terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Carta à governadora


Adorei a carta à governadora Yeda, assinada pelo amigo Ruy Gessinger, em seu blogue (http://blog.gessinger.com.br/) Sugiro que leiam: É ótima. E aqui vai o pedaço que eu mais gostei, pois fala de uma terra que muito admiro, a nossa Unistalda. Vejam:


"Unistalda é a utopia brasileira. Não temos juiz, nem escrivão judicial, nem oficial de justiça, nem promotor, nem delegado, nem Delegacia. Não precisamos. Nós poupamos uma nota preta para o Governo. Só não tendo o juiz poupamos mais de 200 mil por ano. No entanto temos gado de primeira, minha Cabanha foi premiada como a Cabanha Ile de France do ano, temos cavalos crioulos, analfabetismo zero, criminalidade zero."
Ruy Gessinger

Agora digo eu - Pois é, Ruy. Lá não precisa delegacia regional com um trabalho medonho, como dizem que tem por aqui, nem delegado prendendo maconheirinhos a toque de cusco e de tantos outros aparatos para mostrar poder.

Unistalda é querida mesmo e, quando existe um crime, os poucos brigadianos que estão por lá, recobram o sentido e prendem os larápios, nem que seja um ladrãozito de galinha, bem como mostra esta foto da dona Ordalina e sua penosa, recém-recuperada - capa do Expresso de 2005.

Ruas entupidas

Calçadão de Santiago, às 15 horas.

Santiago já tem 18 mil veículos na ruas, "fora os de fora". E vai ficar pior. Ainda mais com o incentivo do governo para que as montadoras não cruzem os braços. É carro a dá com um pau, como diz o tio Valdomiro. E se querem um problema sério para Santiago em 2009, aí está. A falta de estacionamento. 

Rua Marechal Deodoro, às 15:15

E se em Santiago falta lugar nas ruas, imaginem Santa Maria, pra não falar em Porto Alegre, São Paulo e Rio. O jeito era o governo proibir as sucatas de circularem por aí  aos pedaços e causando acidentes. O que você acha, caro leitor? Ou você é daqueles que não anda uma quadra sequer?

Falam da crise, da gasolina cara, mas todos os finais de tarde é aquele desfile de carros e sons, com gente metendo cerveja ao volante. Culpa da Brigada? Não! Com os brigadianos que tem, ela age até muito bem. O que falta é um pouco mais de rigor e uma ação municipal para melhor distribuir o trânsito. 

Prisão "ilegal"

Voltamos ao caso que foi motivo de crítica pelo blogueiro Júlio Garcia, de que uma família estaria presa injustamente em Santiago, suspeita de tráfico de drogas. Pedi infomações à Promotoria, já que na delegacia pouco se consegue, e quando se consegue, o delegado dá chá-de-banco e ainda ameaça o pessoal do jornal. Bom, eis a resposta do MP:

“Houve um pedindo da promotoria para que eles continuassem presos (manifestação da Dra. Cíntia, que é quem substitui esse mês, datada de 19 de dezembro). Pelo que li da manifestação da Promotora, haveria também interceptações telefônicas embasando a prisão, mas só vendo o processo para confirmar isso. De qualquer maneira, o flagrante foi homologado e foram mantidos presos os flagrados pelo Juízo. Portanto, no entendimento da Dra. Cíntia e Dra. Cecília, as prisões estariam corretas.”
Promotora Fabiane.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Santiago mais poética

Acabamos de receber as fotos da inauguração da Rua dos Poetas. Vejam, como a população prestigiou o ato. Na fita inaugural, grudadinhos nela, só o PP, dentre eles Marco Peixoto, vereadores Cláudio Cardoso e os secretários Frederico, Roger entre outros. 

Já o advogado e historiador Valdir Amaral Pinto, abordou os nomes dos poetas, escritores, artistas enfim, que serão homenageados com a entrega desta nova etapa da rua Venâncio Aires.

Costelas quebradas

A menos de seis dias da posse o novo prefeito de Santiago sofreu um acidente em sua casa em Ernesto Alves. Júlio Ruivo subiu ao telhado para cortar alguns galhos de um coqueiro. O telhado cedeu e ele acabou caindo, fraturando cinco costelas.  O acidente aconteceu no sábado. Ruivo passou alguns dias hospitalizado e já está em casa. O exercício que faz com a boca é para estimular os pulmões.
Amanhã ele anuncia o secretariado e quinta toma posse mesmo machucado.

Chuva, venha!

Hoje á tarde cruzei por um senhor e perguntei da chuva. Ele me olhou e disse que enquanto o vento não parar ou passar a soprar do norte, não chove. Cara! Por alguns minutos tive que olhar acima da sua cabeça para tentar enxergar alguma aureola. Pior que santo ou não santo, o homem está certo.

Rua dos Poetas

Esse passou a ser o tema do momento. Até pode ser que esqueçam da segurança pública. Ainda mais que o delegado Brum está mostrando serviço. Sim, hoje (ou ontem, não sei ao certo) prenderam o Zé Bolacha. Amanhã vai ser o Zé Biscoito, depois o Zé Rosquinha e assim vai.

Seu Filinto

Mas voltando à rua. Havia um senhor todo bonitão por lá e um repórter indagou se ele tinha ido apreciar a grande inauguração. O cidadão respondeu bem feliz: "Não, só quero ver a inauguração do busto do seu Filinto". O repórter ficou meio bobo e apenas respondeu: Filinto, o quê? Quem?

Delegada em Jaguari

Jaguari finalmente ganhou uma delegada. Veio de Santa Maria e já chegou dano serviço ao nosso grande delegado Regional, que teve que ir dar posse a ela. Servição, não é mesmo?
Minha colega Alessandra foi fazer a cobertura jornalística do fato e o senhor Nenito olhou para ela com cara de poucos amigos e nem citou o jornal. Pra variar. A jovem repórter, preocupada, me ligou urgente. E eu respondi: "Báh. Com essa,  vou ficar um mês sem ir ao banheiro". E completei: o jornal que tu representa não passará, pena que não se possa dizer o mesmo do cargo desse delegado cheio de rompantes dos tempos de antigamente, quando um delegado de fato mandava alguma coisa.


Anos de Chumbo (II)

Garcia comenta:

Prezado João, em primeiro lugar, acho interessante que tenhas dado destaque para o assunto que pautei em minha coluna, que é deveras grave e preocupante. Em segundo lugar, a transcrição que fizestes é parcial, faltam trechos importantes do que escrevi, como o fato que se refere a presunção de inocência dos mesmos, que é constitucional. Recomendo aos teus leitores, se me permites, que acessem o blog http://oboqueirao.zip.net para tomarem ciência do que escrevo na coluna 'Crítica & Autocrítica', de seu inteiro teor. Em terceiro, o relato de que ocorreram espancamentos dos jovens presos na 'operação', assim como excessos com algemas neles e nas mulheres, constrangimentos (dois deles afirmam que tiveram suas calças arriadas e que foram humilhados sexualmente durante uma desnecessária 'revista íntima') são oriundos de depoimentos que colhemos com eles mesmos, com familiares e vizinhos. Isso é jornalismo investigativo. Isso, se ocorreu mesmo dessa forma, e não temos até agora motivos para duvidar, é gravíssimo. É claro que torço para que isso não seja uma prática generalizada e que não envolva a maioria dos agentes da lei de nossa cidade e região, mas alguém fez esse serviço sujo e tem que ser responsabilizado. Isso, e a sociedade exige, não pode ficar impune.

Em tempo - Ok, caro João. Lamentavelmente, como coloquei na coluna, nem só de notícias boas os blogues - e o conjunto da mídia, é claro - são  'abastecidos'.
No blog 'O Boqueirão' (que é um blogue coletivo) e no meu blogue particular, eu coloquei a versão 'do outro lado', ou seja, das  vítimas, uma vez que a versão oficial já tinha saído na mídia local e regional com grande exposição. Espero que os bons policiais, que eu sei que são muitos em Santiago e região, seguramente a maioria, não se sintam ofendidos pela denúncia contida na matéria, originada devido à indignação causada pelos   excessos denunciados pelas vítimas e familiares e que, certamente, foi produzida por uma minoria, mas que, quando ocorre, seja contra quem for,  tem que ser denunciado  pela mídia e pelos cidadãos não omissos - e coibido  exemplarmente pelas autoridades responsáveis.
Cordial abraço,
Júlio Garcia 

Agora digo eu - Ok, grande Júlio Garcia! Vou dar o endereço para que leiam o artigo completo, se é que já não leram e vou postar teu comentário. Um forte abraço e obrigado por estar sempre atento à nossa Santiago.
João Lemes.

Leitores: entrem no blogue:

Isenção é isso!


Cheguei  na redação e vi esta resposta do prefeito Chicão ao colega Denilson Cortes, o qual acabara de redigir uma entrevista com ele. Vejam e reflitam sobre a palavra isenção, algo duramente conquistado pelo Expresso ao longo dos seus 15 anos. 

E sua relação com o Expresso ao longo destes oito anos?

Foi de sinceridade. Em alguns momentos fui criticado e aceitei. E sempre tenho dito que as críticas não são voltadas à pessoa ou ao prefeito. O jornal tem a obrigação de ver o que acontece na comunidade e mostrar. E a nossa nada mais é do que corrigir o que foi apontado. Chegaram a me dizer que o jornal era contra mim. Sempre discordei. O Expresso não pode fechar os olhos pra reivindicações e problemas da cidade. Foi uma relação de respeito mútuo e é assim que as instituições tem que funcionar. Se eu tivesse que resumir essa relação numa palavra, ela seria "respeito".

domingo, 28 de dezembro de 2008

Anos de Chumbo


Garcia critica a
segurança pública


“Fiquei sabendo que em Santiago estão acontecendo barbaridades com pessoas pobres, humildes, usadas como 'bois de piranha' para propagandear uma eficiência questionável por parte de órgãos da segurança pública. Refiro-me aos deprimentes fatos no bairro São Vicente. Uma família inteira de pessoas humildes está presa ilegalmente há mais de uma semana, gente que nada tinha a ver com a maconha encontrada numa casa próxima. Segundo os familiares e vizinhos, eles foram até espancados e humilhados, não faltando ainda ameaças de 'tocar fogo' na modesta residência, onde moram também crianças e idosos.

A casa do suposto criminoso também teria sido 'virada do avesso', quase arrasada durante a megaoperação policial, que contou com um contingente desproporcional de policiais civis e militares, cães, nesse verdadeiro aparato de guerra que não deve ter custado barato para os cofres do Estado.

O que está acontecendo em Santiago? Afinal, vivemos numa democracia e práticas covardes do período ditatorial, deveriam estar sepultadas com as demais práticas criminosas dos 'anos de chumbo'. Ainda mais se essas práticas são executadas por pessoas que se apresentam como 'agentes da lei'.”
Parte do artigo escrito por Júlio Garcia, extraído do blogue O Boqueirão)

Obs.: Este blogueiro não concorda com tudo o que disse Garcia. Sei como agem nossos policiais e jamais poderia ter havido espancamento. Conheço pessoalmente muitos dos jovens inspetores da nossa DP e são todos íntegros, bem intencionados. Vamos aguardar uma resposta dos senhores responsáveis.

Salve! Hoje é domingo!


Acabo de chegar na redação e vejo o Márcio trabalhando, o qual me diz que está tudo bem com o novo prefeito. Ele ouviu a entrevista com o Chicão, que pediu "Só apertem a mão de Júlio Ruivo no dia da posse. Nada de abraçá-lo, pois o cara quebrou cinco costelas ao cair do telhado de sua casa. Só estou brincando porque saí do hospital agora e sei que ele está bem", ponderou Chicão. A entrevista foi antes do meio-dia de hoje, na Rádio Santiago. 


Isso significa que ele vai de fato tomar posse. E eu pensei que o vice, apesar de estar pronto para não mandar por quatro anos,  já ia sair mandando desde o início. Bem me disse a Sandra Siqueira, se fosse com ela, iria na posse mesmo quebrada. "Ora se eu iria perder essa hora sagrada", disse.

Ouvi parte da entrevista do Chicão e adorei quando  disse: "Tempo findo, missão cumprida, consciência tranquila." (Já não coloquei trema porque em 2009 ele não existirá mais). Falando em 2009, o Expresso sai na véspera da virada, não esqueçam. Na sexta vou estar com os bois na sombra, tranquilo e sereno que nem baile de moreno. 

Nossa edição trará umas muito boas, como sempre. Tem pra todo mundo, não percam. E aviso aos senhores colunistas: só o Barbela e o Ruy entregaram as colunas, falta ainda uma meia-dúzia. Segunda será o último prazo. Quem não mandar, perde o espaço.

sábado, 27 de dezembro de 2008

Acidente


Fiquei chocado ao ler o blogue do Prates e constatar que o novo prefeito de Santiago acidentou-se em sua casa, quando estaria aparando galhos de um coqueiro. As telhas cederam e Júlio Ruivo caiu, fraturando algumas costelas. No momento, ele está no hospital e respira com dificuldades. Aguardemos, pois, o boletim da médica Sônia Nicola.

Festa de Natal

É lamentável que eu só tenha falado da vida alheia neste blogue e não contei como foi nossa festa de Natal, com direito ao presente de "amigo secreto" e muito peru, frutas e cerveja. Mas antes tarde do que nunca, então, lá vai:

Para minha felicidade, tirei minha amiga, a professora Rosane Vontobel. 


Eu fui apanhado pela outra amigona do peito, a querida Rejane Vontobel. 

Meu amigão Menna Barreto foi fisgado pelo meu filho João Henrique. 

A vó Joselina tirou a Sandra.


A Sandra, a Rejane. 

O Menna tirou a Suzana.


Já o Eri foi pego pelo Taborda que, para variar, confundiu o seu time do coração e, sem querer, deu-lhe um par de chinelos do Internacional. Foi o legítimo que deixou o Grêmio no chinelo.

Meu filho Fagner foi pego pelo Eri. 

Por sua vez, a minha filha Fernanda, tirou sua prima Jéssica, que veio do Salto do Jacuí para vê-la.


Olha o sogro Mário Siqueira, o Tio Valdomiro, aquele do livro, e eu. Foi uma noitada de alegria, dedicação mútua aos amigos e muitas brincadeiras. E foi só o começo, um prelúdio do que será a virada do ano-novo. Valeu, amigos. Até quarta.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Anos de chumbo?

Não é só este blogueiro que vê coisas erradas no setor policial de Santiago. Ontem ainda falei com a secretária de Cultura, Mônica Leal. Ela ficou apavorada com a ação do senhor delegado Brum, que deseja sair pelo comércio de Santiago usando de sua influência para que não anunciem no Expresso, tudo porque o jornal critica sua atuação. Mas isso é assunto para logo mais. Agora, quero mostrar o que o escritor Júlio Garcia falou de Santiago em seu blogue, criticando a polícia por agir contra pessoas inocentes, segundo ele.

"A pergunta que não pode calar: o que é mesmo que está acontecendo em Santiago? Afinal, vivemos numa democracia, num Estado Democrático e de Direito, ou não? Práticas covardes (como tortura física e psicológica, desrespeito, humilhações) oriundas do período ditatorial, atentatórias contra os Direitos Humanos, que deveriam estar sepultadas junto com as demais práticas criminosas ocorridas nos 'anos de chumbo', não podem jamais ser toleradas, em lugar nenhum do Brasil - e do mundo. Ainda mais se essas práticas nefastas são executadas por pessoas que se apresentam como 'agentes da lei'."

Juíza Cecília


 As críticas da juíza Cecília Laranja Bonotto, proferidas na diplomação dos eleitos, causaram repercussão. De fato foram contra minha pessoa, contra o jornal ou contra seus colunistas. Embora ela não tenha citado nomes (nem se manifestou a respeito do ofício que encaminhei),  sei bem o que os presentes interpretaram, a exemplo deste e-mail que acabo de receber, cuja fonte, prefiro preservar:

"Caro jornalista: Sobre a devolução da crítica pela juíza Cecília. Estive na diplomação e ficou muito claro ser encaminhada a ti. Acho engraçado. Em vez dela apenas julgar e fazer seu trabalho, auxiliando a comunidade, prefere defender “a classe” em público. Nessa hora “eles” se unem... E mais. Não era momento de defender os colegas em plena cerimônia de diplomação dos candidatos eleitos. Lamentável, até porque, o Expresso não ofendeu a honra nem a imagem de ninguém, apenas opinou ou noticiou."

Em tempo - Os juízes sabem, qualquer pessoa esclarecida sabe, que o jornal nunca recusou-se a publicar e a esclarecer os fatos, mesmo que fossem desgradáveis a nós, da direção, e ao próprio corpo do jornal.  Apesar disso, não fomos procurados pela ilustre magistrada, o que esperamos que o faça.

Recomeço

Sexta-feira abafada, nós aqui na redação, reencaminhando a nova edição, na qual traremos os fatos que foram manchete em 2008. Muitas críticas, muitas fotos, charges para o leitor rir, pensar e até chorar com o jornal símbolo do jornalismo impresso do interior, com uma tiragem beirando os 10 mil exemplares. O que é escrito aqui é lido por mais de 40 mil pessoas. Que prêmio para quem escreve! 


Bola da vez

Alguns comentários que já andei lendo por aqui dizem respeito à bola da vez. A Nossa tritícola. Soube que o Marco Plada estava num supermercado e disse poucas e boas contra os administradores e contra os sócios devedores. Não chamou de santo porque ninguém é. Esse Marco é galo de muita pua e do tipo peito duplo que cisca em qualquer terreiro. 

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Feliz Natal

Expresso com uma superedição nas ruas, coisa para matar a pau. E como foi bom ver as pessoas felizes dizendo: Oba: nosso jornal veio antes! Nem lembravam mais do aviso de que circularíamos na quarta. Mas enfim, outra batalha foi vencida e agradeço a Deus por isso. Ainda mais após aquele vinho e champanhe lá no Ruy. Fiquei com a moral lá em cima. Aliás, falando em Ruy, deixo a seguir um texto maravilhoso que surrupiei do seu blogue, com os desejos de Feliz Natal a todos. Volto só na quinta, pois vou ficar aqui no Menna e na Jane até amanhã. Festa e festa.


* OS VEREADORES
Só um milagre para evitar esse malfadado aumento do número de vereadores. Diga-me, leitor: você, se comandasse um escritório, uma fábrica, um supermercado, colocaria a tabalhar mais gente do que o necessário? Ocorre que os vereadores são os grandes cabos eleitorais dos deputados e senadores. Resistirão estes à pressão? o PIOR É QUE, SEM EMBARGO DAS DITAS SALVAGUARDAS, virão mais CCs, mais carros, mais gastanças. (Ruy Gessinger)

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Últimas da tarde

Olá, pessoal. Aqui vão as últimas da tarde. Depois, vou me enfurnar, que nem o Ruy, e só saio de lá na sexta-feira. E como bom vampiro que sou, é pela parte da noite. Não sou chegado aos raios solares. Mas bem, soube 'inda' há pouquinho, que o Vulmar Leite não tomará posse na subchefia da Casa Civil, não este ano. Ao que parece, há uma turminha do contra lá por Porto Alegre também. E eu nem imaginava que o doutor não se dava tão bem no meio dos doutores. Mas ele é competente, íntegro, certamente vai ter seu lugar merecido já nos primórdios  de 2009. Torço por ele!


Caso Tritícola


Tritícola não fecha acordo com sócios para contratar com a Cotrijuí. Júlio Forster disse que sua quebradeira é caso para a Polícia Federal. Leandro diz que se querem escolher novo presidente, todo mundo é livre, mas não deixem que a imprensa faça isso. Piada para nós, claro, o colunista Denilson Cortes, aqui do Expresso, praticamente pediu a saída dele. 

Em tempo - Esse Júlio Forster foi um dos poucos a cantar de galo lá na assembléia. Espero que ele seja mesmo melhor que o Leandro para não trocarmos gato por lebre. O irmão dele já ficou famoso. O Henrique, anda se incomodando com as contas mal prestadas obre os filmes que produziu com verba da Lei de Incentivo à Cultura. 

Peru indigesto

Já os políticos irão passar um Natal meio indigesto. O peru da festa tem no bojo um olhão da Justiça sobre suas contas mal esclarecidas. Nas do Moisés Gonçalves, de Unistalda, há um gasto mínimo, contra provas de um gasto maior. A promotora Fabiane entrou com recurso, desconfiada como só ela. No caso do Osvaldo Froner, Capão do Cipó, a cada dia surge um processo movido pela coligação derrotada, mas baseada em indícios quentes. Muito quentes. Vamos ver no que vai dar tudo isso. 

Mas é como me disse um amigo: esses juízes novos são sérios, os promotores idem. Ninguém mais quer colocar panos quentes em nada. Pior é que os políticos sabem disso e vivem tentando remediar. Enquanto não cassarem uma meia dúzia, ninguém aprende.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Em ritmo de feriadão

Segunda com cara quinta, preludiando um feriadão daqueles, época em que empregado público pouco vai ao serviço e, se vai, pouco trabalha. Claro, toda a regra tem exceções.  E a chuva, nada. Mas ela vem, nem que seja um pouco ela vem. 


Judiciário

Seguem repercutindo as minhas críticas contra as autoridades, tidas como intocáveis. Até uma juíza achou de se queimar com alguma coisa escrita aqui no Expresso e sampou o sarrafo. Claro, ela não citou o nome do jornal, nem dos colunistas, mas espero que o faça, pois todo mundo viu que suas palavras lá na diplomação foram dirigidas a nós. Por quê? Será que o judiciário não pode ser criticado nunca? São deuses, intocáveis? Claro que não. São trabalhadores como nós, portanto, passíveis de críticas. Mas para falar bem a verdade, ninguém mencionou o nome da juíza Laranja. Se  ela de fato se referiu a nós, a paulada foi gratuita. Tipo, promoção de Natal.


Vereadores

Há pouco soube que a confusão sobre número de vereadores só sai do papel em fevereiro, após o recesso, pois quem vai mesmo decidir a pendenga é o Judiciário, uma vez que o Senado e a Câmara não se entendem. E já tem gente falando em não aumentar a composição das Câmaras, estando mais longe ainda uma possível chamada dos suplentes para assumir neste ano vindouro.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Festinha!

Vejam como foi a festinha dos meus amigos lá no bairro Zamperetti. O que está ao redor das cervejas vazias é meu grande amigo e personal, o Gilberto -  Careca - Ainda bem que estava de folga! Os demais são o Patrola e o Guerrinha, bem acompanhados, diga-se de passagem.


A propósito: minha postagem de ontem vai cair nas mãos da governadora rapidinho. Já anda pelos corredores do palácio. 

sábado, 20 de dezembro de 2008

Podres das autoridades

Descobri mais um podre envolvendo nossas ditas autoridades. Uma delas colocou um humilde trabalhador numa sala de delegacia e desacatou, buscando amedrontá-lo e querendo que o jornal nuca mais o critique. Ousou em dizer até que irá nas empresas usar de sua "influência" para "melar" e exigir que não anunciem no Expresso, sem saber o infeliz, que as empresas anunciam para poder vender mais, não para agradar a ninguém, muito menos a ele. 

Estilo policialesco

E tenho prova disso, senhores, vou revelá-las em momento oportuno para que todos vejam como agem os homens que são pagos com o nosso salário por meio dos pesados impostos do governo a que eles mesmos pertencem e defendem com suas filiações partidárias. De quebra, passam a humilhar pobres cidadãos que nada têm a ver com seus desafetos. Mas isso não ficará assim. Dou minha palavra de honra. E só me calo se me matarem, porque mesmo preso exercerei meu direito à liberdade de expressão. E pelo jeito, vem mais uma sindicância por aí, além de tantas outras, até uma de abuso de autoridade contra servidores públicos, bem ao estilo policialesco sob o comando da dona Yeda Crusius.

Estúdio importado?

Outra autoridade montou um verdadeiro estúdio de gravação em sua casa. Nada contra. Só que esse rapaz trouxe quase tudo do Paraguai, sem nota, claro. As fontes denunciadoras ainda vão avante; dizem que ao topar com uma barreira, mandou uma viatura ir rebocá-lo. É isso, gente. São por essas e outras que essa gente quer calar os jornalistas, ameaçando com processos e com a força da lei, as quais, eles pensam ser eles próprios.

Tráfico de influência

Outra vez, uma "amiga especial" andava de moto por aí, exibindo o presente dado por ele. Ao cair na barreira. Ligaram pro cara e, a partir daquele dia, os caras não puderam mais "ver" a motinho na cidade. Ou seja, fecharam os olhos numa evidente troca de figurinha. Esta é Santiago, minha gente! Agora, se fosse você que estivesse com seu carango estacionado numa garagem que seja, a multa te lascaria, te comeria, te engoliria. 
E há muito mais podres, mas poucos têm coragem de falar.



Só com o toco

Não só críticas para Abreu. Administrar pode não ser o seu forte, mas como vereador é um espetáculo, sendo um ponto de equilíbrio na Câmara, sempre com discursos fortes e bom senso na hora de votar projetos. Já entrou para a história conquistando o sexto mandato consecutivo, uma marca que é só sua. Carisma e competência ele tem. Acostumado a pelejar com a ponta da adaga representando o PDT, agora vai ensinar aos colegas Diniz Cogo, Arlindo Alves e Pedro Bassin como é que se peleja só com o toco, já que a oposição a partir de 2009 vai capengar.
Falando em Neco, segunda-feira ele será convidado a dar-nos uma entrevista para o Expresso de quarta, analisando o mandato e sobre as obras e demais trabalhos na Câmara. Esteja preparado, Nequinho.


Assinando com o diabo

O vereador Miguel Bianchini não topa mesmo as indústrias de celulose. Ele comentou que no sábado, enquanto almoçava em pé e lia o Expresso, viu a notícia de que o seu partido tinha recebido doações da Aracruz e ficou desgostoso. “Liguei para o Ruivo, perguntei sobre isso e ele me garantiu que o dinheiro era de uma indústria de cana e não de celulose. Espero que seja isso, porque político que recebe dinheiro de indústria de celulose na campanha eleitoral está vendendo a alma pro diabo”, criticou.

A volta de Cadó
Nesta semana, o técnico da Emater Renató Cadó, que concorreu a vice-prefeito na última eleição, esteve de volta à Câmara de Vereadores. Até o final do ano, Cadó deve substituir o vereador Accácio Oliveira, que está se recuperando de uma cirurgia. Suplente, ele exerceu o cargo de vereador durante dois anos, enquanto Palma estava em tratamento de saúde. 


Que dó, Cadó...

O suplente e às vezes vereador Renato Cadó deixou o Binho Gomes todo esperançoso. Ao vê-lo no plenário da Câmara, ele Cadó afirmou que ele assumiria como vereador a partir de 2009, junto com o Algeu Disconzi, do PMDB e o Sérgio Marion, do PT. Ele acredita que as vagas possam ser aumentadas diante de votação do Senado a respeito do número de vereadores. Mas acontece que, para valer, tal lei deveria ter sido aprovada um ano antes da eleição. E não foi.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Jaguari:

Foto: Genésio Piveta


Peemedebistas absolvidos

Agora há pouco, fiquei sabendo que o ex-prefeito Caio Jordão e o vereador Genésio Piveta (6 mandatos), ambos do PMDB de Jaguari, foram absolvidos pela 4 ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado, no famoso caso em que Genésio havia sido condenado em Jaguari, a 40 anos de cadeia. Me parece que o processo era referente a umas madeiras. O Expresso, à época, não deu muita bola para esse caso, pois esperava o desfecho, que agora sai, para a felicidade do partido jaguariense que ora reconquista o poder. 

Presidência

Falando em posse, já soube de um possível acerto para a presidência da Câmara de Santiago. Bianchini e Davi ficariam no primeiro ano, no segundo, talvez seja o Cláudio ou o próprio Davi. E o Marquinho, que busca por esse mesmo segundo ano, será que vai levar? Tudo pode acontecer, ainda mais num ano em que o PP terá a maioria: 6 contra 4. E não me venham com essa de novos vereadores que ninguém mais vai entrar. Parem de alimentar ilusões.

Vou choraaaar...


...desculpe mas eu vou chorar

Olhem para os nossos eleitos. Nem parecem que são felizes com a diplomação. Com umas caras de réus, até fazem lembrar cachorros caídos de alguma mudança ou time que ganhou o segundo lugar. Cadê o sorriso? Cadê a vontade de trabalhar pelo povo? 

A propósito: 
Digam pro Bianchini tirar aquele bigodezinho do tio Nanato, ou de chinês, como queiram.  A barba tipo "cossaco", estava menos pior.


Reconhecimento ao Jones

Poucas pessoas têm a ética e o valor do radialista Jones Diniz, pessoa que goza de respeito em todos os setores de nossa cidade. Infelizmente, um comentário postado aqui neste blogue, o chamou de puxa-saco do Vulmar Leite, coisa que eu, particularmente, não acredito. Mas bem, como o espaço é democrático, publico agora o que o Jones Escreveu, para colocar fim a essa história, a qual, já está me dando nos nervos. (Caro Jones, o leitor disse que és imparcial, e falou a verdade, neste ponto. Tu és imparcial sim  e com louvores. Tens minha admiração por isso. Um abração.)

A ditadura voltou!

Mais adiante voltarei com algo pesado contra algumas autoridades em Santiago, mas é pesado mesmo. E digo mais: ninguém vai me deter, tampouco algumas autoridades que usam do recinto público para humilhar as pessoas, como fizeram há pouco com um jovem santiaguense. Vem bomba, senhor. Sabe o que disse e terá que engolir, pois rovas não me faltam.


Agora, o comentário enviado por Jones Diniz:
(ele esqueceu de assinar, mas sei que foi ele quem enviou).

"Prezado João, tem coisas que é importante a gente refletir, como por exemplo, os vícios de linguagem. A denominação de " doutor" é uma delas. O texto no qual se refere à minha pessoa, não reflete a verdade, com relação ao termo puxa-saco. Nunca fui parcial, sempre procurei prestar um atendimento na medida certa para todos. 

O fato de tratar o engenheiro Vulmar Leite de "doutor" não significa que os demais (citados) sejam mais ou menos importantes no contexto do meu trabalho, pois quando se tratou de espaços, todos tiveram o mesmo tempo. 

Eu não sei o que gerou isso tudo, mas posso afirmar aos seus leitores que não trato as pessoas pelo que elas representam em suas funções, suas riquezas materiais, rótulos, credos, cor da pele. Pois somos sabedores de que na hora da morte de nada adianta tudo isso. 

Estou certo de que trato todos com igualdade porque são seres humanos. Nunca dependi de usar o argumento popular - "puxa-saco" para conseguir alguma coisa na vida. Pela primeira vez manifesto esta contrariedade. Não sou perfeito, porque sou ser humano, mas fica difil admitir inverdades. 

Não é um titulo que torma uma pessoa mais importante que a outra. Isso também não significa tratamento diferenciado. Minha vida profissional, nunca foi um barco à vela que sempre dependeu do vento para navegar; ao contrário: traço um objetivo é busco conquistar um novo horizonte, sem pisar na sombra dos outros."

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Café poético

MENSAGEM RECEBIDA:


Caros amigos,

Amanhã, sexta-feira dia 19 de dezembro de 2008, estaremos realizando o primeiro:
Cafézinho Poético --- aberto ao público
Objetivo: Ler poesias ou textos interessantes e realizar debates, em um contato informal.
Horas: 20:00
Local: Centro Cultural de Santiago
Todos estão convidados!
Será aberto um livro ata de contagem de cafezinhos....vamos divulgar o evento para todos os amigos que conhecemos.
Abraços
Giovani Pasini

Doutores da política

Rudimar Santos Santolim deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Ainda sobre Vulmar Leite":

"O Jones é um radialista imparcial e puxa saco do Vulmar. Durante a cobertura do pleito ele chamava todos os demais concorrentes pelo nome. O Júlio Ruivo, o Júlio Prates e o Sandro. O Sandro, tá certo, não é formado em nada. O Ruivo é bacharel em medicina veterinária. O Prates, é bacharel em Direito. O Vulmar, é bacharel em engenharia agronômica. Tanto Prates quanto Ruivo tem pós graduações e Vulmar não tem nenhuma. Inobstante tudo isso, Jones Diniz só referia a Vulmar como "Dr. Vulmar". Por que esse tratamento diferenciado? Vulmar nunca fez pós-graduação em nada, nunca passou perto de bancos de mestrado e doutorado, então por que esse tratamento diferenciado? A conclusão a que eu chego é que Jones é um puxa saco do Vulmar, senão nada explica esse tratamento diferenciado e desigual dele aos candidatos de Santiago."

Gélson Limana x Iguaçu

Em função da boa vizinhança, e levando em conta a seriedade do meu amigo Gélson Limana, tirei do ar a postagem sobre a Iguaçu, de que a coisas não estavam bem esclarecidas. Soube que tudo já foi resolvido. Até fui procurado pelo Gélson, a quem conheço de longa data e, mesmo não podendo ter uma boa conversa com ele em função das horas que voam aqui no Expresso, já sei do que se trata. 

Então, Gélson, boa sorte na nova empreitada e sucesso a todos aí da grande emissora.

Ainda sobre Vulmar Leite


Ontem fiquei fora do ar, mas já estou novamente na ativa, com a internet a mil. Posto, então, os comentários sobre Vulmar Leite e seu cargo no governo do Estado. Vejam os prós e os contras.

DE UM ANÔNIMO
"Que falta de bom senso e visão política desses provincianos. Esquecem-se que o Dr. Vulmar foi chamado a casa civil por sua notória competência, visão política e formação técnica, disparada a melhor de Santiago. Dr. Vulmar é um técnico reconhecido nacionalmente e fora de Santiago. A governadora está certa e foi uma feliz escolha levar um homem dessa envergadura para dentro do palácio. As oposições de Santiago agora tem um líder de projeção estadual e que ocupa o terceiro maior cargo do Estado, prova de quanto o povo de Santiago se equivocou ao não elegê-lo. Os do outro partido, quando muito arrumam uma boquinha de assessor de 5° escalão para não morrer de fome. Por que não ocupam cargos relevantes e nem são conhecidos fora de Santiago? Por que seus universos são medíocres e suas visões de mundo limitadas, quando muito ultrapassam Ernesto Alves."

DO PRÓPRIO VULMAR:

Prezado João!
Não há entrevista exclusiva para o Jornalista Jones Diniz e nem para outro órgão de imprensa. Apenas disse ao Jones Diniz (solicitado a dar uma entrevista à rádio Santiago), que somente falaria sobre o assunto Casa Civil na sexta-feira, quando, possivelmente, saberia das minhas atividades no governo (quinta-feira) – não posso falar sobre assuntos que não me foram delegados. A mesma coisa disse para o Márcio, com a ressalva de que poderia antecipar as respostas solicitadas para quinta-feira, em respeito ao fechamento do Jornal.
Lamento a incompreensão e as manifestações agressivas publicadas no teu blog. São gratuitas, desnecessárias e não contribuem para o diálogo produtivo.
Abraços, Vulmar.

DE OUTRO ANÔNIMO
Mas o ciúme do “home”... caro João Lemes, eu fosse o senhor deixava de perder tempo falando do Vulmar, fica claro que o Sr. não gosta dele e ele não gosta do Sr., no meu ponto de vista ele não da a mínima para o que é falado dele. É apenas a opinião de um leitor diário de seu Blogger. Abraço.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Fora do ar

Olá, gente. Passamos a tarde fora do ar devido a um problema com a SantiagoNet. Esta postagem faço na casa de um amigo. Talvez eu volte só à tarde. Tenho poucas e boas. Aguardem.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Tramando na madrugada

E neste momento (12:45),  membros da imprensa do tipo "escanteados" estão reunidos com alguns setores do PP. De duas é uma: ou estão chorando miséria ou aderindo a um novo plano para tentar intimidar o novo prefeito. Mas que tirem o cavalo da chuva, o homem não se dobra. E por falar em escanteados, o setor do PP a que me refiro também é um dos escanteados, pois é liderado por aquele tal que tentava rachar o partido só porque não gostava do Ruivo. Vejam, tá querendo dar o troco no cara após a sua eleição, se macomunando. Estou de olho. Quem duvidar, que vá até nas proximidades da pracinha de brinquedos e veja com seus próprios olhos.

Do leitor

Vulmar está de novo acomodado numa teta bem como é o seu costume e sua prática ao longo de sua vida. Como subchefe da casa civil ou chefe substituto terá uma vida e tanto em meio a benesses e mordomias. Usou os trouxas da "oposição" como escadinha para suas pretensões pessoais. E os que ficaram agora se olham e o Diniz não pode reclamar ele era um dos mais entusiasmados com Vulmar, ou ele queria a subchefia para ele?

Télvio 

Últimas do dia

Câmara

Por que a Câmara de Santiago paga gente para ser assessor de imprensa se não manda quase nada aos jornais e muito menos atualiza o site da casa? Cadê o valor gasto com diárias, notícias sobre a obra da garagem e mais uma montanha de coisas? Hoje ainda liguei para o celular da presidência e o telefone, que é da Câmara, foi atendido por uma mulher. E não é a primeira vez. Talvez seja a esposa do presidente, mas não é ela quem resolve os pepinos da Câmara, é?

Parque

Moro próximo ao parque  Zamperetti e aqui faço um apelo ao Frederico, se ele ainda é secretário de Obras e manda alguma coisa. O cachorro do senhor que cuida do local grita dia e noite. Não sei como o dono dele aguenta. Porque nós, vizinhos, estamos surdos de tanto grito daquele bicho. E põem goela!

Vulmar

Mandamos várias perguntas ao Vulmar, mas ele, que é mecenas da imprensa, já havia comprometido-se em dar uma exclusiva ao Jones na sexta-feira. Aí, ele quer mandar as respostas aos jornais só quinta, quando ele bem sabe que já estaremos encerrando os trabalhos. Não adianta, ele sempre tem suas artimanhas.

Vulmar II

Se fosse em outros tempos, ele queria espaço "isonômico" aqui no Expresso, tendo em vista que outro jornal teria oferecido, como se nós tivéssemos alguma coisa  a ver com outros. Se fizéssemos isso, ficar fazendo o que outros fazem, o Expresso não seria a potência que é hoje. E tem mais. O Vulmar que fique lá com suas manias arcaicas que nós tocamos o barco.

Vulmar III

Tá pensando que é uma baita entrevista que vamos colocar, mas não é nada disso, afinal, é só para mostrar ao povo que a sua eleição era carta marcada, ou seja, a Yeda deve ter dito a ele: concorra que eu te chamo, se fizer bastante voto. (decifrando o bastante: é não fazer tão feio). Bem disse o vereador Diniz, que apoiou sua campanha: "Os sujeitos se lançam numa campanha suicida para depois ganhar um cargo no governo do Estado". Se deu para os companheiros falarem, que dirá nós, que somos independentes.

Binho, Marion e Disconzi

Acordei e já li nos jornais a manchete de que os atuais suplentes de vereador podem assumir vaga. No caso de Santiago, seriam três: Binho (PP) Marionzinho (PT) e o professor Algeu (PMDB). A PEC que regula essa questão, aumentando o número de vereadores, ainda precisa ser votada no Senado, o que seria feito hoje. Há quem diga que a medida vale para este próximo ano. E já tem gente em Santiago saudando o Binho e os demais possíveis vereadores. Coisa de louco, contarem com o ovo sem estar no ninho da galinha. Eu duvido, pois a Constituição determina que toda a alteração eleitoral deve ser feita, no mínimo um ano antes da eleição. Esta, meu filho, só vai valer para a legislatura de 2013.  

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Garaialdi, grande Figura!

No último sábado me encontrei mais uma vez com o advogado e professor universitário Miguel Garaialdi. Inteligente, alegre, distinto e dono de muita admiração em todo o Vale do Jaguari, o ilustre advogado se fez presente na festa Os Melhores do Ano, sendo mais uma vez premiado como destaque na advocacia vianense e regional. Para este blogueiro, particularmente, foi uma honra também ter autografado um livro para sua esposa Jocelaine que, por ser professora, levará meu trabalho para a escola onde leciona. Quer usá-lo em aula com seus alunos, o que é outro orgulho. Obrigado, meus amigos. Desejo ainda mais sucesso a essa família maravilhosa, queridos e simpáticos apoiadores dos projetos sociais e culturais que envolvem a região.

Segunda corrida

Depois de um final de semana de intensas programações, preludiando o final de ano, a semana inicia em ritmo ainda mais acelerado. Um exemplo é a nossa segunda-feira, a qual está sendo agitadíssima aqui no Expresso, com serviço para todos os lados.


Melhores do Ano

Sábado foi a vez de São Francisco aplaudir Os Melhores do Ano- 2008. O CTG Negrinho do Pastoreio foi o palco da festa, aliás, CTG só no nome porque o cenário era de um clube dos mais requintados. Quem foi à festa em Santiago pode ter uma idéia de como ficou o ambiente lá em São Francisco, pois foi organizado nos mesmos moldes.


Obrigado, São Chico

Também aproveitamos a festa para fazermos o último lançamento do meu livro na região, dentro do ano de 2008. Depois de Santiago, Jaguari, chegou a vez de emocionar-me em São Francisco, onde tive a alegria de autografar o trabalho para dezenas de assisenses, aos quais agradeço de todo o meu coração.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

De volta ao ninho


A notícia mais quente da tarde veio agora há pouco. O nosso ex-prefeito Vulmar Leite vai de fato assumir o cargo de subchefe da Casa Civil. Taí o tucano voltando ao ninho, aliás, ninho que ocupou no tempo de Rigotto, que era do PMDB. Certamente é uma boa chance no governo Yeda a ele, por ser competente e ter prestado um bom trabalho outrora, na área de Reforma Agrária. Desejo-lhe sorte neste novo ofício.

Sexta do Expresso


Como diria Tito Beccon, sexta-feira não seria sexta sem o Expresso. Hábito é hábito, não é, Tito? Pois bem, é incrível como as pessoas ficam ansiosas para ler nosso jornal, o qual, percorre um longo caminho até as mãos dos leitores. E não são nem 500, nem mil exemplares, são 10 mil que chegam em toda a região com notícias das mais diversas. Cabe dizer aqui, o que eu falei em Jaguari, na festa Os Melhores do Ano: a pontualidade e periodicidade do Expresso são nossos maiores orgulhos. Em quase 16 anos de história, jamais deixamos de circular uma edição sequer. Isso também é história.


E neste sábado teremos mais um evento Os Melhores do Ano em São Francisco. A Sandra Siqueira e sua equipe estão a postos para mais este compromisso com a comunidade assisense.  

Era Chicão no fim

Falta pouco para encerrar a Era Chicão, consagrando José Francisco Gorski como o homem que mais tempo ficou na prefeitura de Santiago ininterruptamente (12 anos). Em seu lugar entrará Júlio Ruivo, outro que vai acabar ultrapassando a marca de Chicão, já que o mesmo tem 20 anos de trabalho público, como vereador, secretário e vice-prefeito. Ruivo trilhou um percurso que muitos não conseguem e agora torcemos que tudo dê certo em sua outra jornada.

 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Quinta de boas notícias

É COM PRAZER QUE PUBLICO O E-MAIL ABAIXO, PORTADOR DE BOAS NOTÍCIAS, A RESPEITO DO EMPRESÁRIO CAIO SUDATTI, O QUAL, PASSA BEM APÓS O ACIDENTE EM SANTA CRUZ. LEIAM:



Caro João Lemes,
Soube através do teu blog do acidente do meu querido amigo Caio Sudati. E pelo alcance do que é noticiado aqui,me sinto na obrigação de informar. Pois fiquei muito preocupado e creio que quem leu a notícia e o conhece, também ficou.
Estive faz pouco no Hospital de Santa Cruz do Sul e conversei com ele, sua esposa Gisele, igualmente querida e o filho Gustavo. O Caio foi hoje para quarto e está bem, inclusive conversamos. Teve fraturas em algumas costelas, está com um pequeno corte no supercílio e não há traumatismo craniano. Somente dores em razão da batida. Ainda não há previsão de alta, mas creio e torço para que seja em breve!

Escrevo ao blog para dar alívio aos amigos dessa grande pessoa!!
Cordial abraço,
Rodrigo Medeiros 

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Quarta perigosa

                                                                                     Foto: Caio Sudatti

Esta quarta-feira não está muito boa. Dois conhecidos santiaguenses sofreram acidentes de carro. Éldrio Machado e Caio Sudatti. O primeiro está fora de perigo, mas Sudatti está hospitalizado em Santa Cruz, com coágulo na cabeça. Ambos os empresários (Éldrio e Sudatti) parecem ter marcado data para acidentarem-se. Éldrio foi hoje pela manhã, próximo a Bossoroca, e Sudatti no mesmo dia, só em local distinto, em Santa Cruz. 


terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Terça molhada

Ainda bem! Não aguentava mais o calorão. Por mais que a chuva só sirva para apagar o pó, já vai ajudar aos produtores da região. Pela Rádio Santiago soube que choveria 2 milímetros, mas pela voz do especialista em meteorologia, o colega Denilson Cortes, choverá mais de 40 mm. Vamos aguardar!


Devo e não nego!

Também estamos às voltas com os futuros prefeitos. Com a desaprovação das contas, descobri que um deles, o de Capão do Cipó, tem vários processos de execução na Justiça, e nada é segredo. Sei, ele vai me dizer que foi fruto das políticas agrícolas. Esperamos que a Prefeitura ele consiga administrar bem melhor.

Jaguari do João Mário

Em Jaguari a situação é mais tranquila para João Mário, pois mesmo com a desaprovação das contas de campanha, teria que haver indícios de algum crime, compra de votos etc, e que realmente isso pesasse na eleição. Por mais que o PP entrasse com um processo pedindo a anulação da eleição, não vai dar em nada. O Juiz nem recebeu. 

Meu livro...

Estou muito feliz nesta semana, pois soube que meu livro foi escolhido o "O Livro do Ano", em São Luiz Gonzaga. Claro que não houve nenhum concurso, apenas foi uma citação de um professor que escreve no jornal local. Mas valeu, pois quando se sabe do nível de quem escreve, o elogio é maior ainda. Só resta dizer obrigado.

...na UFSM

Já na semana que vem, um acadêmico da URI vai defender seu trabalho sobre meu livro na UFSM, junto aos cobrões de literatura. Também espero um bom resultado. Caso não venha, já valeu pela classificação do trabalho dele.

Fiscais

Dia desses falei no fiscal César Souza, lá da prefeitura. Aquele rapaz da polêmica entre Vulmar e o empresário Guterres, lembram? Pois é. Há horas viemos tentando falar com ele para saber sobre os terrenos sujos pela cidade, mas o cara anda ocupadíssimo, não pode nos receber. Só espero que sua ocupação não esteja relacionada a algum trabalho no diretório do PP  do qual ele é filiado.
Eu volto.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Segunda preguiçosa

Dirigentes colorados e o Claudiomiro, atualizando sua leitura com o Expresso.


Meu diário de bordo

Olá, amigos. Segunda-feira quente, preguiçosa, boa para ficar sem fazer nada, aproveitando o feriado. Alguns, aqui da casa, incluindo este que vos fala, tiveram que vir pro jornal, pois a edição de sexta promete ser grande e grandiosa. Temos notícias de lado a lado da região, de Bossoroca a Jaguari, de Nova Esperança, São Chico, Mata, São Vicente, cruzando por Santiago e chegando a Unistalda e muito mais...

Bota sombra boa nisso, lá no meu amigo Ruy Gessinger. Entre as celebridades: Afonso da Mota, Alceu Nicola, Clovis Brum, Nelson Abreu, prefeito Ribeiro (Unistalda) e o vice-prefeito (próximo) de São Luiz, Mário Meira.


Unistalda do Pau-Ferro!

Em Unistalda almocei com amigos, na Pecuária Gessinger. O encontro foi sábado. Após a excelente recepção a cargo dos amigos Ruy e Maristela Gessinger (mais o Rudolf), fomos pra Unistalda, levando a tiracolo o grande Afonso da Mota, vice-presidente do grupo RBS. Nosso objetivo: a feira de ovinos, que por sinal, estava pra lá de boa.

Pela região

De volta pra Santiago, só paramos alguns minutos pra tomar água e, num zás, nos bandeamos para Nova Esperança, onde os veteranos do Internacional estariam jogando. Claudiomiro (este não teve condições de jogo), Balalo, Pinga, Maurício e tantos outros craques meteram 3x0 no time da casa. A festa esportiva marcou a inauguração do estádio Mário Scalon.

O blogueiro e o advogado Rodrigo Vontobel, meu amigo e colunista do Expresso.
Todos à sombra. Vida boa!

Entre amigos

Domingo, outra festa entre amigos. Desta vez, na casa da querida professora Rosane Vontobel Rodrigues. Só saímos de lá no final da tarde, após um bom banho de piscina. Vez por outra, o calor também era amenizado com uma gelada Bohêmia. Em minha companhia, pessoas adoráveis como o Luiz Alfredo Menna Barreto (e a alegre Rejane), o José Eri, sua esposa Rosane e o filho Rodrigo, mais o Luciano e esposa Ana (Santa Maria) e tantas outros.  Um beijo a todos e até a próxima.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Sexta quente

Sexta calorosa em Santiago, ainda mais depois de uma superedição do Expresso, com todos os prós e contras sobre o assunto da vez: a crise na Cooperativa Tritícola. Amanhã, tenho compromisso em Unistalda e em Nova Esperança. Por ora, fico no aguardo dos fatos por casa mesmo.

Modernidade na imprensa

Santiago ferve entre uma notícia e outra, sempre enlameadas por algum tipo de fofoca. E até alguns membros da imprensa, agora inventaram mais uma maneira de noticiar: antes de iniciar suas matérias, reportagens em geral, dão uma lambuzada nos fatos alheios ao momento. Estão mudando a forma do jornalismo, opinando em matéria que deveria ser veiculada com mais ética, e até dão pitacos em outros veículos nesta mesma reportagem. Pior ainda é o auto-elogio na introdução, como se fossem os melhores. Até parece que não existe espaço próprio a esse fim.

Contas desaprovadas

Outro assunto da hora diz respeito aos políticos da região, cujas contas da campanha ainda não foram aprovadas. Mas acho que é cedo para se falar em coisa mais drástica, cassação etc. Até porque cabe recurso em todas as decisões.

Até mais ver

Por hoje era só, pessoal. Vou ficando por aqui. Prometo voltar amanhã com mais algumas novidades, sempre lembrando que o meu Inter é campeão de todos os certames, menos de um, claro, o qual, não queremos nem de graça, que é o da Segunda Divisão. Fui...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Pura sacanagem


Meus amigos sempre estão a inventar uma coisa e outra. Mesmo com o trabalho a toque de caixa, eles acham tempo para fazer artimanhas. Depois, sou eu o vilão aqui da casa, mas vejam esta situação criada pelo Márcio Brasil, retratando o meu amigo Careca. Falando mal do coitado, só porque ele cuida minha casa, carrega meu filho pra escola, me orienta no futebol e nas corridas de final de tarde e ainda empresta a churrasqueira. (Ah, e com os espetos).  Às vezes, peço que ele ainda asse a carne e leve a cerveja. Será que é motivo para despertar ciumeira nos demais colegas do Expresso?Analisem, caros leitores.  E vejam a sacanagem do Márcio comigo e com o Careca (Gilberto Aguirre).

Guaiaca nua



EIS UMA PALHINHA DO QUE VAI SAIR NO EXPRESSO. UMA ENTREVISTA DE LASCAR A GUAIACA COM O NOSSO LEANDRO CARDOSO FERREIRA, PRESIDENTE DA COOPERATIVA TRITÍCOLA, A QUAL, AMARGA UMA DAS PIORES CRISES DE SUA HISTÓRIA.

Qual o patrimônio?
 E a dívida?
O patrimônio está avaliado em R$ 25 milhões. Nossa dívida bruta é de 53 milhões. A líquida, ou seja, a dívida bruta, menos os créditos a receber e os estoques, está em 25 milhões. O faturamento bruto anual é de 120 milhões.

“A Tritícola tem a receber dos produtores 19 milhões. Desse total, 11 milhões são contas vencidas e 8 a vencer. O maior devedor deve, excluindo juros futuros, 590 mil reais”. 
(Leandro Cardoso, presidente da Cooperativa Tritícola)

Falta de respeito

Policial agredido

A falta de mais gente na Polícia Rodoviária Estadual quase causou uma tragédia na RS 377 há poucos dias. Na tarde de sábado, apenas um patrulheiro estava de serviço e parou um caminhão. O motorista não era habilitado, então, deveria providenciar outra pessoa para dirigir. Uma hora depois chegou um carro e mais gente. Quando o motorista ia assinar a multa, investiu contra o policial e causou lesões nos braços.

E-mail da professora Antonia

Achei , por acaso seu blog. Adorei o que li.
Seus comentários são interessantíssimos. Sou de Santiago (fui professora aí) mas resido em Porto Alegre há mais de vinte anos. Pena que não soube da presença de vocês no Mercado Público, com seus livros. Teria dado uma chegadnha lá. Estive em Santiago, por ocasião da Feira do Livro. Justamente no dia em que minha amiga Ayda Bocchi Brum autografou seu livro.
Olha: tenho dois sites, onde estou colocando poemas dos poetas de Santiago. Se quiser ver, são estes:
http://br.geocities.com/vyrena_amigos e http://br.geocities.com/fonte_de_sonhos.
Um abraço e continue nos brindando com suas "reportagens"
Antonia Nery Vanti 

Vale a pena ler:

Unistalda, terra buena,
de gaúchos laçadores
a moçada é torena
e as mulheres são amores
capital do bem querer
do pau ferro e do terneiro
paraíso do meu ser
sou feliz o ano inteiro
 
Buenas, gente! Unistalda é uma cidadezinha charmosa, sem frrescura, não tem juiz, não tem promotor  e não tem delegado, porque não tem "percisão" disso. Os nefastos são corridos a facão pelo povo mesmo. É a utopia brasileira: nada de criminalidade, nada de analfabetismo, mas muita ovelha e buena. Sábado agora, dia  6, às 15 horas,  vai ter Carneiros, Borregos, cordeiros, cordeiras, ovelhas, de tudo quanto é raça. Vai ser a barbada do ano, mais de 1.000 ovinos. Eu mesmo vou levar desde um borrego premiado na Expointer, que vale uns 2.500 pilas, até ovelhas rebanho geral que, por qualquer 80 pilas já se vão.
(Texto extraído do blogue de Ruy Armando Gessiger, um gaudério que tem dois corações: um para Santiago e outro para Unistalda).
Leia mais em www.blog.ruygessinger.com.br

Bela quinta-feira

Acordei mais cedo e já estou pronto para a luta aqui na redação. Devemos encerrar tudo até às 20 horas para que, amanhã cedinho, as bombas já estejam nas mãos de todos os leitores. O dia está bonito, ainda mais com a vitória do meu time, o Internacional, trazendo título inédito para o Brasil.  

Logo cedo, fiz meu chimarrão e fiquei ligado na nossa querida Rádio Santiago, ouvindo meus amigos Paulo Pinheiro e Jones Diniz. Mas falando em Jones, acredito que ele fez uso da famosa expressão "assim, óh, umas 8 vezes. 

Lá pelas 11, a professora da URI, Terezinha Bombassaro foi falar do vestibular de verão. Com ela estava um rapaz chamado Paulo Pinto, com uma voz de radialista, abordando as maravilhas do curso de Letras. Ele falava muito bem e incentivou a todos para fazer esse curso na URI.

Seu linguajar estava corretíssimo, até a parte da "curtição". Lá pelas tantas o cara me saiu com esta, dizendo que "curtiu" isso e aquilo. Até pensei que também trabalhava num curtume, ou misturou gíria com um belo palavreado. Coisas das pragas lingüísticas. 

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Pela hora da morte
Um porto-alegrense ficou para morrer com os preços cobrados por um capela no cemitério de Santiago: cerca de R$ 25 mil. Ele comparou que, na capital do Estado, os jazigos mais luxuosos não passam de R$ 15 mil, como o dos pilotos da TAM, que foram enterrados em Porto Alegre com todas as honras.

Assim, até eu
O vereador Bianchini não concorda com os elogios que a governadora Yeda está recebendo por pagar em dia o 13º salário. "Essa coisa de déficit zero é uma ilusão. Ela pegou um empréstimo bilionário com o BID e agora está alardeando que o Estado está em dia. Se eu estou cheio de contas e for pegar um empréstimo, pago as minhas contas, sobre dinheiro e ainda saio dando risada. Mas só adiei para frente o meu problema, pois tenho que pagar o banco", criticou o legislador.

Pedra no Peixoto
Diniz Cogo, do PMDB, não pode ver Marco Peixoto, do PP, quieto. Vez por outra, o gringuinho da Betânia dá uma alfinetada nele. Numa sessão da Câmara, Bianchini aproveitou a crítica do Diniz a respeito da inacabada 377, para dizer que a culpa é do Rigotto. "Ele veio aí para inaugurar uma obra que nem pronta estava", disse. Mas Diniz devolveu na tampa. "Pior é o deputado Marco que na inauguração discursava como se fosse o dono da estrada". Esses dois adoram bater boca...

De novo, a Tritícola

O homem abriu a boca


Acabo de receber as respostas do cara mais badalado de Santiago. Leandro Cardoso resolveu botar tudo pra fora e rasgou baixeiro com os podres da Tritícola. Ele contará tudo, aliás, já contou, por enquanto, só pra nós, da redação. Na sexta, será uma bomba sobre Santiago. Eu até subestimei o homem, mas não é que ele respondeu a todas as perguntas? Coisa de louco, tchê! E como diz meu tio Valdomiro, vem mecha! Amanhã eu vou adiantar aqui alguma coisa dita por ele e parte das "capciosas" que nossa equipe fez, com a colaboração do Denilson, do Márcio e minha própria eh,eh,eh. Aguardemos, pois!

Santiaguense em destaque

O ex-desembargador Ruy Gessinger tem trabalhado muito no seu escritório de advocacia em Porto Alegre. Depois de ter defendido a secretária de Cultura Mônica Leal das acusações infundadas sobre fraudes na Lei da Cultura, ele está às voltas com os processos de improbidade contra Marcelo Machado, prefeito de Sapucaia. Há poucos dias ele havia sido afastado do cargo, mas o atuante advogado fez lhe devolverem a cadeira de prefeito.


Novos prefeitos

Froner, Moisés e João Mário

Justiça rejeita 
as contas de três

Três dos prefeitos recém-eleitos estão tendo problemas com a aprovação de suas contas de campanha. Até o momento, a Justiça rejeitou as contas de Osvaldo Froner (Capão do Cipó), Moisés Gonçalves (Unistalda) e João Mário Cristofari (Jaguari). Todos eles terão prazo para recorrer junto ao Tribunal Regional Eleitoral. Os cartórios eleitorais divulgaram apenas que alguns casos tratam-se de despesas que não apareceram nas contas, entre outros problemas. Se for mantida a decisão, os eleitos não receberão a certidão de quitação eleitoral, o que impede que os mesmos concorram em outros pleitos. A diplomação pode acontecer normalmente, porém, se for o caso, o Ministério Público poderá entrar com ação de cassação de registro em função de abuso do poder econômico.