terça-feira, 29 de julho de 2008

Tribunal do
faz-de-conta

Bem a Zero Hora publicou que o nosso TCE - Tribunal de Contas do Estado (órgão com o dever de fiscalizar contas públicas, prefeituras, Câmaras etc, ) era o de faz-de-conta. Nesta semana, ou melhor, ontem, o seu presidente João Luiz Vargas foi inocentado de todas as acusações, de envolvimento com o Detran e escambau. Claro, como é que Porfírio Peixoto e tantos outros iriam contra o colega? Lobo comendo lobo, onde já se viu?

Alguém sabe o
que é enquete?

A lei eleitoral fraquejou ao permitir que se faça as tais enquetes para ver qual o candidato está na frente. Se era complicado berrar as pesquisas, pior as enquetes. O sujeito imprime 300 exemplares de um jornalzinho e publica uma enquete sem doquê e sem praquê. Tá feita a lambança! Por mais que a leitura não seja maciça, alguém sempre irá assemelhar como uma verdadeira pesquisa. Ou ainda, xerocar e redistribuir o resultado. Até porque muitos nem sabem o que significa a palavra "enquete".

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Ruivo junta forças

Passei todo o final de semana em casa, mesmo assim, soube dos acontecimentos, principalmente os da política. Essas fotos que ora publico revela o quanto está esquentando a corrida à prefeitura. E cada um usa as forças que tem. Vejam, o Ruivo sai de braços dados com a velha dupla Toninho e Chicão, que já foi forte no passado, é forte no presente e, no futuro, quem sabe é o eleitor.

Vulmar vai a campo
Também vemos um Vulmar Leite destemido, firme nas propostas, disposto a criticar quem vier pela frente elogiando a atual administração do PP. Com sua experiência, deverá seguir enriquecendo o debate. Na foto acima, ele visita eleitores e conquista apoio. Vulmar também foi forte, é forte e assim quer permanecer. É o que veremos mais adiante.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Minhas gatas


Nesta semana a Suzana dará mais um motivo para ampliar a nossa felicidade. No dia 30 de julho ela festejará seu aniversário e, como sempre, tenho dúvidas em relação aos presentes que a deixam feliz, vou começar desde agora essa intensa procura. Espero não ter que pedir ajuda à sua irmã, a Sandra, nem à filha Fernanda, que aparece aí na foto num close idêntico ao da mãe. De qualquer forma, mesmo sem ter comprado ainda o presente, adianto meus parabéns às duas mulheres da vinha vida, pois a Fê também fará a aniversário em agosto. Beijos às duas!

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Alegria e paz...

Nunca fui de viver sorrindo. Amanhecer o dia sorrindo, como fazem nos comerciais de leite. Mas, nesta semana, sorri muito ao analisar as coisas boas que me aconteceram. Desde o lançamento do meu livro, do debut do Expresso, às conquistas de grandes amizades e reforços para o jornal, a exemplo do desembargador Ruy Gessinger e da querida secretária de Cultura, Mônica Leal, a qual já adotou Santiago. Outra alegria foi mudar pra casa própria e ver a euforia das crianças no novo lar.

...no doce lar

Após a mudança, minha alegria foi dupla, já que nunca mais iria ouvir os carros-de-som às 9 da manhã, fazendo crer que todos os consumidores estavam na minha rua, pois era só lá que faziam poluição sonora. Pior era não saber o que anunciavam. Quando ouvia as ofertas, não decifrava a loja. Quando decifrava a loja, não ouvia as ofertas. Claro, os caros só me acordavam e seguiam rua a fora. Felizmente estou num bairro calmo e não se vê nem rastro dos barulhentos. Até nem vou dar o endereço para evitar que me atordoem, afinal, a paz também traz alegrias.

Eis a tia Elvira

Para os que leram meu livro, e para os que ainda irão lê-lo, aqui vai uma foto da tia Elvira e eu, a minha famosa segunda mãe. Felizmente pude abraçá-la ainda há pouco e entregar-lhe o livro.

Edemar Araújo

E nesta outra, eu compartilho com meu amigo e também personagem do livro, que é o Edemar Araújo, lá de Cruz Alta. O famoso capaz da fazenda onde trabalhei quando guri, o ara que me entregou sobre relho do patrão. (Ver livro).

Com amigos-leitores

Com o Miguel Marques
Nesta outra foto eu consegui uma das minha maiores façanhas, que foi autografar um livro para o meu ídolo, o cantor nativista Miguel Marques.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

A segunda rendeu


As visitas

A segunda-feira foi muito produtiva para nós, do Expresso. Dentre as tarefas do dia, algumas pausas para receber as visitas, a exemplo do vereador Bianchini, que veio buscar suas fotos para fazer seu jornalizinho de campanha. Campanha pobre, por sinal. Só com uma motinho e o corpo-a-corpo. De pronto atendi ao pedido, pois cosidero o Bianchini um grande lutador na política local, algo raro hoje em dia. É até engraçado, porque no início da legislatura até tive alguma trocas de farpas com ele, mas nada em particular. Ainda bem eu ele entendeu e hoje o admiro ainda mais.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Comentários:
Vejo com prazer que meu amigo Júlio Prates, o "infernal", conforme citei no meu livro, continua atento a tudo, apesar da campanha: na leitura do meu espaço de ontem ele escreveu:

"Sucesso, meu caro amigo na casa nova. Você é digno de todas as vitórias, e me convide para assarmos uma carne com vinho Jaguari".

O convite será feito, é só tu folgares dessa correria que é a eleição.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

De casa nova

Olá, amigos! Estou fora do ar, mas é só por alguns dias. É que, finalmente, mudei de casa, pois o Espíndola entregou a minha, obra que iniciou no começo de 2007. Mas tudo bem. A morada ficou ótima, ao ladinho do parque Zamperetti, onde estamos às ordens dos amigos para um mate-amargo.

Claro, ainda estou sem internet, mas nesta semana daremos um jeito. Faço esta pastagem do jornal mesmo (não gosto de misturar blog com o meu trabalho aqui na redação), no final de tarde de segunda feira, que para mais morna, impossível. Até os candidatos estão desanimado. Dizem que estão cansados de prometerem... Ou com tanta gente de um partido com o olho lá no outro, provando que a ideologia há muito já morreu. A não ser que seja para conquistar algum cargo. Aliás, este vai ser um dos tema de minha página para a próxima sexta.
Amanhã eu volto.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

De Curitiba

João Lemes
"Parabéns por este grande jornal. Sou leitor de toda semana, pois moro em Curitiba, mas sou de Santiago e admiro o seu trabalho e idealismo. Santiago que já teve outros jornais como "O Popular" da família Pozzo e " O Destino" do Gabriel Calegaro. Precisava de alguém com muita garra para fazer novamente essa terra virar notícia.
Leio todas as colunas, especialmente a do Barbela, por retratar a Santiago de minha época, também gostava muito da coluna do Tito Beccon (meu vizinho e amigo).
Que os 15 anos do Expresso sejam o inicio de uma longa caminhada vitoriosa."
Curitiba, 09 de julho de 2008

terça-feira, 8 de julho de 2008

Novo articulista


De ante mão quero comunicar a todos os leitores, em especial aos meus, que o amigo Ruy Gessinger estará conosco, aqui no Expresso, já a partir desta edição. Meu encontro com ele se deu através de negócios, jornal, Agropecuária Gessinger etc. Mas eis que surge entre nós a descoberta mútua, o gosto pela comunicação. Pronto! Lá estava o Ruy, a Sandra e eu, criticando o cotidiano e fazendo conjecturas. E agora que ele deixou de fazer seu programa na Iguaçu FM, Campo e Cidade, resolvi convidá-lo para nos fazer companhia aqui no Expresso que, salvo melhor juízo, como diria o grande Gibelino Minuzzi, será um ganho e tanto para o nosso jornal e para Santiago. Amigo Ruy, quero agradecê-lo de todo o meu coração e dizer para que faça do Expresso, um espaço de tribuna a muitos que não têm voz.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Longe da política

Passei o final de semana longe da política. Eta coisa boa, pois mal iniciou a campanha e já não aguento tanto falatório, promessas, gente milagrosa querendo resolver tudo de uma vez... Os discursos devem ficar calorosos de agora em diante, mas só me reservarei a ouvir os debates. O resto, por si só, ficarei sabendo, graças à minha querida e competente equipe do Expresso Ilustrado.

Italianos - Mas como eu ia dizendo, na sexta foi ao Show do Serelepe; sábado, na grande festa do Chapadão, na qual, me diverti com a italianada, tomando vinho e saboreando as iguarias tradicionais. E que bóia espetacular! Parabéns à turma da Cátia e do Juca pela organização.

No domingo, de novo fui ao Serelepe com a família toda. Verdadeiras gargalhadas foram a tônica da noite. Hoje, segunda, retomo os trabalhos par mais uma superedição, aguardando as novidade em cada setor da nossa região. Aguardo também ansioso pelo final de semana, quando deverei mudar de casa, pois finalmente a nossa ficou pronta lá próximo ao parque Zamperetti. Boa semana a todos. Voltaremos!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Os desiguais


Com a chegada do período eleitoral, os nervos dos políticos ficam à flor da pele e tudo é motivo para desconfiança. Fulano ganhou espaço mais do que eu, beltrano está usando um artifício que eu não tenho etc. Como diria meu amigo Brasil, a grama do vizinho é sempre a mais verde.

Mídia - E no que tange à mídia, a impressa, que permite maior liberdade, não há necessidade de dizer a ninguém que o jornal deve ser igualitário. Pois é nossa obrigação. Já viram alguém anunciando: " Nós, os calceteiros de rua colocaremos todas as pedras em seus devidos lugares"? Claro que não. O óbvio, não se menciona.

Merecimento - E tem mais: esta história de igualitário é balela. Ninguém consegue ser igual, mesmo que meça com uma régua os espaços em jornal, já que cada partido, coligação, terão histórias diferentes, falas diferentes, portanto, espaços diferentes. Ou não se fará jornalismo, mas um amontoado de asneiras. Até porque, a igualdade não está nos espaços concedidos, mas na forma de criticar este ou aquele. Além disso, cada partido terá aqui no Expresso, o espaço não mais, não menos que os demais, mas o espaço que merece.

Exemplo: Se for um PPPP, com dois filiados e menor representação na Câmara, o espaço será menor. Não porque eu queira, mas porque ele merece isto; Outro, com vários vereadores, centenas de filados, terá espaço maior, não porque eu queira, mas porque ele merece, e assim por diante. Eu também nem precisaria estar dizendo isso, mas cabe lembrar de uma frase dita por um ministro da justiça: "A forma da igualdade consiste em tratar de maneira desigual os desiguais". Então, se dermos espaços iguais para um desigual, gente que nem conhecida é, em detrimento dos que já têm folha de serviço prestado, seria a melhor forma de ser INJUSTO! Tenho dito!

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Críticas sobre meu livro

À direita, Jayme Piva, ladeado pelo Barbela, pelo filho (Rodrigo) e por mim.

Caro João Lemes:

Aqui, distante do pago, nesta ilha da magia que é Florianópolis, e no silêncio do arvoredo que circunda a minha residência, terminei de me abeberar numa bela fonte cristalina : Teu livro!

Confesso que li e reli a tua alentada obra com redobrada atenção e desvelo, para melhor compreender o alcance e a profundidade dos teus relatos. Obra na qual desnudaste a tua alma, aflorando nobres sentimentos e revelando uma forte personalidade devotada ao trabalho diuturno, impregnada de amor e fraternal amizade aos teus semelhantes.

Nota dez, com louvor, para o teu livro! Nele, não se sabe o que mais admirar, sobrelevando enaltecer o fulgor da edição, capa, impressão, abordagens, apresentação e primoroso conteúdo. Leitura amena, colocações precisas, correção de linguagem e português escorreito, num fraseado elegante e coloquial. Sobressai, por evidente, a sinceridade das tuas colocações, calcadas numa prodigiosa memória - requisito primal de um bom escritor.

Exsurge da análise desse teu magnífico trabalho, a imposição de enaltecer a pertinácia de um jovem que, desamparado, arrostou com galhardia a dura lida da vida, retemperando suas forças na justa medida e exata proporção em que se lhe defrontavam os obstáculos erguidos no caminho. Parafraseando Cruz e Souza, foste aquele que peleou em todas as batalhas, e enfrentando raios, pedradas e metralhas, alcançou (digo eu) a realização dos seus sonhos e ideais mais carinhosamente acalentados.

Por tudo isso, apresto-me em enviar daqui os meus efusivos cumprimentos a esse insigne escritor, respaldado na certeza de que tua primorosa obra há de colher crescente êxito e maior consagração junto ao público leitor, com ressonâncias na comunidade que ajudaste a projetar e que te reverenciou com honroso título de cidadão emérito.

São os votos do amigo e admirador, agradecido.

Jayme Camargo Piva

quarta-feira, 2 de julho de 2008


Festa e nascituro

Nesta foto, estou com meu amigo Mena, numa bela pose colhida numa noite dessas, quando encontrei-me com meus amigos na casa do Menabarreto. Festejamos mais uma memorável noitada. Cantoria, piadas, churrasco, cerveja e vinho. Só não valia falar em trabalho, ou política. Valeu, amigos. Obrigado ao Mena, à Jane, à profe Rosane e ao seu esposo José Eri. Também um forte abraço ao meu estimado amigo Rodrigo Vontobel. Grande Rodrigão, e parabéns pelo artigo dos nascituro, no qual, aprendi mais esta palavra da nossa Língua Portuguesa.