terça-feira, 31 de março de 2009

Racismo?

Casal 20


Fico feliz em saber que o meu amigo Chicão tem uns filhos maravilhosos, inteligentes, todos bem empregados graças a competência. 

Um exemplo é a Carolina Flores Gorski, que é formada em Educação Física pela UFSM, mas que prefere seguir a carreira da mãe (Heloísa Helena Ferreira Flores, que aposentou-se pela CEF e trabalhou como bancária quase uma vida inteira), trabalhando na CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, desde 2008. 

Hoje, Carolina desenvolve atividades no setor de habitação, na agência Santiago. Ele, o Lucas Dalenogare Frizzo, auxilia na administração de transporte de cargas realizadas pelos seus familiares. Ambos residem em Santiago onde pretendem também criarem seus futuros filhinhos.


Caça em abundância

Certo dia uma motorista saiu da estrada quando um veado bateu justo na janela do seu carro, quando ia para Unistalda. Já um veículo carregado com o jornal Expresso atropelou uma capivara entre Bossoroca e Santiago. Fora esses de maior porte, é expressivo o número de tatus que volta e meia cruzam as rodovias frente aos veículos.

De olho nos caçadores

A riqueza da caça em nossos campos e matos, infelizmente, não foi descoberta só pelos motoristas, mas também pelos caçadores. Uns da região e outros de fora que vêm à procura desses animais, principalmente de capivaras. É preciso haver mais atenção na área rural, como vêm fazendo as polícias rodoviárias e militar, atacando gente em saídas de fazendas. Em alguns casos, dá certo e inibe futuros predadores da natureza. 

Pobres fazendeiros

Os fazendeiros estão ficando pobres. Primeiro foi a seca, fazendo parte do rebanho emagrecer com a falta de pastagens e água boa. Depois, o baixo preço da carne associado ao abate clandestino vão acabar levando essa classe à falência. Para completar o quadro, os ladrões de gado agem até sob os olhos dos fazendeiros. 

Assuntos do Expresso etc

Boi morto entre Santiago e Capão do Cipó, nas proximidades da localidade de "Areias".

Quem lê este blogue sabe de algumas coisas que o Expresso vai publicar, seja  pitadas sobre as colunas ou reportagens principais. Eis algumas apimentadas que devem estar na próxima edição. Aproveito para mandar um alô ao presidente da Câmara, senhor Bianchini, que até agora não enviou ao jornal a cópia do disco com a gravação de uma das sessões, justo naquela em que ele desacatou nossos colunistas. Está retardando para quê? O senhor não disse que não tem medo?

Perigo na estrada

Não é por falta de aviso. Todas as semanas um policial alerta pela imprensa: "Não deixem seu gado nas estradas, nos corredores, nas vias públicas". Se um veículo bater num uma animal desses poderá haver um prejuízo maior que os danos causados ao carro e ao próprio animal: poderá haver dano à vida humana e, este, será irreparável.

Equipe de jornaleiros do Expresso, apenas em Santiago, prova da grande circulação.


A força do Expresso 
e dos advogados

Um artigo na página patrocinada pelos advogados santiaguenses serviu de estímulo para que os funcionários da prefeitura de Cruz Alta exigissem os ganhos com insalubridades, já que trabalham no cemitério da cidade. Um cruz-altense assina o Expresso e, ao ver a matéria "Aposentadoria Especial", a cargo dos advogados Alex Machado da Silva e Valesca Rodrigues Souza, resolveu levar o jornal ao serviço. Foi o começo de uma grande discussão entre Câmara e Prefeitura. Esse caso não é o primeiro sobre a repercussão das nossas matérias além fronteiras regionais. Ponto para Santiago, para o Expresso e para os ilustres e atentos advogados que assinam os artigos.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Comarca de Santiago elevada à...

...Entrância Intermediária

Ruy Gessinger, amigo e colunista do Expresso, acaba de me informar o que segue:

"O Órgão Especial do TJRS aprovou a elevação de quatro comarcas para entrância final, equiparando-as a P. Alegre. No mesmo ato elevou a entrância INTERMEDIÁRIA algumas poucas e progressistas cidades, entre as quais SANTIAGO. Agora o projeto deverá ir à Assembleia Legislativa que irá, ao certo, aprovar a medida. As demais cidades elevadas, você poderá conferir na postagem anterior, neste mesmo blog. Para mais detalhes, clique no site do Tribunal de Justiça do Estado."

ACESSE SEU BLOGUE NA LISTA AÍ AO LADO. 

O Expresso e a Globo!



Eu sempre fui um crítico e, por assim dizer, também me sinto na obrigação de aceitar as críticas. Vejam essa que me chegou há pouco. Peço ao leitor que raciocine. Veja se é verdade que se considera parte de um rebanho que aceita tudo, porque eu, o Expresso e nossa equipe não nos enquadramos no que este senhor está dizendo ou tentando. A única coisa que concordo é que realmente, nossa circulação é maciça, um fenômeno para cidades interioranas tipo a nossa bela Santiago e as da região. Também aceitamos a fabulosa comparação com a rede Globo, sem a qual, ninguém parece conseguir viver sem!


“Santiago continua com seu neo-coronelismo latente, mesmo que o resto do mundo tenha evoluído. Quem grita (ou paga) mais, leva todo mundo na conversa e faz todos acreditarem em qualquer coisa. 

Jornalismo é algo que ainda não vi nascer nessa cidade, afinal o jornal mais expressivo de lá simplesmente ainda não aprendeu a dar notícia. É realmente de indignar que ainda muita gente se preste a absorver qualquer coisa que aquelas páginas apresentem. 

Se perguntando o porquê da minha afirmação? Pode ser mais óbvio que as próprias palavras escritas no jornal Expresso Ilustrado? 

A palavra “imparcial” com certeza não passa pela cabeça do(s) administrador(es) desse jornal, que consegue noticiar “puxando para o seu assado”, defendendo interesses pessoais e deixando de lado, muitas vezes, o compromisso com a verdade.. Os santiaguenses ainda se deixam levar como um rebanho... 

Opa! Jornal RIDICULARIZANDO? Só em Santiago mesmo.... 
Esse é só um exemplo do que eu vejo seguidamente no meio dessas “notícias” todas que o Expresso nos apresenta toda semana. 

Todo mundo tem mania de falar sobre a Globo, que manda e desmanda por aqui. Aos que não conhecem Santiago, eu apresentaria a imprensa local. Certamente a Globo ficaria no chinelo no assunto “manipulação”. 

É uma pena que o jornalismo sério esteja ainda tão longe de Santiago. Se tem alguma coisa que merece estar no “mal na foto”, é o jeito santiaguense de manipular a população através da mídia claramente direcionada e manipulada por poucos de “costas quentes”. 

Basta alguém que realmente saiba o que é jornalismo chegar em Santiago para que o João Lemes Ilustrado vire nada mais que cinzas nas lareiras de Santiago." 

Meio ambiente - cadê a secretaria?

Nem bem postei sobre o lixo sonoro e já veio este comentário de um leitor. Apreciem:


Parabéns pela curiosa sugestão. É uma pena que em Santiago não haja sequer uma secretaria de meio ambiente. Ou há? Acho que não. Viu o que fizeram no rio só para tirar areia para o rodeio lá de Florida? Boa tarde e obrigado. Se publicar meu comentário no seu asseado blogue. 

Pelo fim da baderna!


A Secretaria Municipal de Meio Ambiente resolveu fiscalizar pra valer para evitar as queixas com a baderna das ruas, tipo som alto, buzinaço etc. Calma!, senhor arruaceiro! Essa intervenção elogiável não é aqui na aldeia, infelizmente. A notícia nos vem de São Leopoldo.  

A finalidade do trabalho, que contou com apoio da Brigada Militar, foi de coibir abusos de som em automóveis e também estabelecimentos comerciais. A atividade não gerou multas, mas advertências.

Caso eles voltem a abusar da paz alheia, tomarão multas que variam de 150 a R$ 2 mil. “Estamos medindo e, mesmo que um veículo com som excessivo flagrado não seja abordado, será identificado pela placa e poderá ser multado. Também focamos a publicidade em lojas, motos com escapamento aberto e outras fontes de poluição sonora’’, salientou Júlio Dorneles, diretor de proteção ambiental daquela cidade.

Ernesto Alves


Ainda sobre o distrito de Ernesto Alves cabe dizer o seguinte: paz e tranquilidade como nunca. Lá, o silêncio apenas é quebrado pelas nossas vozes, sobressaindo-se a dos animais, portanto, a paz depende mesmo exclusivamente de nós mesmos. Natureza pura: mato, grama, água, colaboram para um final de semana perfeito, até com o frescor do entardecer, além da beleza ímpar como podemos ver nestas fotos.

Recomeço feliz

Inicio minha segunda-feira muito feliz por ter vivido um ótimo final de semana. O pequeno distrito de Ernesto Alves parecia estar à espera da nossa família, dos nossos amigos. Desde sexta-feira (alguns foram mais cedo), o lugar serviu para o reencontro, para as conversas descontraídas... Sábado foi a nossa vez de também se achegar por lá. 


Comida de panela, churrasco e cucas formaram o cardápio. Os mais largados bebericaram algumas cervejas enquanto que a Suzana e eu ficamos no vinho tinto. Ainda no sábado jogamos futebol e andamos a cavalo. À tardinha foi a vez de dedilhar um violão à beira da casa... Pena que o domingo chegou rápido e, com ele, o fim da alegria por ter que voltar pra casa. Entretanto, quando bateu aquela vontade de estarmos juntos novamente, a alegria também retornou... 

Na chegada em Santiago, outros amigos nos esperavam para o bom bate-papo de final de tarde regado a um bom vinho chileno. Maravilha! É por isso que eu digo: não tenho tudo que quero mais tenho tudo o que preciso mais do que mereço. Graças a isso só tenho a agradecer a Deus e aos meus queridos amigos que torcem por nossa felicidade. Boa semana a todos. (Volto à tardinha).

sábado, 28 de março de 2009

Tchau!

Tchau! Vou pra fora. A exemplo do Ruy e de tantos amigos que se enfurnam nos finais de semana, me vou pra Ernesto Alves. Não que na minha rua haja barulho, não é isso! Aqui no Zamperetti é uma paz total, exceto por alguns latidos de cães vadios, tipos seus donos, mas isso faz parte da vida urbana. Já a Sandra e o Ruy queixam-se dos carros-de-som. É que Santiago ainda é habitada por uma rapaziada (alguns barbadões) que ainda vive à época de colocar som bem alto e sair azarando as gatinhas. Na verdade, nem azaração eles conseguem, mas o maldito som fica no tum-tum à noite toda. Pra completar o conjunto retrógrado falta só a pochete e o celular na cintura.



sexta-feira, 27 de março de 2009

Para os leitores...

Sexta-feira de sol, após uma boa chuva. Recostado na minha cadeira aqui em casa vejo o mundo girar pela internet e percebo que muitos leitores do Expresso (a maioria) não sabe que eu também dirijo um jornal que circula na microrregião de São Francisco, Jaguari, Mata, Manoel Viana, São Vicente... 


Há pouco li um e-mail de um leitor cobrando a matéria sobre o vereador assisense Ademar Roos (PP) que está preso sob suspeita de envolvimento com o crime contra o empresário Alcione Pires, e que teve sua prisão prorrogada, com uma "preventiva" em vez de "temporária", devendo seguir na prisão.
 
De fato, nesta edição do Expresso não trouxemos muita coisa sobre esse caso, mas o jornal Jaguar regional esmiuçou bem a questão e traz a bela foto do vereador progressista sob o título: "Roos segue na cadeia."

Como vimos, o leitor está atento e cobra de todos nós, como se fosse nosso patrão, o que de fato é. Fico feliz pela boa participação de todos eles. Escrever jornal e não obter comentários seria como um artista num palco cantando pra ninguém.

quinta-feira, 26 de março de 2009

O Expresso e as quentinhas


Olá, leitores. O Expresso já está pronto. Isto é, quase. Só faltam alguns arremates. Tem pesos de notícia, como diria Marco Antônio Nunes. Santiago é assim. Parece que está tudo calmo, mas basta sair o Expresso para todos verem que há muita coisa a ser mostrada.


Agora são 13:45. Cai uma chuvinha sobre Santiago e refresca o ambiente. Ótimo para apagar a poeira e fazer rebrotar alguma pastagem. Falando em pastagem, os ladrões de gado andam a todo vapor pela região. Sábado até o deputado Jerônimo estará em Santiago debatendo com produtores, se bem que, de debate, andamos cheios. Queremos é mais ação. Por ora, era isso. Agora tenho um compromisso inadiável. Talvez eu volte mais tarde.


Diniz na Bahia

Diniz Cogo, atual presidente do Corede Vale do Jaguari anda lá em Salvador -  Bahia. Ele e a esposa aproveitam a viagem de trabalho para também ver coisas novas e, claro, aprender na primeira mostra nacional de desenvolvimento. Dizem que a advogada Eloí até tirou uma foto ao lado  do presidente Lula, coisa que seu esposo peemedebista roxo não achou muito linda. Mas cá pra nós, Diniz: o homem é do PT, lógico, mas não deixa de ser o nosso presidente. Portanto, não brigue com a minha amiga Eloí, por favor! E para mostrar que não está mais brabo, peça a ela que traga a foto para publicarmos aqui no Expresso.

Sandálias da humildade para...

... o brigão

O presidente da Câmara de Santiago mal começou seu mandato e já está louquinho para pelear com algum órgão de imprensa, no caso em tela, com o Expresso. Não sabe que seu posicionamento desafiador contra a imprensa pode não levá-lo a um bom governo, pois ficará sem o apoio do  maior veículo de imprensa da região. Para quem deseja chegar ao cargo de prefeito, está recomeçando muito mal seus trabalhos na arte da política. Para o Bianchini, que busca se manter na política sem ser político, o remédio seria trabalhar melhor com a imprensa, mostrar jogo de cintura, ser mais humilde... Assim, como ele está agindo, desafiando jornalistas publicamente, parece confundir determinação com soberba e nem seria capaz de calçar as "Sandálias da Humildade".

quarta-feira, 25 de março de 2009

Sobre o flagrante em São Chico

Delegado Marcos esclarece:

“Não houve flagrante”

Conforme o delegado Marcos Viana, o proprietário do campo esteve na fazenda e deu falta de 90 animais. Foi até a Brigada de Santiago e registrou, apresentando como testemunha, o capataz. A Brigada descobriu que Nominando vendeu uma carga com 29 bois. O comprador procurou a Brigada e disse que comprou os bois de Nominando, e que o mesmo não quis entregar a guia de tráfego. A Brigada foi na propriedade junto com o fazendeiro, que reconheceu dois animais. “Não havia mais situação de flagrante, já que o furto ocorreu em data incerta. O fazendeiro ainda disse que seu capataz possuía armas na casa onde mora, dentro da fazenda, e deu autorização para a entrada. A Brigada, então, apresentou Nominando preso por posse de arma de fogo. Entendi que não era caso de flagrante porque não havia mandado de busca. Embora houvesse autorização para a entrada na casa por parte do propietário, o local continua sendo a casa de Nominando, que é inviolável. O fato de não ter sido preso em flagrante, não significa que ele não vá responder pelo crime. Ao contrário, vai responder e já está até indiciado pelo fato.”

Virou bicho?

Não nego, o vereador Bianchini fez uma chuva de votos devido ao seu passado brilhante. Foi pobre e humilde assim como este blogueiro, mas hoje, ao usar espaço pago na Câmara para atacar jornalistas, prova que ainda não aprendeu o bastante em sua longa trajetória. Esse deve ser o jeito novo do PP administrar, pois bastou darem-lhe a caneta de chefe que já se achou no direito de levar coisas a grosso modo, tipo ditadura militar. Ele é o único correto e os demais, todos errados. 

Na última sessão, embora sem muita audiência (agora a sessão não tem dia certo. Tá tipo a casa da Mãe Joana) ele rechaçou críticas contra sua administração e ainda anteveu outras tantas. Viram? Agora ele deu para saber até o que se passa na cabeça dos nossos colunistas e virou bicho antes da hora, tipo salvaguardando o lombo. 

Olha, vereador, o senhor poupe suas palavras para rebater as críticas quando elas de fato vierem, pois ainda nem começamos a enxergar seu comando militar aí na Câmara. Nós, da imprensa, somos livres para falar à vontade, principalmente contra quem tem a obrigação de bem administrar dinheiro público. Pode virar leão, tigre ou gorila: não temos medo de cara feia nem de grito.

terça-feira, 24 de março de 2009

Perigo anunciado


   Não é a primeira vez que acontecem atropelamentos na BR 287, justo naquele trecho onde o menino perdeu parte do braço. Quantos outros já morreram naquele local. E não porque o veículo foi da Polícia Rodoviária que vamos julgar o motorista antecipadamente. Todos sabem que o local é perigoso, mas insistem em atravessar a avenida sem olhar para os lados ou andar de forma perigosa, sem roupas claras ou fora do acostamento. Lamentamos pelo jovem Luciano, mas seu caso não será o último. Entretanto, poderá servir de alerta para diminuir a imprudência. 

Liberdade de empresa

O assinante José Gonçalves é um bom exemplo de aceitação do Expresso: além de ler, ele guarda todos os números como uma relíquia.

Rezam as normas da imprensa mundial que não existe mais Direito de Imprensa, de manifestar seu ponto de vista etc. O que existe é outro tipo de liberdade, a chamada "Liberdade de Empresa". Baseado nesse conceito, dá para se dizer que o Expresso é um dos poucos veículos da região, e até do interior do Estado, que tem esse direito, essa liberdade, já que muitos vivem atrelados a seus patrocinadores, Prefeituras, Câmaras etc, calando-se ante a um trocado qualquer. Baseado nessa liberdade, cabe dizer que cada vez que um veículo consegue assinantes em grande número e que patrocinam a tiragem de um grande jornal como o nosso, a carta de alforria que faz soltar as amarras junto à cacicada partidária ou empresarial é assinada. 

Afora os assinantes, vem a grande leva de anunciantes. São centenas de empresas que anunciam no Expresso. Não porque o delegado, o juiz, o prefeito querem, mas porque precisam divulgar seus produtos. Quando algo publicado descontenta esses empresários, e quando eles são inteligentes (e em Santiago a visão é de fato futurística) ninguém misturam as coisas.  Mesmo descontente com algo noticiado contra alguém que eles gostam ou admiram, seguem anunciando com o único propósito de divulgar sua marca em um veículo que realmente chega às mãos do leitor, afinal, em meio a tantos veículos impressos e a tantas rádios e canais de TV, internet... é preciso escolher um que resuma todos os outros e que tenha a credibilidade necessária conquistada por meio do Direito de Empresa.

A sociedade sabe...

Terça-feira, dia ótimo para mais trabalho, já que o nosso jornal exige toda a dedicação. Felizes são os jornalistas dirigentes de veículo de imprensa que são filiados a partidos e metidos a articulistas que podem se dar ao luxo de andarem por aí articulando campanhas ou pendurados em cargos. O Expresso não mistura política com jornalismo e por isso conquistou mais de 40 mil leitores em 16 anos. 


Hoje, vendo a gastança no Senado Federal, e vendo que tais membros acusam a imprensa de perseguidora, relembro o quanto é bom ter uma imprensa "perseguidora", como eles falam. Como falam aqui também, caso de São Chico, Capão do Cipó, Santiago, cujos vereadores (alguns membros do PP) pensam que podemos trabalhar de graça e ainda fechar os olhos aos seus desmandos e gastanças.

Alguns vereadores só sabem obedecer ordens. Quando chega a hora de dirigir um poder, este mesmo poder sobre-lhe à cabeça e eles acabam trocanbdo os pés pelas mãos. Não admitem críticas, viram arrogantes intocáveis, verdadeiros ditadores. O Expresso está pronto para detonar tudo e  mostrar que a vida pública de certos políticos deve ser encerrada antes que seja tarde demais, pois o Expresso sabe de todas as falcatruas e a sociedade também. Basta apenas documentar.

Abaixo, um texto da colega Sandra Siqueira, retirado de seu blogue (sandrasiqueira.blogspot.com)  e que faz refletir bem o que estou dizendo. Leiam com atenção:

Ignorante é pior do que burro

"Todos sabem que há quase 16 anos iniciava a jornada do Expresso Ilustrado, em Santiago e região. Enfrentamos muitas batalhas. Fomos ameaçados por políticos, empresários e outros tantos, e de certa forma, isso nos tornou peritos em enfrentamentos. Não tememos briga alguma. Não temos medo de cara feia. E, principalmente, não permitimos (remos) que governem o jornal por nós. Muitos querem nos ver calados, omissos, quietos e pregam mentiras a nosso respeito. Nos chamam de mercenários, como se não soubessem que somos empresários que vivemos do nosso produto. É, talvez quem sempre esteve pendurado num cargo público (o dinheirinho cai na conta todo mês, trabalhando ou fingindo trabalhar) não saiba o que é lutar pelo pão todo dia. Mas de ignorantes o mundo está cheio e temos que conviver com eles. O grande problema que há muitos que confundem ignorância com honestidade. Lidar com um homem ignorante é pior que falar com um burro. O burro, aprende se ensinado. O ignorante, pensa que sabe!".

segunda-feira, 23 de março de 2009

Foto: delegado Marcos Viana, de São Francisco


Segunda-feira, cá estamos no Expresso para resumir os fatos da semana e trazermos de bandeja ao leitor de toda a região. Notícias quentíssimas chegam de todas as partes. Em Santiago, um jovem perde parte do braço em um acidente na BR 287. Quem bateu? A própria polícia federal. Fatalidades, descuidos com o perigo... 

Delegado medroso ou
o ladrão era inocente?

SÃO CHICO - De São Chico me chega a indignação da população, dos proprietários rurais e da própria Brigada Militar em saber que o delegado Viana não quis dar um flagrante num ladrão de gado. Este senhor inclusive tinha farto armamento e seu poder e, segundo dados da Brigada, ele roubou do próprio patrão. Só numa contagem o fazendeiro deu falta de 90 cabeças. Isso é o nosso Brasil. Quando não pegam, a população diz que ninguém descobre ninguém; quando pegam com a boca na botija, o delegado resolve mandar o bom moço pra casa de novo.

sábado, 21 de março de 2009

Sábado maravilhoso!


Sábado tranquilo, fim de tarde... Após um bom jogo de futebol descansamos junto com a família. Aliás, falando em família, ontem foi aquele festerê com muitas homenagens dos amigos pelos nossos 21 anos de casados. Valeu, turma, o que seria de nós sem vocês, ainda mais nesses momentos marcantes. É aí que vimos o quanto somos amados e isso é o maior presente. Agradeço antes de tudo a Deus por colocar tantas pessoas queridas ao nosso lado.


Conversa de botequim

Não pude deixar de ouvir alguns comentários a respeito de uma discussão besta que circula na net, com um bando de lambanceiros  metendo crítica sem fundamento uns nos outros, amigos que outrora passavam se elogiando. E só resolvi mencionar algo porque falaram num tal direito de resposta que o Expresso  não deu. Ora, gente! Desde quando o Expresso vai descer a esse nível, de ficar dando pauladas em colegas, colaboradores, para alimentar vontades bestiais de quem não tem algo mais importante para fazer? 

Por favor! Vamos torcer essa roupa e colocar tudo em panos limpos, pois a vida é só uma e, aqui se faz, aqui se paga. Não aprovo essas fofocas e tenho nojo, mas muito nojo de quem escuta isso e ainda sai espalhando. Nem parecem uns homens velhos que em vez de plantar futuro ficam torrando os miolos para atacarem-se mutuamente. 

Felizmente a sociedade pensa positivo e tais baixarias passam ao largo. Por hoje, era isso. Desculpem-me, leitores, por ter tocado no assunto que mais detesto, fofoca sem objetivo. Não repetirei tal erro. Bem disse um sábio escritor: "A que se distinguir o jornalista dos fofoqueiros de botequim".

sexta-feira, 20 de março de 2009

Homenagem!


Hoje é dia para descansar, sair com os amigos e festejar com a Suzana nossos 21 anos de casamento.  Fico feliz em saber que ela e eu demos certo e conseguimos construir uma família adorável, além de traçarmos juntos com a Sandra, o caminho para o jornalismo impresso na região. Até brinquei com ela dizendo que eu iria no terreiro lá de casa e mataria um porco, uma galinha ou um marreco. Ela só respondeu: deixe os bichos. Eles não têm culpa!

Senhora Lemes: 

Aproveito este espaço e torno público meu grande amor por você, pelos nossos filhos Fagner, Fernanda e João Henrique. E arrisco a dizer, se alguém quiser uma receita de uma família feliz, que olhe para a nossa. Claro que temos problemas, os quais enfrentamos sempre unidos, mas nada se compara ao carinho mútuo que trocamos no dia-a-dia, o que supera qualquer obstáculo. Mil beijos, minha amada!  

"E como diria um amigo querido, vou soltar uns despachos na madrugada de tão alegre que estou e também vou pedir aos algozes que me perdoem por ser feliz".
Brincadeira: sou católico.

Show de edição


Sexta-feira, dia de Expresso, veículo que desde às seis horas da manhã está sendo manuseado por uma gama considerável de leitores. Notícias de toda a região fazem parte do seu conteúdo. E, cá para nós, um show de edição, com cores vibrantes, papel de primeira. Saudações à Gráfica Santo Ângelo. 

A matéria principal não poderia ser outra. A inauguração do setor de hemodiálise mereceu destaque. O outro enfoque foi à Tritícola, da qual ninguém esquece, principalmente os que têm a receber. E é bom que a comunidade saiba da seriedade dos jovens advogados que estão atuando no caso, com o propósito de não poupar o lombo de ninguém.

Os colunistas estão, como sempre, bombando críticas e diversão, com charges e ilustrações. De última hora, a cobertura do assalto à relojoaria no centro de Santiago. 

quinta-feira, 19 de março de 2009

São Francisco é notícia

O jornal O Jaguar surpreendeu ao estampar uma foto mostrando três dos supostos envolvidos na morte do empresário Alcione Pires, carregando o seu caixão. Ele foi morto em 2008, tendo como suspeitos: o vereador Ademar Roos (concunhado de Alcione); Zelinda Heman (sogra), Pedro Valmor e Zandiomar Heman (brigadiano), preso na capital (cunhados) e Valdecir Lamberti (tio de Alcione). Todos ficarão presos até que a polícia conclua investigações.


LEGENDA: os suspeitos presos são: o bem da ponta, à direita (vereador) e os dois bem de trás, à esquerda, carregando o caixão.



Caso Alcione Pires:
Perguntas  e incertezas

O caso Alcione Pires tomou conta das rodas de conversa pela região, pois trata-se de um crime bárbaro. E, segundo a Promotoria, foi praticado por várias pessoas, colocando uma família inteira sob suspeita. Até agora, todos tentam apontar culpados, sendo que a cadeia já recebeu um punhado de supostos envolvidos, dentre os quais, um figuração na cidade: o empresário e vereador do PP, senhor  Ademar Roos. Se eles de fato têm culpa no cartório, só a Justiça dirá. 

Destino cruel

No entanto, o assunto que deveria também estar mais à tona seriam os motivos. Comentam que foi por vingança. Mas o que fez Alcione Pires para merecer a morte? É a pergunta que fica no ar, senhoras e senhores leitores. Por ora, resta aguardar pela ação de nossas autoridades. A última informação é de que o delegado Marcos Viana poderá pedir a prisão preventiva dos suspeitos, que até agora cumprem a prisão provisória, que é de 30 dias. Com a preventiva, eles poderão ficar mais tempo na cadeia, até que as investigações sejam concluídas em definitivo.

Cavalgadas x cavalgaduras

É incrível, mas quanto menor a cidade, maiores os gastos com diárias por parte dos senhores políticos. E ainda por cima, tentam justificar o injustificável. A cada sessão da Câmara em São Chico, vereadores ocupam a tribuna, onde deveriam estar trabalhando pelo povo, para defenderam-se das acusações do jornal. Então, já que se dizem corretos, respondam: quem foi que pegou dois mil em diárias para ir de São Vicente a São Chico no lombo de um cavalo? Que ganho a comunidade obteve nisso?

Meu cargo, meu emprego

Mesmo que o mais puro sentimento de civismo invadissem os corações dos assisenses, justificaria tamanha barbaridade. Todos sabem que o gasto público devem estar alicerçado no interesse também público. E mais: desde quando que visitar espaço de vereador para tomar cafezinho e bater papo tem interesse coletivo? Visitar canaviais, ou gabinete de deputado também teria? Conforme preconiza a lei, as viagens a custa do dinheiro do povo devem ser para o restrito compromisso com a sociedade e não para complementar o salário de quem quer que seja, nem mesmo o dos que fazem da política o seu único emprego.

Em tempo - Lamentamos que tais gastos não foram revelados antes da campanha eleitoral para que a população pudesse ter visto melhor o trabalho e os gastos exorbitantes de quem acaba de se reeleger.

Humor

Carta para Capão do Cipó

Não, não dá para acreditar, portanto, deixo claro que eu vou apenas perguntar ao presidente da Câmara de Capão do Cipó umas coisinhas, afinal, pergunta não é ofensa e, quem não deve, não teme:

Senhor presidente, Antônio Jardim (PP)

O senhor, por acaso, tem ido várias vezes à capital fazer cursos gastando muitas diárias, indo no seu rastro mais a figura do ilustre vereador Jaques?

O senhor está indo quase ou toda a semana em Porto Alegre (3 ou 4 dias) e na última teria pego 1470,00 do povo do Cipó em diárias pra fazer um  curso, sendo 4 diárias de 300,00 + 80,00 para táxi e as passagens? 

Alguns sobrinhos seus  conseguiram estágios na prefeitura ou estão tentando? E outra parente sua teria sido contratada pra trabalhar na câmara nas férias da funcionária oficial?

 É verdade que um quarto no hotel Lancaster em Porto Alegre custa em torno de 60,00 com café da manhã, + 50,00 para almoço e jantar, sobrando-lhes boa parte da diária de 300?

Mais pedidos

Por fim, gostaria de saber quanto cada vereador lucra quando vai à capital a cada 15 dias. E se não for demais, poderia nos responder em nome do povo pobre de Capão do Cipó, quanto cada vereador gastou em diárias nas últimas temporadas, a justificativa para cada uma e o que trouxeram de bom para a nossa gente? O pedido já está em suas mãos. É só responder. 

Não é por nada, o senhor sabe que muito lhe admiro, mas em São Francisco o promotor vai fazer outro pedido aos nobre legisladores. Que eles devolvam tudo o que gastaram sem o devido interesse público. Como servidor da comunidade, não posso me omitir. Estamos entendidos? Então, boa noite!


 

quarta-feira, 18 de março de 2009

Ela não veio. (de novo)

Felizes são a Marta Finamor e a professora Rosane que foram ao encontro dela.


Mais uma vez os santiaguenses ficaram decepcionados com a ausência da governadora Yeda Crusius. A visita havia sido confirmada para a inauguração do centro de hemodiálise do Hospital de Caridade de Santiago, mais foi desmarcada pela própria tucana na manhã de sexta-feira. Ela justificou que pretendia cumprimentar os deputados que votaram a favor do veto ao abono de faltas dos professores grevistas. Em entrevista à Rádio Santiago, Yeda atacou o Cpers, afirmando que o sindicato não está representando a categoria para melhoria das condições e sim fazendo política radical.

Visitas Ilustres

Tritícola


Para quem não conhece, esta é nossa humilde sala, aqui no Expresso, na qual eu recebi  os amigos Rodrigo Vontobel (meu irmão) e os demais advogados da Tritícola. Eles vieram trazer a boa-nova ( espero que de fato seja), sobre a recuperação da nossa cooperativa. Até andei conversando com outros e devo dar um voto de louvor a esses jovens que pretendem não levar ninguém para compadre; vão lascar grosso pra cima dos produtores que devem fortunas para essa pobre instituição. Mais detalhes no Expresso de sexta.

Salários

Também soube que o malfadado salário do presidente, cujo vereador (vice-presidente) andou dizendo que abriu mão do dele, etc, é o mesmo dos anos anteriores. Nada foi aumentado. Apenas remanejado e, uma das vantagens, (ou desvantagens) é que o vice, já que manda pouco ou quase nada, ficou sem salário.

Novidades

Eu sei que alguém deve estar louco pra saber de mais algumas notas que o Expresso publicará, mas aguentem firmes que amanhã eu conto mais umas. Hoje o dia foi altamente produtivo e rendeu dezenas de boas matérias. Mas esperem um pouquinho mais.

Jornais

Hoje ainda tive tempo para receber minha amiga Theolides Antonello, lá de Cruz Alta. Ela quer que a empresa que representa passe a imprimir nosso jornal. De quebra, comentou que para uma população de 50 mil habitantes, com 14 mil residências, a nossa tiragem é espetacular, bem acima da média das demais cidades brasileiras.

Credibilidade

Me senti lisonjeado, pois não é a primeira vez que recebemos empresários que buscam prestar serviço para o Expresso, graças à credibilidade do jornal, aos pagamentos que sempre manteve em dia... Prometi a ela que vamos estudar o assunto com os demais membros da direção.

Origens

O Diário Serrano foi meu primeiro emprego no ramo jornal. O seu Riograndino Abreu, meu ex-patrão, ainda é dono de duas emissoras de rádio, AM e FM. Como foi bom relembrar as origens e poder entregar um livro (autobiografia) aos ex-colegas.

Rádios

Também cometamos que as rádios de lá não passam o dia rodando rap ou rock, como certas FMs da nossa região. Não é porque eu adoro Gildo e Teixeirinha que todos os ouvintes devem gostar, não é mesmo? Mas convenhamos, apenas "bateção de lata" não traz bons resultados. É o que dá colocar programadores sem visão, (e sem ouvidos) que não dão valor às coisas brasileiras: a um Gil, a um Caetano e até a Roberto Carlos.

Ritmo jovem? 

E não me venham com papo de que a programação é jovem porque não tem nada a ver. Meu filho de 19 anos adora uma "antiguidade" e não despreza ABBA, Queem, Elvis, Lenon... Mas nem isso eles rodam aqui. Nem se dão conta de que o empresário que paga, também não gosta. Fazer o quê. Cada um com seus estilos e quem puder, que aguente. 

terça-feira, 17 de março de 2009

E-mail da secretária Mônica

Bom dia, Lemes.

Abri o blog do Ruy, como sempre faço no final do dia, e tive a oportunidade de conhecer a história da tua vida e do Prefeito de Unistalda.Para o Moisés, já falei por telefone e cumprimentei-o pela trajetória de luta e justa vitória. Que maravilha Unistalda ter um Prefeito desse quilate! Como o teu celular estava fora de área, resolvi fazer uso de um e-mail para te dizer que senti um orgulho imenso quando no final do texto descobri que o menino loirinho que o Ruy se referiu, era o vitorioso empresário de comunicação João Lemes, meu amigo muito querido. Um abraço afetuoso em toda a família do jornal Expresso Ilustrado, que recebo todas as sextas.

      Mônica Leal

Secretária de Estado da Cultura

segunda-feira, 16 de março de 2009

Rúderson pede união 
pela cooperativa


Amigo Lemes

"Agradeço pela postagem no seu blog onde vc fala da sua confiança em minha pessoa. Como sabe, a situação da Tritícola é muito complicada, no entanto, acredito que nessa situação podemos usar aquele velho ditado que “para o mal reinar, basta os homens de bem ficarem de braços cruzados”, por isso, acredito que devemos fazer algo pela cooperativa, porque caso ela viesse a fechar seria uma tragédia social para nossa cidade.

Então, creio que temos que nos unir como nunca e pelo menos tentar reverter esse quadro, temos também que dar um voto de confiança para o Sr Evaristo Ribas que foi um homem corajoso de encarar essa situação. Peço mais essa força para que, através dos seus meios de comunicação, formarmos uma opinião positiva de apoio para buscarmos formas de levantar essa cooperativa que já fez muito por Santiago e região. Sei que posso contar contigo igual vc pode contar comigo."

Forte abraço,
Ruderson Mesquita

Hospital vira assunto

Rúderson grandão na foto

Como o prometido, inicio meus comentários sobre a mais nova aquisição do nosso Hospital de Caridade, que na última sexta, trouxe o secretário de Saúde do Estado, o médico Osmar Terra, para a grande solenidade, a inauguração do setor de hemodiálise. Claro, a Yeda não veio, como sempre, mesmo sendo convidada por tão nobre instituição. Mas foi bem representada pelos deputados e pelo secretário Terra.

Críticas

Mas entre festas e glórias, uns já dizem que o movimento na rua não precisava ser tudo aquilo, com a via fechada à tarde toda. (Principal acesso daquele lado da cidade). A inauguração foi relevante, sensacional em tempos crise, mas fechar a rua tão cedo mereceu críticas. Tudo bem, é marketing da equipe, afinal, o que não é visto não é lembrado, no caso do hospital, "não é ajudado".

Rúderson cresce 

A foto acima não é só ilusão de ótima. Realmente o Rúderson vem crescendo no retrato, tanto na direção do hospital como na Tritícola, na qual também assumiu como diretor. A foto mostra, além do Rúderson e o Sagrillo à frente, com o secretário Terra e os deputados Pedro Pereira (até que enfim o Marco achou um menor que ele), Marco Peixoto, a grande médica Sônia Nicola, seguindo mais atrás. E aqui, um lembrete: atrás de grande (s) homem (ns), há sempre uma bela e dedicada mulher.

domingo, 15 de março de 2009

Oi, pampa amigo!

Com vocês, algumas imagens lá da campanha, mais precisamente da velha Unistalda de guerra. O blogeiro, apreciando a paisagem. Quando eu gosto, eu aprecio.

No aconchego do galpão. Ruy, seu violino e os amigos Guilherme (ao violão) e Édson Vargas (ao fundo)

O peão, pastorejando o gado. E que boiada! Os mais belos Angus da região.
Oi, amigos!
Fiquei fora do blogue desde quinta. Sexta até que tive tempo, mas fui à inauguração do setor de hemodiálise do hospital, de onde tirei proveito de vários discursos inflamados, dos quais, publicarei o que achei mais interessante.

Na sexta ainda, fui a Alegrete buscar minha mãe que lá estava, passeando na minha irmã e, à noite, encontrei-me com os amigos de sempre e a festa rolou até às 2 da madruga. Valeu Menna, Rosane, Eri, Jane, Zé, Almeida, Geiza, Heloísa e a todos os outros. Você são nota mil!

Nota mil também pro Ruy e a esposa Maristela Gessinger. Que final de tarde vivemos ao lado de vocês no último sábado. Passeio pelo campo, prosa na frente da estância e o mais divino, o anoitecer junto ao galpão, regado a vinho, carne de cordeiro, encerrando com o som do violino, seguido pelo violão e a voz maravilhosa do meu amigo Édson Vargas. Tá louco, como diria meu tio. Que sábado nós tivemos! Me dei ao luxo até de recordar dos meus tempos de estância...Abraço também ao prefeito Moisés Gonçalves, o qual admiro muito.

OBRIGADO, DR. RUY.

Suzana, eu, Moisés, Ruy, Maristela e Sandra; nos campos da Pecuária Gessinger.

Não ando no mundo atrás de reconhecimento, mas quando ele acontece, minh'alma se encharca de emoção, ainda mais quando as palavras oriundam de um mestre do Direito, de mestre em fazer amigos, de um mestre da vida...

Dr. Ruy: a cada dia me emociono mais com tuas sábias palavras e, por elas, aflora o compromisso de seguir honrando a família, os leitores do Expresso e colunistas de tua iguala, mais a legião de amigos que tenho.

E, agora, compartilho com meus leitores as palavras do amigo Ruy sobre minha pessoa, as quais, divido com toda a equipe do Expresso, especialmente com a Sandra, com a Suzana e com o Taborda, também responsáveis pelo sucesso de nós todos..

TEXTO DE RUY GESSINGER
(publicado em seu blogue: a seguir)


A visita dos dois meninos pobres

Aproveitei o sábado muito bem. Levantei às 5 horas, tomei chimarrão e às 6,30 já estava de a cavalo ajudando a levar 37 vacas com cria, recém adquiridas, para uma rica de uma pastagem, uma boa aguada, bastante sal no cocho. Depois, uma olhada nos açudes que estão sendo construídos. Tenho 25, sem contar as sangas com suas matas ciliares. Terminada a lida, o almoço, a sesta e depois a leitura , com a SKY ligada no canal 331 ( música erudita). Às 17 horas, aproximam-se dois carros, passam o mata-burro e ingressam na estância.Era os dois meninos pobres. Um deles, legítimo gaúcho , contou-me sua vida. Família de quase uma dezena de irmãos, ao fazer 14 anos o pai lhe disse: comida posso te dar por uns tempos, mas acho que está na hora de te virares. O rapaz saiu de casa e foi trabalhar na Estância que hoje é da dra; Maira Visintainer. Fez de tudo o que um peão faz. Depois, abriu um pequeno comércio. Quando Unistalda se emancipou, era um dos mais entusiastas. Sempre agindo pelas beiradas, elegeu-se vereador, representando o povão, segundo ele mesmo diz. Sentindo-se bem no meio do pobrerio, foi se aprimorando até ser lançado candidato a vice-prefeito. Eleito, cumpria expediente na Prefeitura, sempre correndo e atendendo a pleitos e pedidos. Depois tornou-se o prefeito de Unistalda: Moisés Gonçalves. O outro menino pobre, um lourinho com cara de alemão, fugiu de casa, levou tombos na vida, todos narrados em um fantástico livro ,até que aportou em Santiago, com uma mão na frente e outra atrás. Visionário, sem dinheiro, nem relações, nem passado político, meteu-se e criou um jornal, para gerais risos de mofa. Pois o jornal foi crescendo e se impôs em toda a região. Hoje é leitura obrigatória de milhares de habitantes. Chegava na estância o João Lemes, com sua família. Coloquei o dono do Expresso Ilustrado e o Prefeito de Unistalda a pé na caçamba de minha Ranger e saí pelos campos a lhes mostrar meu plantel de Angus e Brangus, ” capa de revista”, exemplares que adquiri de dona Carla Nemitz, que liquidou sua cabanha.Percorremos os pastiçais e as invernadas, olhando esses monumentos de genética. Moisés , flor de campeiro, explicando as pelagens e manhas do campo ao Lemes. Este, por sua vez, vislumbrando grandes possibilidades de negócios e promoções. Finda a recorrida, com visitas até a ruínas de currais de pedra no meio do mato ( parece que do tempo dos jesuítas), voltamos para as casas, onde nos esperava um cordeiro assado.Nesse meio tempo tinha chegado o baita cantor EDSON VARGAS, acompanhado de Guilherme e seu violão.A tertúlia seguiu até a madrugada, com todos cantando ou dizendo versos.A Estância amanheceu dourada sobre um fundo azul, engalanada pela visita dos ex meninos pobres e dos artistas. Ex meninos pobres que não ficaram chorando a má sorte, nem foram pela vereda do crime.Meninos exemplos para a região, o Estado, o País e o Mundo.

quinta-feira, 12 de março de 2009

O que traz o Expresso


O Expresso e Jaguar Regional sairão recheados, com destaque para os crimes em São Chico, com a prisão do vereador do PP, senhor Ademar Roos, como um dos suspeitos pela morte do empresário Alcione Pires. Abaixo, alguns "adiantamentos" do que já é notícia, algumas charges e uma declaração do próprio Ademar. Meu espaço é democrático e, como falei em sua pessoa há poucos dias, é de justo que lhe conceda espaço também, como essa declaraçãoaí  acima.

Eis o nosso ilustre vereador assisense num ambiente não tão aconchegante como a Câmara, de onde se pode viajar com as diárias bem gordinhas.

Eis o nosso ex-governador e a nossa atual governadora. Ele veio hoje; ela, vem amanhã. É de certo que irão se encontrar no "caminho das índias".

Troféu ANA TERRA:

José Eri (esposo), Marília (amiga), Rejane (irmã) Rosane (a nossa Ana terra), Rodrigo (filho) e os demais familiares, Oldemar e Marina Vontobel


Dedicado às mulheres de Santiago e do Vale do Jaguari

Diante do Teatro São Pedro lotado pelas 27 regiões do Estado agraciadas com o troféu ANA TERRA, o pronunciamento da professora Rosane Vontobel Rodrigues emocionou a todos. Ela homenageou as mulheres de Santiago e do Vale do Jaguari dizendo: “Agradeço e dedico, às mulheres de Santiago, e às mulheres do  Vale do Jaguari, um belíssimo território com  um pé  nas Missões e outro na  Fronteira Oeste  que tem  a característica singular de ser pampa e serra  e a peculiaridade de carregar na sua essência a Hospitalidade. E, a nossa Santiago, é reconhecida  como acolhedora e aconchegante, tem um povo criativo que busca a superação pelo trabalho sério do cotidiano, mas é pela ousadia dos sonhos e pela arte da palavra que se tornou A Terra dos  Poetas. Sim, acreditamos  nos sonhos, e construímos realidades que  semeiam  esperanças”.
     
Também ofereceu a distinção à URI e às empresas de Santiago: “Agradeço  às empresas da minha região que solidárias com a cultura tem gerado oportunidades  de desenvolvimento. Obrigada  Grupo Batista (João, Eunice, Luciane e Aline ) Obrigada,  Rede Nicola (Alceu, Osvaldo e Antônio Augusto ) e Obrigada RBS-TV  (Neimar, Clarice, Micheli, e Juliana ) Obrigada, Rede Felice (Elton)  e Tamiosso (Zeca e Berenice) Obrigada, jornal Expresso Ilustrado (João, Sandra e Suzana  Lemes ) jornal A RAZÃO, Diário de Santa Maria, Folha Regional, Rádio Santiago, Rádio Iguaçu, Rádio Verdes Pampas e Rádio URI -FM. Se aqui estamos é também por vocês”.
  
 Na conclusão do discurso, a professora Rosane Vontobel Rodrigues convidou: “Vamos manter nossa vida na rota do abrir caminhos, do dialogo, do buscar possibilidades para gerações futuras, l com coragem e ousadia continuemos a  primar  pelo auxilio  na consolidação da cidadania coletiva. Respeitemos as singularidades, os saberes plurais e saibamos preservar , a esperança. Assim sendo, com suavidade e equilíbrio percorramos os caminhos dos quatro  ventos - ,enfim , que saibamos cumprir a ética maior de Jesus Cristo: Amar o próximo. 
  Um carinhoso abraço a todas e a todos. 

O prêmio Ana Terra é um incentivo para todas as mulheres auxiliarem nas mudanças que podem e devem ser realizadas em suas comunidades.

Visita do Rúderson

Ontem à tarde recebi a visita do amigo Rúderson Mesquita, diretor do Hospital de Caridade e, agora também, da Tritícola. Ele quer apoio, o abraço de toda a comunidade nesta hora difícil.

Senti em suas palavras que o rapaz tem a melhor das intenções e grandes ideias para colocar em prática no decorrer do tempo. Até o questionei: 
-Rúderson, será que a cooperativa não vai tirar o tempo  que tu se dedicava ao hospital? 
Não, me disse ele, pois abriu mão até do curso de Direito para dedicar-se às duas empresas, as maiores do município.

Quanto ao salário do presidente da Tritícola, ele diz que o do vice foi reduzido (e até ficou sem) para aumentar o do titular, que tem muito mais atribuições. Flauteei com ele dizendo que se o Leandro ganhava só 4, que era pouco para tanta responsabilidade. 

Encerramos a prosa com seu convite para a inauguração do setor de hemodiálise do Caridade, nesta sexta à tarde. Lógico, jamais poderia faltar a tão importante solenidade, muito mais para rever os amigos que atuam naquela casa de saúde, a exemplo da médica Sônia Nicola.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Bianchini se manifesta

O nosso grande homem de ferro, o Bianchini, sempre teve minha admiração, pela lisura, pela honestidade e pela trajetória e jeito de tratar as pessoas. Hoje, se vê o guri pobre na presidência da Câmara, um orgulho para qualquer um que veio do nada, assim como eu. Nossas histórias são semelhantes e mostram que é possível vencer quando se anda no caminho do bem e pelas vias do trabalho. Claro, amigo Bianchini, por mais que eu também o critique e discorde de alguns pensamentos teus, não posso deixar de dar vasão às tuas palavras, por isso, concedo-lhe o espaço abaixo para que tire do seu coração empedernido as mágoas contra quem publicou algo que o magoou. Vejam, seu texto.  

Prezado João Lemes!
         Como você colocou-me à disposição seu blog para possível manifestação, solicito divulgação do texto abaixo:
       
        "Diante das acusações em teu blog de "Geraldo Gomes" a esse presidente e assessora, afirmo que quando a bancada do PP quis que eu fosse o presidente, fiz uma exigência incondicional: a nomeação, por mim, da Chefe de Gabinete e Assessora de Imprensa. Busquei em nossa sociedade duas mulheres integras, idôneas, honestas, sérias, dignas e com família e conduta irrepreensível, bem como perfíl e competência para o desempenho do cargo a ser atribuído. Ambas não tem nenhum vínculo ou obrigação política comigo. Sou o único responsável por suas nomeações e tenho absoluta confiança em seus potenciais, sendo que está sendo  elogiável o desempenho de cada uma.
        Quanto a mim, já me acustumei com ataques de  desafetos, porém a assessora de imprensa foi injustiçada e não mereceu uma palavra sequer publicada contra si; encontra-se machucada, ferida e magoada. Peço que pessoas inocentes sejam poupadas.
        Quanto ao endereço eletrônico que você me informou do "Geraldo Gomes", um amigo da informática me garantiu  que não existe.
        Acho muita irresponsabilidade publicar ofensas a pessoas públicas sem conhecer  a origem.
        Preciso urgente de ajuda de todos  para encontrar "Geraldo Gomes";  quero tocá-lo, falar da minha trajetória, da minha vida, da minhas ações e intenções, dos meus acertos e erros, da câmara e de tudo o que quiser saber; também quero pedir-lhe ajuda e orientações para cada vez trabalhar melhor por nossa terra e nossa gente. A única pista que tenho, por enquanto, é a linguagem usada em sua postagem, à qual me é bastante peculiar."
 Miguel Bianchini

Pepinos à vista

Deu reboliço a história do vereador Bassim, vice-presidente da Tritícola, que saiu alarmando que abriu mão do salário de vice, que seria de 4 mil reais. Já tem gente achando que, se o Leandro ganhava esses mesmos 4, e que, se hoje, o vice está no mesmo patamar, para quanto foi aumentado o do presidente? Para oito, nove ou 10? Pior: se não tem de onde tirar, como aumentar o salário desta forma? Com a palavra, o meu amigo Rúderson Mesquita.


Inter, Inter!

Estamos a mil por hora a aqui no Expresso e mando de lambuja uma das charges da semana, a cargo do paulista Senna, outro grande colaborador do Expresso. E viva o Inter: 7x0. Pegaram uns coitados, é verdade, mas não esqueçam que o goleiro é o Danrlei, ex-Grêmio. (EM TEMPO. UM LEITOR ME PUXOU A ORELHA. NÃO ERA O DANRLEI.)

Sonho do União 

E a história do União nos profissionais? Seria muito bom para ser verdade, mas arrancar 250 mil numa penúria dessas, seria quase utopia, embora me pareça que o apoio dos vereadores eles já têm.  Mas vamos aguardar. Os homens sabem o que fazem, embora não creia que a prefeitura vá desembolsar grana para esse propósito. São ou não são pepinos à vista?

Chicão, o brigador

Dia desses o ex-prefeito Chicão franziu a testa, avermelhou as bochechas e quase saiu no soco com um torcedor no Estádio Alceu Carvalho. Não engoliu o desafaro que este lhe lançara de que tinha "deixado de ser prefeito para presidir o Cruzeirinho." Mexeu com vespeiro, o tal torcedor que não sabe do amor de Chicão pelo esporte e pelo clube (e nem de sua fama de brigador). Chicão diz que está lá para trabalhar e ajudar a Copa Santiago. E, como não é prefeito, não engole desaforo de ninguém. Tá certo ele.

Justiça do Trabalho:
Fecha ou não fecha?

      Toda hora surge um dizendo que Santiago  perderá (ou perdeu) isso e aquilo. É a Delegacia Regional, é o posto da DE... Agora a bola da vez é a Vara do Trabalho. Estamos tão acostumados a não querer perder nada que nos apavoramos ante o primeiro suspiro sobre algo que ameaçam fechar, sem se dar conta que a determinação do governo muita vezes é sábia. Afinal, para que certas repartições existem? 

       Lógico, no caso da Vara do Trabalho, há 40 ações/mês, e não sou eu quem vai dizer se é muito ou pouco. Só sei que patrão e empregado têm brigado menos. As empresas, na maioria, não empregam mais que 10. O Expresso tem 30 (só aqui em Santiago), mesmo assim, há horas não briga com ninguém. Sinal de mais acertos. Não é isso que se busca? A paz entre a partes?

       Afora essas questões, sem Braspelco, sem Karbain, a demanda caiu vertiginosamente. O que querem que eu diga, então? Fica, Justiça do Trabalho! Fica, Delegacia Regional! Volta, DE...? Mesmo que todos gritemos, poucos nos ouvirão. Além disso, temos que dar um voto de confiança aos governantes. Alguma razão eles têm.

terça-feira, 10 de março de 2009

Nossas rádios

Liguei nas nossas rádios agora. Na Santiago, jogo de futebol; na Iaguaçu, jogo, ou melhor, quase isso, é um programa sobre jogo; liguei na Verdes Pampas tá aquela fila de comerciais que nem sei se o anunciante aguenta ouvir (tudo, um em cima do outro). Depois disso, deve vir programa evangélico. A única que oferece entretenimento diferenciado é a URI FM, mesmo assim, é só rock e rap, com algum reggae só pra variar e olhe lá. A legítima música popular brasileira não tem vez.


Iguaçu melhorzinha

Pra não mentir, ontem ouvi a Iaguaçu, Programa Paulo Lopes, à noite. Tirando as vezes que ele repetia que fala para o mundo (quem ouve acha que fala mesmo para o mundo)  através de um site "na Internet", (como se site pudesse ser em outro local), até que estava bem. A sua voz é boa e roda boa música também. Depois veio o Limaninha (o novo), com outra boa programação, pelo menos tenta ser diferente, com mais música e pouca conversa. 

Resposta ao Bianchini


Há pouco recebi correspondência do senhor presidente da Câmara, vereador Miguel Bianchini, sobre um e-mail de um leitor aqui do blogue, o qual criticava a atuação dos assessores do presidente. Ele exigiu a identificação do senhor que me escreveu (Geraldo Gomes) dizendo que as servidoras estariam "abaladas". A resposta enviada ao representante do Poder Legislativo está aí, pura e cristalina para todos apreciarem. 


Exmo. sr. Miguel Constantino Rosso Bianchini
Presidente da Câmara de Vereadores de Santiago.

Prezado senhor

Ao cumprimentá-lo, aproveito para responder ao seu ofício em relação às críticas proferidas em meu blogue. Antes, porém, gostaria de dizer que as críticas ali tecidas dizem respeito apenas a críticas, e de fato contundentes, pois não recebemos nenhuma resenha com o que é abordado na Câmara, e erros de grafia, como critica o leitor Geraldo Gomes,  todo mundo os deixa. 

De resto, não posso responder pelo leitor, mas creio que o espaço certo de respondê-lo é o próprio blogue, o qual sempre esteve aberto às críticas e sugestões de quem quer que seja, como parte democrática e fiscalizadora dos poderes constituídos e que usam dinheiro público para os salários de seus servidores. Ademais, o senhor mesmo disse que críticas se responde com trabalho, portanto, se as suas assessoras realmente trabalham corretamente, não há porque estarem "abaladas". É só trabalhar e pronto. A comunidade vai notar logo em seguida, seja via rádio (pago com dinheiro público) via panfleto, ou via blogues e sites. 

Quanto à "identificação do leitor Geraldo Gomes", eu não a tenho, apenas o que está no blogue. Ma se quiser, posso lhe enviar e-mail com o texto que recebi para que use o endereço ali citado e possa, assim, contatar o referido senhor. Para tanto, basta enviar seu endereço eletrônico que terei prazer em colaborar.
Um forte abraço e os votos de um bom trabalho na nossa Câmara de Vereadores.

Atenciosamente;
João Lemes
JORNALISTA

Entre amigos

No último sábado, minha família e eu, mais alguns amigos, jantamos na casa da querida amiga Roselaine Esmério, advogada que, nesta sexta, estará disputando vaga ao cargo de desembargadora. Claro, ficaremos na torcida para que Santiago entre para a história mais uma vez, já que a cidade teve também a primeira desembargadora gaúcha a tomar posse; a juíza Maria Berenice Dias (concursada) já aposentada. 


Aos conterrâneos

Há tempos conheço a Roselaine e seu esposo Antônio Carlos, que por sinal, são apreciadores do meu livro 20 Anos de Jornalismo, no qual eu falo muito de minha terra -  Coronel Bicaco, terra também dos pais de Roselaine. Então, nada melhor que nos reunirmos para estreitar esses laços e relembrar nossa gente que ficou lá naqueles pagos. 

Obrigado, amigos

Quero de público agradecer ao casal pela fidalguia, pela honra e pelo prazer da boa prosa que tivemos, com direito à sessão de piadas a cargo deste blogueiro. O público não era grande, mas em qualidade era dos melhores possíveis. E digo mais: Coronel Bicaco deu pouca gente, quase não se vê ninguém por aí, mas os que aparecem são de faca na bota, pra lá de macanudos e bons de serviço.

Tritícola x salários

Ontem recebi uma ligação do amigo Leandro Cardoso, produtor rural que recém deixou a presidência da Tritícola. Ele contestou nota na coluna do Araponga de que o salário do vice era de 4 mil e, do presidente, de 8 mil. Só que seja de agora, disse-me ele. "No meu tempo, o presidente ganhava apenas 4 mil".

Desemprego à vista

Está na hora de cada empregado saber honrar seu compromisso com sua empresa, mostrar qualidade e dedicação no trabalho. Até as forças armadas estão pegando menos gente. Hoje, em conversa com o Denilson, soube que de 95 mil novos soldados que costumavam incorporar no Brasil, a média acabou baixando para 45 mil. Santiago e região também vão sentir isso na carne.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Amigos, amigos e mais amigos

Neca, Gilliard e Márcia
Suzana, Sandra, Rejane, Heloísa e, ao fundo, a Rosane.


No final de semana aproveitamos para rever os amigos. Após o jantar na casa da Roselaine, advogada por demais conceituada em nossa cidade, seguimos com mais reencontros. O primeiro já havia sido na casa do Menna Barreto, o Luiz Alfredo, quando festejamos o níver da amiga Heloísa. Baita festa entre pessoas tão amadas.

Domingo festivo e...

Já no domingo, almocei com outros grandes amigos, o João Leonel (Neca) e a Márcia Gonçalves, outra profissional da área da beleza que muito admiro, pelo conceito, pelo carinho com a turma aqui do Expresso, enfim, por outros milhares de requisitos. O Neca, nem se fala, outra grande figura humana. Olhem eles na foto acima, com o Gilliard, quando esse artista cantou na festa Os Melhores do Ano.

...cultural 

Pra encerrar o domingo, um brinde às boas coisas da vida com o meu amigão Ruy Gessinger, com o qual, não canso de aprender. Tomamos champanhe e ouvimos música clássica. Este cara é outra baita figura deste Rio Grande de meu Deus. A conversa só não se estendeu mais porque seu filho Rudolf estava sob seus cuidados, já que a esposa Maristela havia rumado à Capital, onde trabalha.

Segunda de bons frutos

Segunda movimentada aqui no Expresso, mas felizmente conseguimos adiantar bem os trabalhos. À noite ainda temos outras atividades, algumas de cunho pessoal, como dar um abraço no meu amigo Ataliba de Lima Lopes que hoje completa mais um ano de vida. Grande Ataliba, o legítimo peão do Rio Grande. Gaúcho dos quatro costados, como se diz.


Novidades

É isso, amigos. E as novidades são muitas. Hoje a amiga Rosane Vontobel Rodrigues recebe o prêmio Ana Terra, entregue pela governadora Yeda. O filho Rodrigo e o maridão José Eri Rodrigues, mais a mana Rejane Vontobel, estão a postos para aplaudir esse grande talento santiaguense.

São Chico

Dos lados de São Chico, muita coisa para comentar na edição de sexta. Vereador preso, a exemplos de outras pessoas bem conhecidas na região, todos suspeitos de estarem envolvidos no assassinato do empresário Alcione Pires, morto no início do ano passado. Por ora, era isso.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Vereador preso em São Chico

O vereador Assisense, Ademar Roos (PP), acaba de ser preso em sua cidade sob suspeita de ter participação na morte do empresário Alcione Pires. Roos teria agido na ocultação de cadáver, pelo menos é  no que a polícia acredita até o momento. 

30 dias preso

A sua prisão foi decretada a pedido do promotor Barbará Dias, que vem há meses atuando no caso. O crime aconteceu em fevereiro de 2008 e a principal suspeita é Noedilma Heman, esposa do morto e cunhada do vereador preso. Inclusive, Noedilma está presa na casa dele (prisão domiciliar) até que seja julgada. Já o vereador Roos deve ficar por 30 dias no presídio, até que 
seja concluída a investigação sobre a sua possível participação na "desova" do corpo do empresário.