segunda-feira, 30 de junho de 2008

Segunda emburrada

Segunda ainda carrancuda, emburrada mas o sol mete a cara, assim como alguns políticos da região, que já despontam em seus partidos rumo a mais uma campanha eleitoral, coisa que o Expresso vai acompanhar de perto, mas sempre seguindo a linha mais equilibrada possível. Nosso lema foi o de sempre perseguir a notícia, não ligando para candidatos A ou B, sejam a vereador, a prefeito ou a outro cargo eletivo qualquer.

Costuras - Na última quinta-feira pude acompanhar o lançamento da coligação entre PSDB, Dem, PDT e PMDB, esse último, com apoio ainda meio duvidoso, já que antigas sequelas envolvendo o partido e o ex-prefeito Vulmar Leite, candidato majoritário na atual chapa, ainda estão bem à mostra para alguns líderes peemedebistas. E cá para nós, como é difícil a tal costura eleitoral em busca dos apoios dos partidos. Vamos esperar e ver o que acontece.

Em tempo - O santiaguense Pedro Aguirre, acusado de ter degolado uma mulher no bairro Vila Rica apresentou-se domingo na Delegacia de Polícia e deve seguir em liberdade até que o inquérito seja feito.

domingo, 29 de junho de 2008

Domingo carrancudo
Nosso final de semana em Santiago foi de fato meio carrancudo, mas as convenções aconteceram por toda a região, com gente lutando para conseguir o poder, seja nas prefeituras ou câmaras. Confesso que assisti a tudo um pouco de longe. Viajei na sexta, retornei no sábado à noite e na segunda à noite torno a viajar. Para os que foram às convenções e conseguiram passar seus nomes no crivo dos partidos, parabéns, para os que se deram mal, paciência, quem sabe na próxima dá tudo certo. Por ora, torcemos por uma boa campanha eleitoral e que se peguem para valer neste pleito, mas sem desonras, sem fofocas traiçoeiras e, pricipalmente, sem demagogias baratas de eu "farei isso e aquilo".
Até amanhã.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Mais um crime

Há pouco soube que o conhecido desportista Pedro Aguirre, degolou sua esposa Juçara de Fátima Nunes de Souza, na frente dos filhos. Pegou pelos cabelos e passou a faca. Coisa de arrepiar. O Taborda compareceu ao local do crime e ainda pôde fotografar a vítima naquele estado horrendo. O crime foi na rua Osvaldo Cruz com Mariano Pinto (Vila Rica, fundos do Bazana) e a polícia já está no encalço do Pedrinho. Um absurdo, realmente, pois eu tenho boas relações com o autor e sei de sua decência, de sua amizade com muita gente. Um cara calmo, tranquilo, como pôde fazer tal atrocidade? Não dá para entender as pessoas, realmente não dá.

Expresso na rua
O Expresso circulando, tudo se acertando e eu descansando. Não foi fácil. A carga de jornal viajou a baixo de chuva, trazendo a bordo nada mais nada menos que 2 mil kg de papel, tudo escritinho para o prazer da leitura regional. E volto a dizer: o fenômeno Expresso Ilustrado na região é inédito.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Oposição acha o rumo

Batista, Cadó, Oilton e Vulmar

Mas como eu ia dizendo (no texto abaixo), a política dá voltas e se revela sempre surpreendente, talvez por isso seja de fato emocionante. Tudo se arrumava para uma aliança Vulmar e Burmann, e a grande pergunta se fez: mas e o maior partido da oposição, o PMDB, fica de fora? Aí aflorou a sensibilidade de seus líderes e fecharam em torno de um grande nome, o de José Renato Cadó. Agora há pouco, nosso jornal acompanhou os discursos já calorosos de todos os envolvidos nesta nova aliança que busca retomar o poder municipal. Está selada a Coligação Popular. Nada de Frentão, que já caiu em desuso, mas de uma força que nasce para dar sentido ao pleito, com debates extremamente valorosos que eu quero acompanhar de cadeira. A seguir, a matéria que sairá amanhã no Expresso, que finalmente, depois de muita costura, a exemplo da atual coligação ora falada, está pronta e já rodando na gráfica.


Agora é Vulmar e Cadó

Vulmar e Cadó selam aliançaEm reunião no início da semana (e na quinta-feira) entre PMDB, PDT, DEM e PSDB ficou selada a Coligação Popular. Os líderes garantiram que Vulmar Leite deve concorrer para prefeito tendo como vice o Renato Cadó (PMDB), técnico da Emater, vereador e ex-secretário municipal. A chapa sela uma aliança entre os partidos de oposição, que já começam a trabalhar a partir do dia 06 de julho, quando iniciar o período eleitoral. A oposição busca reconquistar a prefeitura municipal apostando na dupla, e especialmente, emVulmar, que venceu o pleito em 1992.

Pega fogo nas eleições

A política dá voltas e, às vezes, o inacreditável acontece. Acabei de dizer neste blog que Vulmar não cheirava na brasas, não, sozinho, mas com Mauro Burmann é possível que ele cheire sim, pois agora, não duvido mais de nada. Há pouco, recebi uma ligação do empresário Mauro Burmann (PDT), ao qual eu devoto grande admiração pela seriedade e competência, de que às 19 horas haverá uma grande reunião na sede do PDT com possível lançamento (indicação, que seja), da chapa entre PDT, PSDB e DEM. Ao que tudo indica, o caminho seria uma chapa com Vulmar Leite e Mauro Burmann.

Grande chapa
Agora, cá pra nós, se essa coligação ocorrer, será uma grande chapa, dependendo somente do apoio do PMDB, que sem candidatura própria, vai acabar dividindo os filiados, mas mesmo assim, acredito que grande parte deles acabe votando mesmo nesses dois aí de cima. No Expresso, daremos mais detalhes desta empolgante notícia, para que o pleito não fique morno, simplório, sem emoções. De uma vez por todas poderei dizer: acabaram os balões de ensaios, como diria Júlio Prates e as eleições 2008 vão incediar Santiago.

quarta-feira, 25 de junho de 2008


Vulmar não quer...
Apesar das lamúrias do Batistinha, presidente do PSDB de Santiago, o ex-prefeito Vulmar Leite não voltará a ser candidato a prefeito, pelo menos foi o que ele (Vulmar) me disse ainda há pouco, via internet. Eu achei brabo mesmo ele demorar para se decidir, aceitar a concorrer, desistir da candidatura e agora voltar. Seria muita piada para uma temporada só.

... cheirar as brasas
Por várias vezes eu disse que ele seria o melhor candidato das oposições por ter mais qualidade, conhecimentos, essas coisas... mas agora, concluo que ele poderia ser o melhor para o embate, mas não o melhor para as oposições, pois embora ele estivesse se enforcando na peiteira para concorrer e receber todo amor do PMDB, tal fato não foi conseguido. Resultado, a desistência. Eu, no seu lugar, faria o mesmo. Não sou louco de perder tempo, rasgar dinheiro ou cheirar na brasas...

Sobre meu livro
“Não é todo dia que se comemora a vitória de um forasteiro que consolidou uma carreira brilhante e construiu uma empresa jornalística que é exemplo nesta área tão delicada que é fazer comunicação no interior.”

Carlos Roberto Severo
jornal A Tribuna - Santo Ângelo.

domingo, 22 de junho de 2008

Sobre Vulmar e Palma,
Nívia Andres comenta:
Prezado João,Você perguntou e deu a resposta. A possibilidade de Vulmar Leite apoiar Sandro Palma não existe.Um abraço,
Nivia Andres

sábado, 21 de junho de 2008

Dito e feito!


Ainda no ano passado, quando falavam em candidaturas, escrevi neste blog que pelo lado do PP seria o atual vice-prefeito Júlio Ruivo. Enquanto meu amigo Júlio Prates propagandeava Guilherme Bonotto, eu me mantive firme em minhas idéias. Agora, após a convenção, digo a todos a velha frase: dito e feito. O PP acaba de homologar a candidatura dele tendo por vice o ex-prefeito Toninho Gomes, evitando-se um racha no partido. Cabe dizer, ainda, que mais uma vez o PP surpreende e cala a boca de quem dizia que a sigla estava prestes a ter o maior racha da sua história. Eis o exemplo dos articuladores, dos ditos caciques, que comem seu angu em casa, mas na rua, arrotam união e grandeza.

Tampão - A união entre os líderes do PP é um exemplo a ser seguido pela desolada, desarticulada e desacreditada oposição que busca um candidato tampão a qualquer custo, após a desistência de Accácio e de Vulmar Leite. Só o Sandro Palma segue peleando, e cogita-se de Vulmar apoiá-lo, mas nesta história eu falo na semana que vem. Por ora, apenas digo que seria o apoio mais esquisito da atualidade, pois um é contrário ao outro, seja no que é, seja no que prega. Então, vamos aguardar.

terça-feira, 17 de junho de 2008

Vulmar Leite desiste



PSDB comunica

Na tarde de 16 de junho, Vulmar Leite (PSDB), até então pré-candidato a prefeito, comunicou oficialmente aos presidentes do PDT e do DEM a decisão da Executiva do PSDB de retirar o seu nome da disputa, após leitura crítica das condições políticas e de infra-estrutura para sustentar a campanha eleitoral que se aproxima.

A seguir, alguns trechos da carta encaminhada ao PDT e ao DEM:

Sobre o Fórum das Oposições:

“...após meses de intensas e infrutíferas discussões entre PSDB/PDT e PMDB, chegamos às vésperas das convenções partidárias sem propostas comuns de oposição ao continuísmo cimentado pelo PP. A unidade de propósitos, tão sonhada, não vingou e, ainda, gerou nova situação difícil de resolver – a desmobilização das Oposições, cujos partidos e militantes, sem vislumbrar um horizonte factível, perderam tempo precioso na operacionalização da campanha”.

Sobre as limitações materiais para a campanha:

“...Nessa hora, é importante compreender que, lamentavelmente, todos os partidos do espectro oposicionista sofrem de uma limitação grave que lhes restringe os movimentos – a falta de estrutura material que impede a realização, embora mínima, das ações que fazem parte de uma campanha eleitoral. Me entristece, também, perceber que companheiros de memoráveis lutas passadas estão se afastando da vida política, desencantados com as dificuldades ou, quem sabe, premidos pelas circunstâncias, para preservar suas atividades profissionais, tal o aparelhamento ideológico que hoje campeia em Santiago, por conta dos interesses do continuísmo conservador que impera, soberano”.

Sobre a decisão de não concorrer:

“...Ao analisar essa realidade, a Comissão Executiva Municipal do PSDB chegou à conclusão de que, devido à fragilidade da estrutura partidária existente, não deveria impor-me mais um sacrifício pessoal, mesmo que representasse uma oportunidade palpável para atingir um objetivo comum a todos os militantes do partido. Acolhi estas razões e concordei com a decisão”.


Sobre a decisão do PSDB de continuar apoiando a unidade das Oposições:

“Essa decisão partidária me sensibiliza, pois demonstra que, além de apreço e respeito pela minha pessoa, o PSDB mantém apoio incondicional à unidade das Oposições, comprovando o espírito público de seus dirigentes e militantes e a consciência de que a unidade e o projeto político de desenvolvimento são mais importantes do que nomes. Assim, é mister que os partidos de Oposição assentem-se, novamente, na derradeira missão de encontrar o seu representante de consenso, aquele que os levará à vitória, superando intransigências, intolerâncias e vaidades, por um objetivo incontavelmente maior em importância, que é o bem-estar da comunidade santiaguense; assegurando-lhe, novamente, o protagonismo das ações em busca do desenvolvimento e da sustentabilidade, proporcionando vida digna e oportunidades iguais para todos”.


Sobre suas crenças e convicções:

“Ao longo de minha vida pública experimentei muitas conquistas, superei grandes obstáculos e enfrentei outros tantos insucessos, motivado pela consciência de que é preciso agir, trabalhar, tomar atitudes, tendo em vista uma causa maior – um ideal, que moveu e ainda e sempre moverá todos os meus atos – a certeza de que é preciso evoluir na busca do bem comum, operando para que seja assegurada justiça social e melhor qualidade de vida para os cidadãos. Jamais desistirei de minhas crenças, mas permito-me não prosseguir em direção que afete a convicção de outras pessoas, em detrimento de uma causa que deve pairar acima de personalismos”.


Vulmar Leite enalteceu a postura ética responsável e solidária do PDT e do DEM e esclareceu que vai continuar participando do processo eleitoral, agora não mais como pré-candidato, dando a sua contribuição para que os anseios de todos os companheiros sejam realizados.

Nivia Andres
Assesoria de Comunicação

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Pelas barbas do João

Sexta-feira agradável aqui na Terra dos Poetas. O Expresso circula com mais uma notícia-arte, trazendo os dinossauros da política regional, com uma ilustração do meu amigo e colega, o Sidi Garcia. Adorei o dinossaurinho que está saindo do ovo. Este foi a meu pedido. O assunto já repercute.

E aí acima temos a charge que talvez saia no Expresso na próxima edição. Trata-se de um trabalho do meu amigo Pires, o chargista de São Paulo que colabora conosco. O trabalho é a meu pedido, e mostra João Luiz Vargas, presidente do Tribunal e Contas do Estado, com as barbas de molho em virtude da investigação que vem sofrendo envolvendo o famoso caso Detran. E seja o que Deus quiser.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

É só o começo


Corrupção, o nosso forte

Estamos prestes a encerrar mais uma edição do Expresso e cada notícia é melhor que a outra, a começar pelo turumbamba de denúncias que invadiu a política estadual. Com gravações etc e tal. E até o João Luiz está com as barbas de molho. Acredito que isso tudo seja bem pior, apenas a ponta de um iceberg. Se sabe, de ante mão, que a corrupção é mesmo o forte dos gaúchos.

Estatal, a escora política
Eu sempre defendi: estatal boa é estatal em mãos privadas, a exemplo da CEEE, que só servia de ninho aos apadrinhados. Gente que nem sabia segurar uma caneta andava toda topetuda pelos escritórios, simplesmente porque tinha atuado na campanha de alguém ou era cupincha de algum graúdo do governo. Vejam agora. Banrisul, Daer, Detran (e quem duvida que a Corsan não esteja no meio), todos suspeitos de servirem aos governos. O engraçado disso tudo, é que o furo é sempre o mesmo. As verbas de campanha. Êta politiquinhos sem-vergonghas.

Já vai tarde
Nesta semana, o vereador Bianchini, ex-bombeiro, comentou sobre a demissão do coronel Nilson Bueno, do comando geral da BM. "Eu o conheci e, confesso, nunca tive uma boa imagem dele". Ao saber que assumiu o comando da BM, o coronel Mendes, Bianchini sentenciou. "A Brigada ganha com essa troca".

Carta de empresário
O Expresso recebeu a seguinte mensagem do dr. Paulo Nicola. Por tratar-se de um respeitado empresário, estamos divulgando:

À equipe do Expresso:
Quero parabenizá-los no momento em que festejam 15 anos de empresa. Nem sempre concordamos em tudo, mas curvo-me diante de algumas evidencias, dentre elas: O Expresso é uma empresa de sucesso, bem fundamentada, com uma equipe coesa e com um objetivo bem definido. Hoje pode-se afirmar: foi o primeiro jornal a “dar certo” na região. E não se tem como questionar. É extremamente indispensável à região. Acredito que seja o reflexo de anos de trabalho e dedicação. Parabéns à toda equipe.
Paulo Nicola

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Pinceladas do meu livro


O autor
(por Sandra Siqueira)
João Loredi Lemes é um jornalista reconhecido em Santiago e região. Mas para chegar a esse patamar, enfrentou os percalços do destino. Nasceu em 11 agosto de 1964 em Coronel Bicaco, numa família formada por imigrantes alemães e portugueses. Seu pai, Tomás Albino Lemes, faleceu aos 38 anos. A mãe (Elvira), trabalhadora rural e analfabeta, ficou com seus 8 filhos quase todos pequenos, dentre eles, João Lemes, com cinco anos. Sem recursos, foi auxiliada por amigos e familiares que acabaram adotando parte dos filhos. João Lemes foi levado embora, sendo criado por um tio até os 14 anos.

E foi assim, sofrendo com a falta de amparo que ele cresceu. Trabalhou em granjas, fazendas, foi vendedor, balconista, leiturista. Somou experiência para tornar-se um respeitado jornalista, diretor e editor de um dos jornais mais importantes do interior do RS, o Expresso Ilustrado, que há 15 anos documenta Santiago e região, um veículo que venceu tabus, tornando-se respeitado. Quem diria que tal empresa seria fruto do suor de um autodidata?

Índice livro
Apresentação, por Antônio Manoel Gomes Palmeiro (Barbela)
Prefácio, por Rosane Vontobel Rodrigues
Introdução- "Surge o desejo, contar a minha vida..."
Retratos de Família.
De onde vim?

Parte I- A infância
Eu e meu pai
"São escassas as lembranças de minha terra-natal, Coronel Bicaco..."

O extravio dos filhos
"Logo que meu pai faleceu, deixando seus oito filhos, cada um teve que se acomodar pelas casas dos outros..."

O Tite da tia Elvira, a minha nova mãe
"Com meus cinco anos, o Tite - apelido dado pela minha irmã, a Marlene de Fátima, agora residia em uma boa casa..."

À espera do tio Valdomiro
" Todos os dias, eu pegava minha cadeirinha e sentava na estrada..."
Chegando no cafundó
"Na Viagem de Cruz Alta para minha nova morada, ganhei uma gaitinha..."

O bastardo
"A princípio, fui bem recebido lá pela tia Otelina. Ela era mulher morena, com seus cabelos compridos, meio enrolados..."

Dois anos de angústia
"Foram dois anos morando em Capão do Cipó. Talvez o mais amargo período de minha vida..."

Reencontrando a civilização
"Finalmente o tio Valdomiro anunciava a nossa saída de Capão do Cipó..."

O tinhoso da escola
"Estudei tanto que passei num tapa. Logo estava na segunda série e noutra escola..."

O Poste por testemunha
"... a casa era modesta, sem água e nem luz. (...) O jeito era escapar pé ante pé e ir para baixo do poste na rua..."

O vendedor de saco
"... Tia Otelina não jogava os sacos plásticos fora. Se agachava a juntar e me fazia percorrer os açougues para vendê-los..."

No colégio dos ricos
" Com 11 anos, eu já estava na quarta série e passei estudar no colégio Nossa Senhora de Fátima".
"No colégio das freiras, tudo era no "prafrentex" Uniforme marrom, camisa branca. Nem precisa dizer que minha veste eram as mais feias".

Leite de saco
"Seguidamente a tia Otelina repetia essa frase. E outras mais, sempre dizendo não gosta disso e daquilo".

Ladrões de uva
"... Saímos para roubar frutas na vizinhança. As lombrigas brigavam se a gente não fosse..."

Festa da Margarina
"Meu tio Valdomiro gostava de pescar. Graças aos seus gostos, eu também me via em meio à mata. (...)"

Espírito de porco
"Que ninguém pense que eu era santo. Nunca fui..."

O menino-homem
" Com 12 anos, eu já me sentia homenzinho. Fazia meus próprios brinquedos..."

Meu nome era trabalho
" Como eu estava ficando mais taludo, a tia inventou de me bater com coisas também mais robustas..."

A fuga
"Meu sonho, desde os 10, era ter meu dinheiro. Aos 13, eu era mais livre..."

Parte II- A adolescência
Do colégio interno a peão campeiro
"Lá no colégio interno, onde a mãe me colocou não era tão ruim como na minha tia..."

Preservando o patrimônio
"Minha historietas com os "ronca e fuça" não acabaram naquele dia em que tirei o couro do focinho de um porquinho maleva..."

Finalmente em casa
" Cheguei em Cruz Alta todo mocinho, metido a namorador, um malandro de Alegrete..."

O Trio "J"
"No ofício de leiturista (...) fiz amizades, dentre elas, com a dupla Jairo Oliveira e Júlio Teixeira"

As proezas da dupla Falconi & Laerte
" Trabalhei por quase seis anos na Instaladora Aliança (...) Viagens e mais viagens com o famoso Falconi."

Aprendendo a ser líder
"Embora o mimoso do chefe fosse o Laerte, eu não ficava para trás. Mas meu sistema de agradar o "homem" era fazer bem o serviço..."

A musa de meus sonhos
" Ainda quando eu trabalhava na leitura, conheci meu grande amor, a pessoa que se tornou responsável pelo meu sucesso: Suzana..."

O nascer de um amor
"A Suzana e eu seguimos nos vendo todos os meses, depois, todos os fins-de semana..."

Cartas de amor
"Querida Suzana. Numa Noite linda nos conhecemos, numa noite linda fomos apresentados..."

Nossa União
"Noivamos e casamos no mesmo ano de 1988. A menina Suzana virou a senhora Lemes da noite para o dia."
A vida no pombal da Cohab: a nossa baixada fluminense
"Morando no apartamento aprendemos que a vida pode ser boa mesmo sem muitos pertences..."

Os desafios a dois
" Logo que casamos, surgiram os primeiros desafios da vida a dois (...). O que não tínhamos era traquejo para fazer de um rapaz de 23 anos e de uma menina de 17, gente capaz de suportar as peripécias do lar..."


Parte III - Escola do jornalismo
Enfim, dentro de um jornal
"...Chico era o chefe da oficina lá do Diário Serrano e precisava de alguém para gravar chapas (...) Lá fui fazer um teste..."

O sombra virou jornalista
" ... Muitos seriam despedidos pela razão de sempre: contenção de despesas. Fiquei com o olho que era um pila."

O estágio e a saída
" Quando estava fechando dois anos de Diário Serrano Já me sentia quase um profissional. Eu, nunca havia entrado numa oficina jornalística, enfim concluíra meu estágio..."

Ampliando horizontes na velha Tupanciretã
" ... Quando chegamos em Tupanciretã, descarregamos poucas coisas..."
Problemas driblados e o Expresso Fundado
"...no dia 12 de maio de 1992 obtive o auxílio de alguns primos da Suzana e fizemos nascer o Expresso Ilustrado em Salto do Jacuí..."

A ( quase) queda de um homem
"...aquelas idas e vindas, varando a noites em rodoviárias, foi me esgotando aos poucos. Os amigos me alertavam para "estresse", eu dizia doença de rico...

A recaída
"... Cada alvorecer representava uma tortura a mais..."
Parte IV- Rumo a Santiago
Nasce o Expresso em Santiago
"Na vida para Santiago vivia pousando em casa de amigos..."
Os primeiros meses de 15 anos
"...Se por um lado, a falta de um jornal local abria a brecha para outro..."

A jovem desbravadora
"Assim que virou 1994, acossado pela falta de profissionais que topassem trabalhar no Expresso, pedi ajuda à Sandra Siqueira..."
As primeiras polêmicas: URI, seu Bonotto e cia...
"... A primeira a esquentar o sangue foi a professora Ayda Bochi Brum. Ela parecia querer subir pelas paredes..."
A guinada do Expresso e o liminar das batalhas jurídicas
" Numa de minhas visitas a redação, me juntei à Sandra num desespero total. Faltava dinheiro para impressão..."

Assumindo comando
"Foram dois anos com a redação a cargo da Sandra. De 94 a 95..."

O brotar de uma força
"Minhas alegrias na vida foram: o casamento com Suzana, os nascimentos dos meus filhos e ter vindo para Santiago.."

Em busca dos talentos
"Tudo já esta alinhado e foram aparecendo mais profissionais..."
Esquenta a briga com Vulmar Leite
"... Aquele senhor que me deu "um tiro de aviso..."

O infernal Júlio Prates
"Um verdadeiro mestre quando o assunto é polêmica..."

O ditador intocável
"Se, de um lado, as matérias causavam asco ao chefe do Poder Executivo Municipal, por outro, os colunistas eram seus tormentos..."

A Vila do Lixo
" Na Ana Bonato (...) gente e bicho revirando montanhas de lixo..."
A guerra das pesquisas e a vitória de Toninho e Chicão.
"Se alguém pensa que a briga com o pessoal do Vulmar era mesmo grande, esperem para ler o que irei contar..."

Legitimidade Suprema
"Na tentativa de reverter o quadro negativo ao seu propósito eleitoral, até contra a circulação do jornal a turma de Paulo Rosado lutou..."

Percalços familiares
"Maurício, filho mais novo do seu Mário (...) pereceu naquelas calma águas, levando desespero e dor aos irmãos..."

Os Melhores do Ano e Ronaldinho Gaúcho
"... naquele ano Santiago teve o privilégio de conhecer e assistir de perto ao craque Ronaldinho Gaúcho..."

Parte V- Jornalismo
O que é imprensa?
"O dicionário define "imprensa como meio de comunicação de massa.
Assim caminha o jornalismo
"O mundo está abarrotado de veículos de comunicação..."

Viver para escrever
"Viver escrevendo é uma satisfação impagável..."

O Jornalista e a crítica
"Muitos pensam que o trabalho de um jornalista crítico é fácil..."

Os jornais gaúchos
"Antes de fundar o Expresso, como não pude ingressar numa faculdades por falta de tempo e condições..."

A inconstante trajetória dos jornais em Santiago
"Os jornais que já existem em Santiago..."

Conceitos de leitura e escritas
"Dificilmente que a pessoa avessa à leitura falará bem, muito menos saberá redigir corretamente..."

Incoerências, erros e vícios
"O filósofo Arthur Schopenhauer já dizia que um bom cozinheiro pode dar gosto até a uma velha sola de sapato da mesma maneira que um bom escritor pode tomar interessantes os assuntos mais monótonos..."

Texto sem fundamento
"Muitos jornalista aplicam expressões que não levam a nada..."

A cara do Expresso
"Para se fazer um bom jornal, que tenha uma linha definida, um estilo conquistador, não existem muitos segredos..."

O leitor é o alvo
"Durante esses 20 anos tenho experimentado emoções diversas..."

Críticas humorística: a tônica do jornal
"Nem só de narrações noticiosas vive o jornal. É preciso também divertir..."

Araponga e Miguelito: afinal quem são eles?
"...das broncas judiciais, quase a metade eram contra o Araponga"

A mão-de-obra do Expresso
"No expresso, por incrível que pareça, que mais se adapta foram os que não tinham cursos superiores ..."

O jornalista perfeito
" Márcio Brasil, o menino pobre que saio do bairro Itu. Sensível fotógrafo contista excepcional diagramador infalível, crítico fora-de-sério. Um grande amigo, um quase-irmão..."

O inigualável Denílson Cortes
"O Denílson iniciou sua relação com o jornal quando era quase menino, fazendo fotos ou filmagens (...). Constatei que ele era "pós-graduado..."

Ao mestre (Froilan) com carinho
"... É o meu grande amigo Froilan Oliveira, um poeta, um professor, estudioso das letras e filosofia..."

Cavacos do ofício
"O trabalho jornalístico pode ser divertido como também apresenta riscos..."

Sobre os editais e os jornais
"Ainda nos primórdios do Expresso, lutamos para publicar os editais..."

A lei das licitações e as prefeituras

O Expresso e as brigas judiciais
"Cito esse caso apenas para mostra os absurdos cometido na esperança de se ganhar uma indenização..."

Eu processo!
"Houve um tempo em que bastava um jornalista de cara feia para um cidadão que ele já queria briga..."

Parte VI - Adorável Político
Os desacertos de Vulmar e o PMDB
"Até hoje o tucano sustenta que saio do PMDB porque não quis ceder ao regime do coronelismo..."

A polêmica viagem à Europa
"Vulmar e mais uns vinte e poucos prefeitos foram à Europa (...) Os donativos vieram um ano depois. Tudo uma velharia de dar inveja a muitos museus..."

Iniciativa lucrativa
"Prefeito Vulmar comemorou resultados de auditorias na prefeitura"

Médico contra médico
"Constantes desentendimentos na área da saúde levaram o Hospital de Caridade de Santiago a enfrentar problemas de superlotação..."

Um pouco do governo Cássio Lopes Peixoto
"Como o Expresso completa 15 anos em 2008 não foi possível registra muitos fatos da época do prefeito Cássio..."

Tito Beccon - O assessor par (a) lamentar
"Reportagem que contou a verdade sobre o cargo do ex-vereador em Brasília"
Os políticos e as sua pérolas
"Algumas histórias de políticos famosos de nossa cidade..."

O Chicão-coração
"De esportista a homem de vinte mil votos..."

Marco Peixoto: o deputado da região
" Um dos poucos gaúchos com cinco mandatos consecutivos na Assembléia"

Valério Martins da Rosa, o bruxo
"O líder do PMDB que se tornou aprendiz de feiticeiros"

Parte VII - Personalidades

Os Altos e baixos das nossas personalidades
"Os 05 anos do Expresso resultaram numa grande leva de amizade..."

Nossos artistas, nosso orgulho
"Os artistas sempre tiveram espaço no Expresso. Analise Severo Nenito Sarturi, Júlio Saldanha, Sadi Machado..."

Quando o rei esteve aqui
"Há mais de 35 anos, Roberto Carlos esteve em Santiago..."

Os legendários Barbela e Oracy
"Poucos acumulam tantas qualidades como os folclóricos Barbela e Oracy Dornelles..."

Aprendendo a fazer rádio
"Com o Barbela também provei do prazer de comunicar pela Rádio..."
"O grande domador de pulgas"
"Oracy deixou de estar tímido na redação do Expresso. Hoje, bate à porta gritando que é convidado e já vai dando tapas..."

À família de Valdir Amaral Pinto
"Desde que estou em Santiago, coleciono amizades. Os advogados Valdir Amaral Pinto e seu filho Augusto Biermann Pinto foram dois que colaboraram..."

Um certo capitão Itacir
"Uma das mais duradouras amizades que colhi foi ao lado de Itacir Flores..."
De capitão a major, De major a jornalista
"O tempo se encarregou de unir as famílias Flores e Lemes..."

A política destruidora
" Embora Itacir e eu houvéssemos nos comprometidos que a política não iria interferir..."
Nasce o Folha Regional
"Em 2001, nascia o jornal Folha Regional que direcionou artilharia contra a administração do PP, em seguida, ao Expresso e a mim..."

A reconciliação
" Confessei ao Itacir, apenas das feridas, o quanto ele foi importante para nós..."
Cidadãos Santiaguenses

Polga. Foi realmente uma pena
"A emoção de ter um santiaguense na Seleção Brasileira. E a decepção com o descaso do campeão..."

Eles fazem Santiago
"Um dia Santiago saberá que a virada do milênio aconteceu sob a batuta de grande líderes, artistas, empresários..."

História de Sucesso
"Em Santiago conheci pessoas donas de verdadeiras lições de vida..."

O grande Gibelino Minuzzi
"Outro exemplo de simplicidade, inteligência e dedicação..."

Lições do Cabo de enxada
"Irmo Sagrillo cresceu pela força de seu suor..."

As personalidade do século
"Em abril de 2000, o Expresso apontou as 20 personalidades do século..."

Parte VIII - Crônicas
"Meu presente de Natal
"Milagre da Marcela
"Infância frutífera"
"A relíquia Assassina"
"Passando a vara"
"Meu pai, o meu rei"
"Tempos modernos"

Parte IX - Grandes reportagens
"O Sonho real: RST 377 foi a maior obra regional"
O disco voador sobre Santiago
O futsal profissional - O Expresso pelo Esporte
Torneio Internacional
A famosa mulher de branco
O golpe do cimento
O preço de um cavalo (de pau)
Pizetta e a causa de R$ 1 milhão
O crime do Pizeta
Um sonho chamado Uri
De braços dados com a região
À minha Jaguari
O admirável Patias
Ronaldo Machado Salles
O fenômeno Jorge Martins
Brizola em Itacurubi
Capão do Cipó e o Expresso
A São Francisco das CPIs
CPI da banana

Parte X - Final

O Expresso, os Siqueiras e o João Lemes de hoje
"Mesmo o Expresso tendo os seus 15 anos, muitos ainda têm dúvidas de como o jornal é feito, quem é o dono etc..."

Os 15 anos do Expresso (e de nossa vidas)
"O Expresso Ilustrado atinge a maturidade junto comigo..."

Reencontro comigo mesmo
"...reencontrei o meu tio Valdomiro depois de 20 anos..."

Hora de agradecer
"Ao chegar ao fim deste trabalho..."

Aos amigos
"Pessoas que foram e são importantes em minha vida jornalística..."
Agradecimento especial

Considerações do autor
"Por nove meses, viajei no passado, revivendo fatos..."

Parte XI-

Depoimentos dos amigos e familiares

Ao meu amigo, por Oneida Cadore

O João: 15 anos com o Leme, por Oracy Dornelles

Expresso dando de relho, por Jayme Camargo Piva

Um jornal de faca-na-bota, por Rodrigo Vontobel Rodrigues

Criador e Criatura, por Julio Prates

O João pau-pra-toda-obra, por Vitalino Morini

Ao meu piá, por Valdomiro Dessbessell Chaves

Os três pilares, por Márcio Brasil

O nosso herói do mundo real (por Suzana Lemes)

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Tia Elvira

No trajeto que fiz para divulgar meu livro encontrei-me com tios, tias, primos... Aí na foto, a querida tia Elvira, irmã do meu pai, a qual também me criou por um ano e picos. Por coincidência, ela tem o mesmo nome da minha mãe. Lá em Panambi, onde ela mora, passei uns 7 anos de minha infância, pois também morei com o tio Valdomiro na mesma cidade. Quem já leu o livro sabe agora quem é a tia Elvira, a minha segunda mãe. Um beijo para ela e seus familiares.

terça-feira, 3 de junho de 2008

Em Santa
Olá, amigos. Fiquei todo o final de semana fora deste espaço por estar viajando. Fui a Santa Catarina, terra onde mora meu tio Valdomiro. Como havia prometido, o trouxe para as festas de 15 anos do Expresso e o levei embora na data marcada, pois ele tem afazeres naquela região, mesmo já estando aposentado. Outro dia ele volta.

Divulgando o livro
Na viagem, fui divulgando o livro João Lemes 20 anos de Jornalismo, ora deixando em casas de parentes, ora visitando prefeituras, câmaras e secretarias, como fiz em Coronel Bicaco, minha terra natal. A princípio, gostaram do livro, ainda mais por saber que deixei a cidade ainda com uns 4 anos, logo que meu pai morreu. Muitos me disseram por lá que não é todo dia que um guri sai pela vida e retorna com um livro em baixo do braço, falando de um jornal que nasceu do nada e que gera 50 empregos. Depois eu volto com as fotos da viagem.