Senhor publique nossa feliz e um tantoconveniente solicitação. O senhor já caminhou no Ginásio de Santiago, com a bexiga cheia, e sem banheiro algum por perto? Se sim, já sabe como é passar por essa terrível e assustadora situação. Caso não, tem sorte. Ah, se tem! Feliz do Senhor...Pois nós, a Daniela Batista e a Débora Lavarda, já tivemos a experiência. Sempre estamos por lá, dando uma volta ou outra, cuidando da boa forma! E quando a vontade começa a pesar, não temos escolha... Temos que voltar para casa para usar um digno vaso sanitário... O que pensamos disso? Um tremendo absurdo, sem dúvida! Caramba!!! Por que não a instalação de banheiros públicos no Ginásio?! (Risos)
Isso é uma solicitação ao governo de Santiago, tchê!...
*Esperamos ser atendidas.
Um abraço, e desculpa-nos pela perda de tempo!

sexta-feira, 28 de março de 2008

Adestramento


Em uma análise sobre as charges, o jornalista Paulo José Cunha comentou o seguinte: "A charge é um bicho muito estranho, meio pedra meio tijolo, situada no limite entre o jornalismo e o desabafo, entre a crítica e o atrevimento. Por isso sai sempre ali, na página de opinião, ao lado do editorial, encostada na coluna das cartas dos leitores. Ou exibida bem na primeira página, só pra provocar". A charge é uma forma humorada de ver a notícia, de ser interpretada pelo artista que a retrata.

E foi da forma retratada acima (e publicada no jornal com o título de adestramento), que o talentoso cartunista Pires interpretou a notícia de que o comandante de nossa Brigada Militar era praticante de adestramento de cães. Pires aliou isso às reprimendas sofridas por alguns integrantes do nosso jornal, por parte de alguns integrantes da Brigada Militar.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Carta Aberta ao coronel Valença


Levando em conta os últimos episódios, assim como o boicote das informações de ocorrências policiais, a cargo do senhor tenente coronel Antônio Valença (esse senhor que aparece na foto) da Brigada Militar de Santiago, torno público a denúncia que fiz ao próprio, pedindo providências e mais respeito para com a equipe do jornal Expresso. Leiam, meus amigos e leitores, e tirem suas conclusões.

Ilmo senhor cel. Rudimar Antônio Valença Gonçalves
comandante da Brigada Militar de Santiago e região

Prezado senhor:
Ao cumprimentá-lo, vimos à vossa presença para informar sobre certas ações que alguns membros de sua corporação estão praticando contra os princípios da centenária Brigada Militar. Há várias semanas, dezenas de funcionários do jornal Expresso Ilustrado têm sido vítimas de perseguição por parte de alguns soldados e oficiais. Exemplo: na quinta-feira (dia 20), em torno das 10 horas da manhã, a viatura dirigida pelo sargento Monteiro parou em frente ao edifício residencial Duque de Caxias. Um policial, vendo que Ânderson Taborda trajava roupas com o emblema do jornal, desceu e mandou que esse funcionário retirasse seu veículo do estacionamento, alegando que o mesmo estava mal posicionado. O rapaz discordou, pois havia lugar suficiente para outro veículo cruzar e negou-se a retirá-lo. O policial insistiu em alta voz, mas diante da negativa de cumprimento da ordem, foi embora.
Ora, entendemos que se alguém está errado, basta aplicar a multa, como ele não a aplicou, nota-se que seu objetivo era apenas intimidar o repórter, assim como procederam outros dois soldados (ver foto e matéria na edição do Expresso de 21-03 - páginas 03 e 05), indagando a respeito do nosso serviço, numa ação nitidamente repressiva, às 11:30 da manhã do dia 17-03, na praça da cidade.
Como se não bastasse tais intervenções, assim como outras tantas contra jornaleiros e demais funcionários do Expresso, o soldado Rosso proferiu palavras de calão e ameaçou de morte este jornalista, assim como outro membro do jornal, de nome Paulo César Maia, popular PC, numa oficina mecânica do bairro São Vicente, onde estava fardado e a serviço da Brigada Militar. O fato foi presenciado por diversas testemunhas no dia 18/03. "Gente como o João Lemes deveria estar morta. Se pudesse empurraria um carro com ele dentro rumo a um precipício",
foram apenas algumas das palavras do raivótico policial, tudo sem motivo, pois este que vos fala nem o conhece e mal sabe seu nome.
Sabe-se há mais de 100 anos, que o dever da Brigada, cujos soldados são pagos com salários da nossa comunidade, é nos proteger, mas não é isso que se vê nos casos em tela. Pedimos a sua total atenção quanto a esses fatos, ou diante de tantas clarividências, tomaremos outras medidas cabíveis em leis para proteger nossos representantes e a nós mesmos.
Na certeza de sua total atenção que o caso requer, subscrevemos atenciosamente;
João Lemes
Diertor-editor
Santiago, 26 de março de 2008.











domingo, 23 de março de 2008

Relato de uma Páscoa feliz


Na última hora resolvi não viajar mais para SC. Sábado foi um dia de visita à obra da nossa casa, troca de idéias com meu amigo e compadre Itacir Flores. Após o almoço, fiz muitos planos para o Expresso e para o fim dos escritos do meu livro, tendo como interlocutor o meu amigão Márcio Brasil, o qual me ajuda na conclusão da obra, assim como a professora Rosane Vontovel. Externo aqui todo o meu carinho aos dois amigos.
A criançada divertiu-se a valer com o Bugue do Thiago, que até emprestou para o seu amigo, o meu filho Fagner, e como bom "motorista fresco", estava louco para fomear. E foi o que fez sábado à tarde.

No domingo de Páscoa, depois de um lauto churrasco lá na sede campestre do GSSGS, acompanhado de uma sobremesa a doce no mais (agradeço aos amigos Rodrigo, Rosane e Eri, pelos deliciosos bombons), quem fomeou fui eu. Vim dirigindo, com a filharada a bordo, como vocês podem perceber nesta foto do meu afilhado Tabordão.
Felicidade é isso, gente. Amigos, família e uma boa fomeada atrás do volante, mas com o maior cuidado para não cometer exageros. Ah, ia esquecendo. Pela manhã ainda ouvi o Programa do Bruxo, dessa vez, quase todo na voz do grande promotor Barbará Dias, que parecia que "há dias", mesmo não pegava um microfone, destronando até o próprio apresentador. E digo mais, Gibelino passa vergonha.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Sexta (não tão) Santa

Sexta da Paixão, um dia ótimo para reflexões. Depois da semana corrida eu também descanso, buscando energia para mais uma viagem de final de semana. Desta vez, devo ir a Santa Catarina atrás de alguns parentes, pois preciso dados importantes para a conclusão do meu livro: "João Lemes (mais) 20 Anos de Jornalismo. (Foto: cel Valença, ao lado do major Chaves), foi notícia no Expresso.)

Brigada X Expresso
Nesta sexta (não tão) Santa, o Expresso circulou normalmente, exceto pela venda em bancas, que deve acontecer amanhã. No espaço principal, uma baita paulada do delegado Brum contra o comando da nossa Brigada Militar, cujo chefe novo não sabe se integrar à sociedade.
De cara, o novo coronel comprou uma antipatia com o nosso jornal. Por não gostar de certas críticas feitas por nós, começou a nos perseguir. A toda hora tem um brigadiano atrás dos veículos e repórteres do Expresso, inclusive até recebi ameaças contra minha integridade física. Não sei de quem partiu a ordem, mas sei quem foi que fez as ameaças e sei também que devo tomar minhas providências.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Os fatos do Expresso

Ufa, está tudo em ordem no Expresso, com as notícias picantes e as mais amenas. Tem pra todos, como sempre. Como novidades no campo político destaco a efetivarão da candidatura de Sandro Palma, tendo o conhecido por Kinho (ops, desculpem a cacografia) como vice. Na área policial, uma varredura que a Brigada e promotoria fizeram em São Chico. Já em Santiago, há uma crítica severa à mesma instituição (Brigada) e não fui eu, nem nossos colunistas que a fizeram. Quem fez? Leiam amanhã para saber.

Outros fatos da edição
Nesta semana aconteceu um troço interessante, digno de registro. Os repórteres Márcio Brasil e Ânderson Taborda foram às ruas com o intuito de achar irregularidade no trânsito. De cara, dois brigadianos os abordaram para saber o que estavam fazendo. A resposta eu achei sensacional. Vejam também na edição de sexta. Outra coisa medonha, foi a do nosso sempre inteligente vereador Sérgio Prates. Numa semana foi à capital e voltou arrotando que a Delegacia Regional não fecharia. No entanto, nesta semana eis que vejo ele por lá, de novo. Dizem que foi tentar ver se não fecham o dito órgão. Seria bom, para ele, que a novela durasse até o fim do seu mandato, assim ele teria notícia e diárias à vontade. (Foto: Taborda e Brasil, de ferramentas em punho)

quarta-feira, 19 de março de 2008

Uma data especial


Meu dia passou correndo. Já são mais de 9 horas e eu não consegui desgrudar a bunda dessa cadeira, em frente ao micro aqui do jornal. Iniciei às 14 horas e me estendi até agora, sem tempo até para festejar a data importante que é hoje, meus 20 anos de casamento. Até ia dizer para a Suzana ir no terreiro matar um porco, um marreco ou até uma galinha coió, mas nem pra isso deu tempo. Mas é melhor assim, afinal, os bichos não têm culpa.

Obrigado, Suzana!

Afora as brincadeiras, quero dizer à Suzana que é um orgulho poder ter vivido esses 20 anos ao seu lado. Ela é a razão maior de minha existência, assim como meus filhos Fagner, Fernanda e João Henrique. E se à vezes fico triste, é porque não sei aquilatar a imensa alegria que sinto ao redor deles, por isso é preciso levar puxões de orelhas dos amigos e do próprio mestre destino para enxergar que eu sou o homem mais feliz de Santiago. Valeu, Suzana, vamos festejar essa data, um pouco atrasada, mas vamos festejar. Quem sabe, na nossa nova casa, no convívio de excelentes amigos. Feliz aniversário de casamento pra você. Um beijo!

terça-feira, 18 de março de 2008

Time reforçado

Desde a semana anterior o nosso Expresso conta com novo colunista. Agora, o advogado e cronista Rodrigo Vontobel também faz parte do time do Barbela, Sandra Siqueira, Froilan Oliveira, Márcio Brasil, Vilma Frizzo, Denilson Cortes, Oracy Dornelles, Araponga, Miguelito e tantos outros colaboradores. Em nome da família Expresso agradeço ao Rodrigo, que também festeja o contrato para ser o novo procurador jurídico de Capão do Cipó, em substituição a Miguel Garaialdi.

Sábado e aleluia
Estamos nos virando que nem bolacha em boca de velha aqui na redação do Expresso. Muita coisa, muita foto, muita matéria. Visitas à toda hora; haja cabeça para juntar tudo isso e meter numa peneira para trazer só que realmente presta para a edição de sexta-feira Santa. Mas de um coisa eu tenho certeza. Vamos arrepiar de novo e o Expresso vai acabar "tirando a aleluia" de muita gente. Aguardem que o troço vem fervendo.

domingo, 16 de março de 2008

Viagem a Rio Grande


Estamos de volta à aldeia. Nossa viagem a Rio Grande foi ótima. Conseguimos uma boa quantidade de peixes, entre os quais, tainha e bagre, além de um pouco de camarão e bacalhau. Querem provar? Vão lá no hortomercado que o seu Mário terá prazer em atendê-los. Como a histórica cidade visitada é uma das mais antigas e belas do Estado, o Ânderson Taborda e eu deixaremos aqui algumas fotos colhidas no cais ao para ilustrar o espaço e marcar essa data.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Tá nervoso? Fui...

Não tô pra ninguém! De verdade! Como sempre acontece às vésperas da Semana Santa, lá me vou buscar peixe pro seu Mário, que como todos também já sabedores, nada mais é que meu sogro amado. De companheiro de viagem o Taborda, comcunhado e afilhado. E ele que me ajude a dirigir e não fique só babando no meu ombro, como é (mal) acostmado a fazer. Fica em casa o meu filho mais velho, o Fagner, que está prestes a fazer 19 anos. De quebra, ele tem a carteira de "motora" nas mãos (só pra dar nojo no Márcio) e poderá usar algum veículo para ajudar a mãe dele. Ainda mais que o guri tá fominha, fominha por um volante. Mas já avisei: não me sai sem esta carteira! Do jeito que a Brigada tá amando o teu pai, devido às pauladas no Expresso, nunca se sabe...

Aos amigos
Antes de dar tchau pra vocês quero agradecer publicamente ao Carlos, meu amigo velho lá da gráfica Mercosul, Santo Ângelo, que me proporcionou um bate-papo agradabilíssimo com o Zizo (Ai, meu Deus! É assim mesmo o nome dele?), filho do dono da gráfica, Rádios e jornal A Tribuna daquela maravilhosa cidade. Bueno, de resto era isso. Até segunda. Se precisarem de mim, falem com o Márcio, meu fiel escudeiro para qualquer tipo de assunto, e até para "tipos" humanos. Fui!

quarta-feira, 12 de março de 2008

Clima quente na política

Quarta-feira de bom clima em Santiago, esquentado apenas na área da política. A tal pesquisa que tanto a oposição quer fazer e pagar alguém de fora para o trabalho, sairá, a que tudo indica, mas desde que o nome de Sandro Palma fique de fora. Não sem razão: Sandro praticamente abandonou o maior partido oposicionista, o PMDB, e na hora da saída ainda acabou chutando o balde e despertando a ira dos líderes. Isso eu afirmei desde o início do ano passado, quando Palma saiu com essa de concorrer a prefeito. Também falei que Ruivo seria o candidato do PP, e será. O que eu posso errar, mesmo assim continuo com a idéia, é que Vulmar ainda poderá ser de alguma forma um ponto forte da oposição. Vamos aguardar.

terça-feira, 11 de março de 2008

Os caminhos do pleito

Situação - Praticamente já estão definidos os pré-candidatos a prefeito de Santiago. Pelo PP sabe-se que Júlio Ruivo é o preferido, o vice depende de acertos ou convenções, mas fala-se em Frederico Peixoto, Guilherme Bonotto e, quem diria, o Toninho Gomes que desejava a cabeça de chapa, poderá compor como vice.

Oposição - Pelo PSDB, Vulmar está na estrada. Foi lançado ontem. Accácio já estava definido pelo seu PMDB, assim como Sandro Palma pelo PTB. Pelo lado do PT temos Júlio Prates. A partir desses quatro nomes deve ser costurada a chapa definitiva, que ainda poderá ter Vulmar na cabeça. E por uma razão bem simples: é o cara que mais tem bagagem para enfrentar o forte PP. Accácio seria o segundo mais forte nesse aspecto, e hoje teria mais votos, mas o que todos temem é a hora do debate, o "pega-pra-capar", como diz meu amigo Paulo Pinheiro e, nessa hora o cacife de Vulmar pode refletir.

Morte de Kempa repercute

Este e-mail veio de fora, com relação à morte do santiaguense Osvaldo Kempa, ex-presidente da Cooperativa Tritícola. "Conheci o Sr Osvaldo Kempa durante boa parte da minha infância e adolescência. Muitas conversas produtivas que até hoje recordo e aplico. Pessoa de muito valor. Pêsames à família. Luciano Flores (33 anos) Rondonópolis - MT

segunda-feira, 10 de março de 2008

Os buracos da Corsan
Segunda-feira agitada no setor público. Ao ligar na Rádio Santiago ouço o Paulo Pinheiro indignado com os estragos no calçamento devido aos buracos para a reforma de canos da Corsan. Joel, gerente da estatal, diz que a Corsan entende de água potável, quem sabe tudo sobre calçamento é a prefeitura. E é por isso que há uns 3 meses é ela quem cuida disso por meio de um convênio já assinado. Tá aí explicação...

Asfalto inacabado
Outra preocupação do radialista é a obra de asfaltamento da 377 inacabada. Falta o contorno de Santiago, o que faria os caminhões desviarem do centro da cidade, não danificando tanto os calçamentos. "Os governos começam as obras e não as terminam, isso já é tradicional", observou Pinheiro, afirmando ainda que o problema é do governo do estado, como poder. Não interessa se foi esse ou aquele que iniciou o serviço.

domingo, 9 de março de 2008

Morre Osvaldo Kempa

Há pouco soube que o senhor Osvaldo Kempa Faleceu. Ele dirigia uma caminhoneta e acabou caindo num açude, dentro de sua propriedade, em Rincão das Palmas, próxima à Florida. O corpo foi levado ao necrotério e deverá ser velado ainda nesta noite. Em primeira observação, os bombeiros que resgataram o corpo acreditam que ele tenha sofrido um mal-súbito. Kempa foi um grande batalhador por Santiago, atuou na direção do Cruzeiro e foi vereador.

Domingo pelo verde

Hoje levamos as crianças para plantarem as primeiras mudas de árvores no pátio da nossa casa nova. Foi adorável, melhor ainda foi ver a diferença do nosso tempo, na forma de se pegar na enxada. Um de tênis branco, como foi o caso do Fagner, a Fernanda meio sem jeito para agarrar a pá. O que se saiu bem foi o João Henrique, que adora fuçar na terra. Mas enfim, as palmeiras estão plantadas e hão de crescer com eles. O resto é com o jardineiro. E a bênção dos céus chegou logo por intermédio de uma ligeira chuva.

Frente à frente com o Bruxo

Hoje pela manhã fui ao programa Região em Foco, apresentado pelo ex-vereador Valério da Rosa (Bruxo) e por Alcides Meneghine, na Verdes Pampas FM. Falamos sobre o Expresso e seus 15 anos, sobre as charges e, na última meia-hora, abordamos a política regional. Agradeço pelo convite e também coloco o Expresso à disposição dos amigos. Dentro do possível, trarei detalhes nas páginas do Expresso da próxima sexta-feira. (Obs: Alcides não veio hoje).

sábado, 8 de março de 2008

Parabéns a elas

É grande a repercussão dessa última edição do Expresso, com aquelas reportagens mais profundas e também a sátira de sempre. Em especial, o caderno sobre as mulhres. Parebéns a todas elas pelo seu dia. Parabéns às senhoras Sandra Siqueira, Suzana Lemes e Elvira Chaves Lemes.


No Bruxo - Amanhã estarei no programa do Valério da Rosa (Bruxo) na Verdes Pampas FM, das 11 ao meio-dia. Nos ouçam. Acredito que vamos falar em política e de política.

Cortina de fumaça
Mais uma vez tenho que repudiar a ação da Brigada Militar de Santiago. Embora esteja previsto em lei, o ataque aos bicheiros tupiniquins é uma forma de mascarar a realidade, ou seja, fazer a comunidade pensar que a segurança trabalha e que não há desordens, assaltos, quebra-pau na rua e tráfico de drogas. Coisas de Santiago, coisas do tenente Antônio.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Novidades do Expresso

A edição do Expresso desta semana quase nos matou de tanto trabalho. Foram quase 100 página montadas pela nossa equipe. De novidade, o caderno em homenagem às mulheres, a cargo dos meus amigos Márcio Brasil e da Sandra Siqueira. Mais a grande sensação do momento, o Oscar do Araponga. Há também um editorial trazendo os problemas da Brigada Militar para o debate com o público leitor. Ah, eu não poderia deixar de falar do nosso novo colunista, o jovem Rodrigo Vontobel Rodrigues. Viva o Expresso, viva o tiro de canhão!

terça-feira, 4 de março de 2008

Segunda em São Chico

Minha segunda-feira foi de muito trabalho e ao mesmo tempo divertida. Como sempre, iniciei pela tarde e já de cara recebo uma ligação da professora Rosane Vontobel tecendo comentários sobre meu livro. Parece que ela gostou do que leu até agora. Mais tarde, o Márcio eu fomos a São Chico e depois para Manoel Viana. Na Terra do Bugio falei com diversas pessoas, assisti à sessão da Câmara, visitei o promotor Barbará que recém voltou das praias e do Carnaval de Uruguaiana, sua terra. Muitos elogios àquela festividade que praticamente se iguala às festas carnavalescas de grandes centros do país.

Vereadores
Na Câmara em São Chico é uma diversão total devido às pérolas daqueles vereadores. Antes porém, um assunto sério. Todos estão preocupados com a violência que agita a cidade, mortes, espancamentos. Na Câmara de Manoel Viana assisti a um pequeno desentendimento de vereadores logo após a sessão. Um líder do governo Gustavo contra alguém do PTB. Em pauta, a defesa do governo, o qual, o petebista havia chamado de corrupto em sessão anterior.

domingo, 2 de março de 2008

Domingo "chuviscoso"

Tempo bom, ótimo, graças às chuvas de ontem e os chuviscos de hoje. A humidade voltou e os lavoureiros respiraram aliviados. Hoje o seu Mário e o Marinho almoçaram aqui. Acabamos comendo um peixe bem à moda da Suzana. À tarde, após assistir a outro filme, muito ruim, por sinal, volto ao meu computador, para a escrita do livro que deve se chamar: "João Lemes, mais 20 anos de jornalismo". Uma autobiografia mesclada com as passagens mais importantes, alegres, tristes, engraçadas da minha vida e dos que foram notícia desde que ingressei nas comunicações. O prazo para o fim da obra? Nem eu sei. Pretendia que ficasse pronta em maio para lançá-la na festa dos 15 anos do Expresso, mas ainda estou temeroso, pois falta muito e não é todo dia que estou inspirado. Vamos indo, pra ver o que acontece... Volto amanhã.

sábado, 1 de março de 2008

Obrigado, amigos

"EXPRESSO ILUSTRADO consolida sua TOTAL POPULARIDADE em Santiago, da a sua opinião mesmo contrariando as dos outros. O povo gosta disso, pois ele diz a seus leitores o que eles realmente gostam de ouvir e dizer. Um marco na comunicação escrita na região. O forasteiro mostra cada vez mais porque veio."

O comentário acima é obra do meu amigo Cassal Brum, um ávido leitor do nosso Expresso e que vem se dignando até a fazer comentários. Como eu adorei esse, o publico aqui também em forma de reconhecimento. Agradeço ainda a outro antigo amigo de jornadas, que é o Júlio Prates, o qual tem um senso crítico aguçado nas questões políticas e avaliou como positivas as nossas reportagens sobre o tema. Valeu, amigos pela parte que nos toca.