domingo, 31 de maio de 2009

Frio e festas


Frio e muita notícia. A começar pela sexta, com a vinda da governadora Yeda. Depois, à noite, Édson Vargas lançou seu novo disco com Os Tropeiros praticamente lotado. Baita festa! O cantor mostrou carisma, talento e simplicidade. Deu nisso, casa cheia. Aí na foto, eu, a Suzana e o Édson. O disco ficou um espetáculo. No Aconchego do Galpão vai dar o que falar.


E no sábado à noite a grande festa que a região esperava. Os 16 anos do Expresso com a festividade alusiva ao colunismo social. Sandra Siqueira mandou ver no clube União lotadíssimo. Festa de primeiro mundo. Obrigado a todos e até logo mais, quando voltarei com as melhores fotos.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

O frio e a Yeda



Sexta fria, embora a recepção à governadora Yeda seja calorosa. Eu não fui ao seu encontro, mas nosso jornal tenha ido lá, sendo bem representado. Ouvi seu discurso, político, claro, como não poderia deixar de ser. Prefeitos da região, vereadores em geral todos em volta da soberana. "Cães ladrando e a caravana passando", foi a frase mais repetida. Bem assim, no gerúndio. Sexta fria, carrancuda... E os louros sendo colhidos com o término da estrada já inaugurada por Germano Rigotto, num dia frio e carrancudo igual a este. Coincidências da vida...


Fotos - Como se vê nas fotos, Yeda foi conduzida à chácara do deputado Marco Peixoto, onde churrasqueou rodeada de alguns papagaios de pirata e arrozes de festa. Mais abaixo, Yeda contempla as manchetes do Expresso, que nesta edição, não menciona o escândalo da Veja. Tanto melhor para ela...


quinta-feira, 28 de maio de 2009

O Expresso e os desafetos


Vamos encerrando por aqui mais uma etapa da nossa vida. Sim, da nossa vida, porque fazer jornalismo no interior é dedicar-se de corpo e alma ao ofício a cada edição.  É por isso que neste sábado marcaremos mais uma data histórica no calendário de 40 mil pessoas ao festejarmos nossos 16 anos sem faltar uma edição sequer. Isso chama-se compromisso com você, leitor, com você, patrocinador, nossos verdadeiros patrões.


Nesta nossa caminhada se aprende bastante, principalmente que cada um quer ver seu problema resolvido, quer colher os louros pelo seu trabalho, por suas ações. Jamais quer ouvir ou ler uma crítica negativa. Mesmo sabendo que ele aprende com elas, seu ego não deixa aceitá-las. Prefere só a parte boa, aquela que o destaca em foto graúda. O engraçado é que, quando ele vira notícia, é elogiado, nem manda um recado dizendo que gostou. Agora, se for "pauleado", aí tome rebeldia e tudo o que você escreveu de bem sobre ele vai parar na boca do lixo.

Esses viventes esquecem que eles fazem mil ações boas que podem até passarem discretas, mas se deixarem uma brecha aos olhos dos críticos, sofrerão retalhações. Não levem a mal. É assim também conosco. Fazemos mil coisas boas, elogiamos a todos, ninguém diz nada, pois poucos têm essa sensibilidade de reconhecer quando foram alvos de elogios e de destaque aqui no Expresso. Soubemos disso, já que tudo é cavaco do nosso ofício e, talvez essa seja a mola que nos mova. Num dia agradamos, somos amados, noutro, tome desafetos. Faz parte e tocamos o barco. Tocamos o Expresso, um veículo que faz ACONTECER. 




Um visitante ilustre na URI

O diretor-geral  da URI/Santiago, professor Clóvis Brum, fez as honras da casa ao receber o seu amigo Gibelino Minuzzi. O radialista e ex-diretor da Iguaçu FM conheceu os laboratórios de estudo, onde os professores explicaram as evoluções tecnológicas que contribuem para a formação dos acadêmicos entre outros departamentos da universidade. Gibelino foi um dos colaboradores para a instalação do campus em Santiago e disse estar satisfeito com o belo trabalho feito pela direção, que entregou um certificado ao ilustre visitante.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Igualzito ao pai

Inda há pouco dei uma bombeada no blogue do Taborda e vi seu belo artigo sobre uma pessoa que também admiro, o Rudolf Gessinger, filho dos nossos grandes amigos Ruy e Maristela Genro. Me alegro cada vez que vejo um filho seguindo os bons rastros do pai, no caso deste guri, ele segue com maestria. Me associo ao Taborda e também parabenizo o casal que renovou seus votos de casamento depois de 17 anos. 
Agora, um artigo em homenagem  ao Ruy e ao Rudolf.

Meu pai,  meu rei

Quando criança, gostava de observar os mais velhos. Meu tio recebia os compadres, enquanto eu ficava à espreita: qual seria o início da prosa? Será o tempo ou os animais? Indagava-me, fazendo um jogo com meu próprio pensar. O assunto “tempo” sempre vencia. 
- Buenas, compadre!
- E daí, será que chove?
- Olha, só se virar o vento.
- É, mas hoje amanheceu carregado para os lados do “chovedor” e eu não quero mentir, mas esse tempo velho é “caborteiro”...

As palavras do tio eram sábias e eu jamais retruquei. Naquele tempo, criança que se metia em conversa de adulto ganhava um tapa na cara. O tio não poupava nem os comentários sobre o meu próprio time. Pior ainda se fosse hora do almoço.

O maior orgulho para um pai é ser o herói de seu filho. Ser espelho para a prole justifica nossa presença na terra e nos faz remoçar. Infelizmente não tive privilégio de ser criado pelo meu pai, que partiu cedo justamente com a idade que tenho hoje. 

Minha mãe, ainda jovem e com oito bocas pra sustentar, precisou “dar” alguns dos filhos aos parentes. Numa “doação” daquelas me fui junto. Morei por 10 anos com meus tios, depois agarrei o mundo, só parando em Santiago.

Apesar de não conviver com meu pai, eu nunca o esqueci. Sua imagem é onipresente em minha memória, fazendo me emocionar quando ouço hinos em memórias dos pais, a exemplo da música interpretada pelo jovem Diego Alexandre, no Femuri. 

“Você é meu pai, você é o meu rei”, dizia a letra da canção, me fazendo refletir que meu pai também foi um rei. E hoje, caso  não seja o rei para meus filhos, já me contento em poder apenas dizer que eles são o meu reino.            
(Publicado em 30/07/04)

Divirtam-se

Estamos aqui com a poupança pregada na cadeira desde umas horas da tarde. Tudo se encaminha e teremos uma baita edição do nosso Expresso, com muitas críticas, como sempre, já que este é nosso papel, embora alguns não entendam. 

E agora, para quebrar o gelo deste minuano que já começa a dar sua caras aqui na pampa, o doce trabalho do meu amigo Ed Joaquim, de São Paulo. Só não sei como foi que ele descobriu que o Bianchini gosta de tomar uma “jararaca” ali no Tiacolon do Riachuelo. Eu volto logo.

O bom é o desafio


Hoje, quarta-feira (segunda nem sei onde andava com a cabeça que coloquei "as boas de terça"), dia marcado pelo desafio. Praticamente toda a prefeitura de Santiago e mais alguns estão aí nesta foto e, lógico, o Bianchini. Ele está em todas, mesmo não estando. Vem cá! Isso também é um desafio, não é mesmo? Ir sem chegar, voltar sem ter ido. Me lembra até aquele filme: "A volta dos que não foram". 

Mas tudo bem, desafios fazem parte da nossa rotina. É mola que acelera nossas vidas. Eu mesmo, sem desafios seria um coitado, um proximozinho... Então, viva o desafio, a exemplo da edição de sexta do nosso Expresso que festejará seus 16 anos no sábado com a grandiosa festa ACONTECE.

E me aguardem, tenho ótimas coisa para logo mais.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Chimarrão:


Chá da amizade

Um projeto para tornar o mate um patrimônio imaterial está em fase final de pesquisa e deve ser encaminhado até junho para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Sob o título O Patrimônio Imaterial do Chimarrão: o Chá da Amizade, o projeto está sendo executado pela ONG Núcleo Cultural, de Venâncio Aires. O reconhecimento resultaria na preservação da história do chimarrão.
(esta é uma homenagem ao Vágner )

Inauguração da 377?


Santiago mais uma vez vai figurar nos livros de história, pois está prestes a receber outro governador para inaugurar a mesma obra. Se tudo correr bem, e eu duvido que corra, duvido que venha, a governadora Yeda deverá vir "liberar" a pista da 377 para o trânsito, como bem frisou o vereador Pedro Bassim.

Já vi que repercutiu a nota publicada no Araponga sobre o ex-deputado que se "refugia" em Santiago para não pagar pensão alimentícia ao filho, o qual, ele teve com a ex-nora. Coisas da vida...

E a nova moda agora é o político que não é político. Ao se eleger pela primeira vez, o cara quase teve um chilique e passou quatro anos dizendo que não era mais candidato, mas nem havia acabado o mandato e ele andava percorrendo todos os lugares à caça do voto, o que é natural. "Desnatural" é ele ter passado dizendo que não iria mais.

Agora, o baile segue no mesmo tranco. Ele não diz que não concorre mais, apenas se mostra um não-político enfiado até as goelas na política. Isso também não prejudica ninguém, é apenas um comentário, pois quem está na vitrine, merece e deve ser visto. 

FRASE
"A governadora Yeda virá a Santiago não para inagurar a RS 377, mas para liberar o trânsito. Ela só inaugura obras que estejam prontas"
Vereador Pedro Bassim (PSDB). 

segunda-feira, 25 de maio de 2009

As de terça-feira

Olá, amigos. Hoje estou igual ao tempo, de cara ruim. O tempo promete chuva e frio, eu prometo que vou melhorar. Minha doença? Não, não é gripe suína e nem febre amarela, moléstias que não passaram de alarmes pra se fazer notícia e estardalhaços. Como diz meu amigo Irani Caetano, isso tudo é igual a crise que tanto falam mas que não se sente...

Não estou bem, mas espero me recuperar com trabalho no mais, lógico, aqui por casa mesmo. Nesta semana a coisa vai pegar fogo, pois teremos o grande evento da coluna social Acontece, que festeja 16 anos junto com o Expresso. A Sandra e sua equipe não têm folga.

Já o Expresso vai fundo na crise entre prefeitura e hospital de Caridade, aliás, o hospital não está em crise com ninguém, o que há é um mal-estar enorme entre médicos x prefeitura; Rúderson x Prefeitura; Rúderson x Vereadores e por aí vai... (não é crise, capaz...)

Inda há pouco estava ouvindo rádio. Um cara anuncia a manjada frase naquele comercial "a empresa está de aniversário e quem ganha o presente é você". (esta frase existe para quase todas as propagandas cujas firmas aniversariam). Outro anunciava que a cor da erva-mate era verde...


Lindo também são os comerciais de supermercado e de farmácias. No primeiro eles gastam a metade do tempo para dizer que este tipo de empresa vende tudo em gêneros alimentícios e citam, carne, leite, farinha, como se a gente não soubesse o que se vende num supermercado. No comercial da farmácia é quase a mesma coisa, só que o tempo é gasto para citar que vende remédios e perfumarias, lógico.

Pelamordedeus! Pior que isso só o nome do meu amigo Oracy de ponta cabeça na capa do seu novo livro. Em protesto, vou ouvir mp3 a tarde toda.

domingo, 24 de maio de 2009

Festa entre amigos


Meu domingo está sendo mais caseiro do que nunca. Aproveito para descansar e atualizar a cabeça e, claro, este blogue. Devo contar a vocês que na última sexta fui à festa de aniversário da amiga Nilta Menna Barreto. Foi tudo meio improvisado, mas valeu a pena justo pela presença de tantos amigos, dentre eles a Rita Menna Barreto, O José Eri, a Rosane, O Luiz Alfredo, o grande cantor santiaguense André Canterle. A aniversariante estava radiante de felicidade, à qual desejo sucesso, tanto na vida familiar quanto na profissional. Aí, na foto, A Suzana, eu, a aniversariante e a Rita.

Crítica do leitor

Este e-mail é endereçado ao Expresso, mas como meu blogue sempre aborda as questões ligadas ao jornal, nada de errado se publicá-lo aqui para adiantar o serviço. Aí está o recado do Genaro, ao qual agradeço pela leitura e pela participação, mostrando a repercussão dos artigos dos nossos colunistas.


Prezado Editor

Não tenho nenhum vínculo com o vereador Arlindo Alves e nem o conheço pessoalmente, mas achei preconceituoso o texto publicado na página 09 do Jornal Expresso Ilustrado, edição 868, na coluna Araponga. Ao menosprezar a linguística do vereador, produz-se consequências a ele, aos seus eleitores e a população que se expressa de maneira semelhante, entre eles, provavelmente, vários leitores do Expresso Ilustrado. Como afirma Bagno (2001), “respeitar a variedade linguística de toda e qualquer pessoa equivale a respeitar a integridade física e espiritual dessa pessoa como ser humano, porque a língua permeia tudo, ela nos constitui enquanto seres humanos”.

Ressalto que não tenho nenhuma identificação política em Santiago, pois estava morando há dez anos em Porto Alegre e retornei a cidade este ano, mas não é a primeira vez que observo casos como este no jornal. Minha única intenção é colaborar como leitor, para tornar mais agradável a leitura. Também achei incoerente a coluna "A tia louca", na página 02, mas sobre esta prefiro nem comentar.

Agradeço a atenção.
Genaro F Vargas

Ao Genaro e ao Arlindo

Sua crítica é pertinente. Sabe-se muito bem que o linguajar do povo é o linguajar de Deus. No entanto, caro leitor, os colunistas adotaram um estilo mais crítico-brincalhão e, vez por outra, sempre aproveitam essas brechas para caçoar dos políticos, afinal, nunca é tarde para se aprender. Um exemplo de que é comum se falar dos erros linguísticos dos políticos é dado contra o próprio presidente Lula.

Até a bem pouco tempo Lula dizia "menas" entre tantas outras palavras erradas. Daí, serviu de tema para muitos humoristas, chargistas no Brasil e exterior. Apesar disso, Lula segue como um dos políticos mais populares da América do Sul, elogiado até por Obama.

Sei que fazer apologia ao erro é burrice, mas cito essa parte para mostrar que a crítica ao bravo vereador Arlindo vai até ajudá-lo em duas coisas. Ficará mais popular e até vai poder tirar proveito do jornal para rever sua postura linguística diante do microfone público.
Obrigado.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Semana cheia


Sexta-feira, dia de ver a programação de final de semana. Eu vou ao dentista e, após uma boa malhada na academia, irei me reunir com os amigos e festejar o aniversário de uma grande amiga. Chega de trabalho, ainda mais depois dessa edição supimpa!


Babacas e... 

Os médicos resolveram chutar o pau da barraca a respeito do pronto-socorro do hospital. O Caetano disse que eles, os médicos, são uns babacas e que trabalham de graça. Não opino nada ainda, pois quero estudar bem essa situação. Há versões de todos os lados e sei que o povão vai àquele setor, que seria só pra coisas urgentes, até para ver uma unha encravada. 

... os caras-de-pau

Nosso festival vem aí, e de ante mão, agradeço ao meu amigo Marco Antônio Nunes por ter me chamado de cara-de-pau (quem não leu, que leia) no meu próprio jornal, se referindo aos que criticam a ExpoSantiago e o evento nativo que ele coordena. Pois é, Marco. Se fazer críticas por vocês terem gasto 220 mil com Bruno e Marrone é ser cara-de-pau, continuarei sendo, e com muito orgulho.

Semana cheia

Na próxima semana, novamente teremos uma semana puxada. Na terça à noite ainda terei que ir num evento a convite de um grande amigo, com o qual sempre me sinto bem. Dou graças a Deus por tê-lo como amigo da família.

ACONTECE

A Sandra está num corre-core danado com sua equipe buscando aprontar tudo para a sua festa, que também é do aniversário do Expresso, evento que acontece no próximo sábado, no clube União. 

Édson Vargas

Meu outro  grande amigo, o Édson Vargas, vai lançar seu disco nos Tropeiros na próxima sexta. A obra ficou pra lá de bagual, ainda mais na voz lindíssima do Édson. Convido a todos os meus amigos para bailarmos nesse grande encontro. Convites na redação, na Complementus e na Laqua. 

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Monte dá as caras


O jornalista Miguel Monte está de volta ao ofício que ele mais gosta e sabe fazer: assessorar as prefeituras da região. Em breve, ele será contratado pela de Jaguari e servirá ao prefeito João Mário, que viu em Miguel a possibilidade de bem divulgar seu município. Fico feliz com isso, pois ele é um dos poucos que realmente faz jus ao salário e não fica um dia sem enviar notícias aos jornais e rádios. 

Aperitivos...

Estamos em ritmo acelerado buscando o fim dos trabalhos para que na madrugada de sexta todos estejam com seu Expresso na mão. Como sempre, recheado de informações, charges, fotografias. Para aguçar os ânimos e as bichas (falo as da barriga, eh,eh,eh), eis o aperitivo - uma das nossas charges. Lógico, não é a principal, mas já serve para brincar com meu amigo Miguel Garaialdi que mudou de partido. Sei que ele sabe administrar tudo numa boa e, por ser político, acaba levando um choquezinho de vez em quando, mas que faz parte da vida. Um abraço a ele.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

ExpoSantiago em ação

Eis o pessoal da ExpoSantiago com alguns políticos de nossa cidade às catas de dinheiro (não sei por que teimam em dizer "recurso") para a nossa feira. Na cabeceira da mesa, ela, a elegante e dinâmica secretária Mônica Leal. Nem sei quantas vezes já escrevi seu nome neste ano, mas fazer o que, se a mulher é de faca na bota e passa ajudando nossa gente? 


A propósito: a feira deverá ser grandiosa, desde que não me tragam shows impagáveis de novo para levar parte do dinheiro que seria dos empresários.

Hospital de Jaguari

Acabo de sair de uma conversa com o prefeito aí dessa charge, o grande João Mário. O hospital de Jaguari ficará sob o comando das freiras, mas só até novembro. Depois, a prefeitura e o Estado e até, quem sabe, outros hospitais, possam assumir esse comando. O que de concreto resta, no momento, é que se não ficar com ninguém,  a prefeitura terá que abraçá-lo.


João recebeu João (Pinheiro)

João Mário, atencioso como sempre, calmo, tranquilo, sabedor daquilo que diz, festeja a chegada do novo secretário: o seu xará Martins Pinheiro, que assume no lugar de Ilói Bataglin. Aliás, Bataglin é outro que festeja, pois a pressão para que voltasse à rotina no cuido do supermercado era grande. E sem demérito a ele, Bataglin, que serviu à prefeitura com toda a boa vontade, organizando as coisas, mas esse João Pinheiro é forte. Com ele, a secretaria de Finanças ficará bem servida.  


Enquanto isso...


...em Jaguari...


Ruy Gessinger


Acabo de chegar na redação e já soube que o amigo e colunista deste jornal, o desembargador Ruy Gessinger, está atuando como advogado em prol de alguns secretários da governadora Yeda. Ele foi convidado a dar "aconselhamentos". A princípio, é isso, mas ninguém nega que o nosso santiaguense não acabe mesmo sendo contratado para defendê-los contra mais uma crise política no governo.

Fenovinos

E por falar em Ruy Gessinger, desde a semana passada ele está acompanhando diretamente a Fenovinos, feira de ovinos que acontece em Pelotas. Ele representa Santiago e Unistalda com o intuito de candidatar nossa região para sediar a próxima Fenovinos. De quebra, nosso "enviado especial" mantém seu blogue atualizado sobre tudo de bom que acontece lá, lembrando, inclusive, que a sua cabanha (Pecuária Gessinger) mais uma vez vai trazer prêmios.

Mônica Leal

Enquanto isso, a secertária Mônica Leal segue dando sua tradicional mãozinha para Santiago e região. No dia de hoje ela acompanha  uma delegação da ExpoSantiago em vários departamentos estaduais buscando apoio para a nossa feira.

terça-feira, 19 de maio de 2009

20 anos de jornalismo


Mais do meu livro

A pedido de alguns leitores, vez por outra coloco partes do meu livro 20 Anos de Jornalismo aqui na telinha para que todos possam saber mais a meu respeito, e sobre os que me rodeiam. Boa leitura.


INTRODUÇÃO:
Surge o desejo... contar minha vida

São 19h:30min. Nove de setembro de 2007. Talvez esta data signifique pouco, quase nada, mas tem tudo a ver comigo. Hoje é o dia em que decidi documentar um pouco dos passos que dei ao longo de quarenta e poucos anos. Meu objetivo é deixar alguma coisa palpável sobre minha trajetória, a qual está atrelada ao maior fruto que colhi na vida, depois da minha família: o Expresso Ilustrado, jornal que fundei em 1993, e que festeja 15 anos. 

Neste período não faltaram noites maldormidas, outras sem dormir nada, tudo para hoje festejar o sucesso de um semanário que mudou o jeito de se produzir notícia em Santiago, rompendo uma abstinência de jornais (com periodicidade correta) que se estendia por muito tempo. O início foi difícil, como é o começo de qualquer coisa que se projete para ser grandiosa, mas agora, após estes anos todos, digo com sinceridade que a maior recompensa é saber que o Expresso Ilustrado praticamente reacendeu no povo o hábito da leitura. Mais: constitui-se não só num meio informativo e educativo da região, como também tornou-se, para muitas famílias, o único veículo impresso a entrar em seus lares. 

Este livro é o retrato de alguém que lutou muito. Não para mudar conceitos de comunicação, e sim para fecundar um jornal e sustentar a si próprio e quem o rodeia. De brinde, graças a minha Santiago, consegui ir além dos tabus e ser acreditado pela atual conjuntura, na qual o rótulo vem antes da própria pessoa. Sem base familiar adequada, sem muitos recursos financeiros, segui determinado. Minha impulsão talvez tenha sido o descrédito de quem me via sonhando, tentando me apresentar como um ser comum, mas revestido de muita vontade de aprender e diferenciar-se dos  incrédulos. 

Sob o jugo dos que se achavam poderosos, cresci como pessoa e como profissional. Convivi com muitos, aprendi com poucos e me formei no mundo. E aqui estou empilhando palavras e tentando fazer as pessoas acreditarem que todos podem  - quando querem poder -,  quando pensam num rumo e não se afastam dele por nada. Uma vez li esta frase e jamais esqueci: “Descubra o que o torna competente e siga em frente”. Nunca procurei fazer o que gostava, procurei gostar do que fazia e descobri o gosto pela comunicação, levando em conta que desde cedo cantava, declamava, imitava e conversava mais que o homem-da-cobra. Então, achei algo para aplicar minhas habilidades comunicativas e conhecimentos mundanos. 

Nos anos que antecederam minha vinda para a Terra dos Poetas, só não comi o pão que o diabo amassou porque não acredito que ele exista. De resto, enfrentei tudo junto da família e de alguns escassos amigos. Neste documentário entrego a vocês um resumo das passagens mais engraçadas, mais tristes, mais alegres de minha vida; desde a amarga infância até as páginas históricas do Expresso Ilustrado. Espero que gostem da leitura. Ela traz fatos emocionantes e vai envolver a todos os que me cercam mais de perto. A escrita não é a mais didática. Segue a forma usada na edição do Expresso Ilustrado, estilo que me identifica.

Os fatos aqui narrados são investidos de toda a minha sinceridade e, caso algo não esteja de acordo, terá sido por mera falha de memória, minha ou de alguma testemunha. Espero que os fragmentos, revelando meus erros e acertos possam agradar ao público leitor e que, acima de tudo, estimulem meus três amados filhos, pois antes de qualquer conquista, é a atenção deles que almejo. Não adianta sermos um herói para o mundo se não somos dignos da admiração da nossa própria família. 

Verdadeiro ou falso?

Como eu gosto de servir aos meus leitores, surrupiei estes tópicos que achei aqui no jornal e que devem fazer parte da edição desta sexta para animá-los um pouco. Caro leitor, bem que você poderia analisar, pode ser aí mesmo, no seu divã, se tais afirmações são verdadeiras ou falsas. 

Dizem que uma prefeitura da região contratou um serviço de geologia e pagou 30 mil por ele? Mas não seria melhor pedir à URI que fizesse o serviço?

A cada mês o governo do Estado injeta 100 mil reais nas obras do aeroporto, fora a ajuda que a prefeitura de Santiago é obrigada a dar. Esse aeroporto vai mudar a história de Santiago  recebendo dezenas de aviões todos os dias.

O ex-prefeito Chicão fez uma festa na localidade Quatro Bocas já de olho em sua  candidatura a deputado estadual. Chicão não teria gasto nenhum pila com esse churrasco. Então, teria sido  tudo doação de campanha?

O vereador Bianchini anunciou que o deputado Peixoto vai mesmo pro Tribunal de Contas e que Chicão  terá o caminho livre para a Assembleia. O Polaco seria o novo papa-votos da região.

Quando soube que Irmo Sagrillo não havia gostado das acusações feitas pelo vereador Pelé, (sobre terrorismo no hospital etc), o parlamentar tratou de jogar água na fogueira, se dizendo amigão do empresário. Muy amigo!

Um ex-deputado estaria morando em Santiago com o objetivo de esconder-se da mãe de seu filho, que por sua vez, é a sua própria ex-nora. O político é meio avesso à pensões alimentícias.


Palhaço Loredi

Não há diversão melhor que ir ao circo. Aliás, essa é uma arte que vem sendo desmerecida no Brasil. São poucos os artistas circenses que ainda se arriscam a ganhar a vida assim. Eu mesmo, por mais humorista que queira ser, jamais trabalharia num circo, embora admire essa arte.  Aí na foto, o palhaço João Loredi com o seu amigo José Eri.

A fonte do roubo

     A Polícia Civil de Santiago achou uma maneira corretíssima de lidar com o crime. Há alguns meses, os investigadores vêm atuando contra os receptadores - essa gente que compra os objetos furtados. Os 10 presos na semana passada e estampados um a um aqui no Expresso  deixaram muitos outros adeptos à lei de Gérson (lei de quem gosta de levar vantagem em tudo) com as barbas de molho. Ora! Há de muito todo o brasileiro sabe que comprar coisa roubada é contribuir com o crime. É prejudicar o pai de família que ficou sem sua melhor roupa, a criança que perdeu o tênis e até o seu vizinho que ficou sem aquela bomba de chimarrão, presente de um compadre.  

       De agora em diante, tudo leva a crer que a onda de roubos vai cair, caso contrário, novas devassas casa por casa devem ser feitas para achar os produtos furtados. Uma hora eles aprendem que o crime não compensa. E a comunidade aplaude ao saber que polícia age com destreza contra os que adoram comprar um DVD, uma roupa, um ferro de passar, um som automotivo mais baratinho. Alguns até ficam  tristes de verem tantas donas de casa, tantos trabalhadores estampados na coluna policial, mas contra esse tipo de crime, o remédio é um só: matar o destino do roubo para que o roubo também morra na fonte. 



Na foto, A Suzana e eu, Mano Lima, Garaialdi  e o casal Menna Barreto (Luiz Alfredo e Rejane).

Festa da URI

Em função dos compromissos de segunda-feira, não havia comentado nada sobre a festa da URI, ocorrida no sábado à noite, a qual estava muito bonita, com um excelente cardápio e boa música.  Parabéns à nossa universidade pelos seus 17 anos.

Apresentação à parte

Não digo que foi um show por que o cantor não gosta de estrangeirismos, e prefere dizer "apresentação."  Mano Lima encantou a todos com sua presença na festa da URI. Ele foi dar sua contribuição à universidade a convite do seu amigo e compadre, Miguel Garaialdi.

Autêntico peão

Sempre que vejo o Mano Lima e posso prosear com ele, me alegro muito, não apenas com suas maravilhosas músicas, mas com sua figura ímpar. Mano é despretensioso, simples, humilde por natureza e, acima de tudo, autêntico em tudo o que faz.

Gravação do DVD

Quando cobrei dele um DVD ao vivo, me disse que está nos seus planos, mas falta-lhe tempo, pois quer fazer algo diferente, com boa conversa e ensinamentos sobre a vivência campeira. Ele tem razão, pois nossos jovens não sabem quase nada da cultura gaúcha, mesmo vivendo num Estado que se diz autêntico. Na Semana Farroupilha até vestem bombacha, mas acredito que alguns nem saibam o que a data significa de verdade.

Terça bonita

Depois de uma segunda não muito agradável, devido ao falecimento da dona Cecília Gavioli, retornamos. (Corrigindo a informação anterior, a dona Cecília tinha 86 anos, não 78). A terça está maravilhosa, boa para o trabalho e logo cedo soubemos do acidente em Jaguari, BR 287, causando a morte de mais um motorista de caminhão. Detalhes na edição de sexta.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Adeus, dona Cecília

Acabamos de enterrar a dona Cecília, querida matriarca dos Gavioli, moradora de Chapadão - Jaguari. Dezenas de parentes e amigos foram dar o seu adeus a uma pessoa que viveu para fazer o bem, dar exemplos, semear amizade e carinho. Foi emocionante ver as suas amigas do grupo Terceira Idade levando uma florzinha cada uma, num gesto de despedida e também de agradecimento por terem convivido com essa pessoa maravilhosa.


Dona Santa Cecília deixa seus vários filhos, netos e bisnetos entristecidos, a exemplo do esposo adorado, o meu grande amigo Enízio Gavioli, com quem viveu 71 anos. Infelizmente um edema pulmonar a levou da noite para o dia, mas felizmente ela se despede da mesma forma que vivera, serena e alegre. Foram apenas dois dias internada, sem grande sofrimento. A nós, pobres mortais, resta o consolo de seguir tentando ser um pouquinho do que foi essa mulher de ouro que ora descansa aos seus 78 anos.



Domingo à noite estava propício para fazer um programa diferente, ir ao circo. Juntei meus amigos e lá se fomos. Circo Vargas, muito bom! Uma diversão que não custa caro e proporciona momentos marcantes para toda a família. Na foto, meus amigos saboreiam uma pipoca seguida de algodão doce e maçã-do-amor. Quer programa melhor?

Segunda triste

Hoje cedo soube de uma notícia triste para todos os amigos da família Gavioli, que perdeu dona Santa Cecília Gavioli, falecida no hospital de Santiago às 05 da manhã. Ela era mãe do meu grande amigo Juarez Gavioli, dono do Pesqueiro Chapadão. Lamento essa perda, lamento também pelo meu outro grande amigo, o seu Enízio Gaviloli, o qual estava casado com ela há uns 70 anos e que ficou só.

Hoje à tarde não estarei no jornal.

sábado, 16 de maio de 2009

Sábado (quase) gelado

O frio deu as caras e eu como sou muito temeroso ao minuano, me agasalhei bem. Desnecessário dizer que só acordei às11 da manhã, é que, ontem, fomos até tarde bebendo um vinho e conversando com os amigos de sempre.


A edição do nosso Expresso ficou cheia, estupenda! Recebemos vários elogios dos leitores.  As notícias e charges são para todos os gostos. O que mais chamou a atenção foram as 10 pessoas presas por receptação (comprar coisas roubadas) e o caso do padrasto estuprador da enteada e até da filha de 4 anos.

Queria aproveitar e enviar meus parabéns à equipe de investigação da Polícia Civil que não só desvendou vários crimes, como também meteu na cadeia esses 10 que compraram coisas roubadas. Todos aplaudiram de pé essa iniciativa. 

E preparem-se: os roubos vão diminuir e por uma razão bem simples: as pessoas vão pensar duas vezes antes de comprar um tareco roubado. Agora, em Santiago, isso dá cadeia de verdade.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Crise na saúde em Jaguari


Jaguari também sente os efeitos da crise na saúde e as irmãs que comandavam o hospital da cidade abriram fora. A Sociedade Educação e Caridade Irmãs do Imaculado Coração de Maria anunciou o encerramento das atividades, isso depois de 59 anos no comando.

O jeito foi largar a bola pra prefeitura, obrigando o prefeito João Mário a ir correndo pedir ajuda ao secretário do Estado, Osmar Terra, o qual já adiantou que a ideia é transformar essa casa de saúde num órgão microrregional. 

João Mário voltou faceiro para casa, ao lado do vereador Eudo e do assessor jurídico Eduardo Diefenbach. Agora é esperar por uma audiência pública em Jaguari com a presença do secretário Terra, na qual serão decididas as formas dos convênios etc.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Sucessão na URI


Eis mais um trabalho do meu amigo Ed Joaquim, o paulista que não poupa talento. A propósito, este repórter tem algo a ver comigo?

As boas de hoje


Chove chuva

E a chuva está aí novamente. Pouca ainda, é verdade, mas não dá para se queixar. Acredito que agora sobrou um pouquinho até pra Unistalda do meu amigo Ruy.

Garaialdi

E o PDT da região ganha força, agora com o meu amigo Miguel Garaialdi em suas fileiras. Lamento pela perda do seu pai, ocorrida nesta semana.

Peleia do PP

Esquenta a briga interna no PP envolvendo Rúderson Mesquita, Pelé, Bianchini, Frederico... 

Briga miúda

Por ora, está entre os da linha de frente, vamos ver quando sobrar para os mais colhudos, tipo Sagrillo, Cássio, Valdir. A metade da broncas é devido às candidaturas de Chicão e Marco. Eta política velha! Quando não acham com quem pelear, brigam ente eles.

Machos, muito machos

Faz me lembrar a localidade de Bojuru, lá perto de São José do Norte (Rio Grande). Fazem baile todos os sábados, mas de tão machos que são eles dançam entre eles. Nada de mulher.

Que feio!

O Expresso entra no mérito da peleia dos progressistas e já avisa: vai ficar feio pra muita gente. É como o ditado aquele: "Os cachorros que andam e  latem atrás dos carros e, quando finalmente os alcançam, não sabem o que fazer".

Salários

Agora deu até pro Pelé dizer que o Frederico não precisa de salário da prefeitura. Aí o Diniz deu sua cacetada tradicional: "Não precisa? Então, ele que pegue apenas o ganho do Sebrae e vá trabalhar de graça na prefeitura".

Olhem bem!

Talvez esteja na hora da oposição, que também é mais do que brigona, tirar proveito e reforçar seus nomes para os próximos embates. Falando em nomes, quais? Eles têm algum? O único problema na questão é que eles brigam, brigam e, na ora do pega, se unem todos de novo.

E o eleitor...

Mas cá pra nós. Toda essa pauleira e desentendimentos só demonstram a desqualificação de alguns dos nossos peseudos-líderes. Alguns passaram a vida inteira na política e até agora não aprenderam como se faz. Paciência! Eu é que não vou ensiná-los, mas talvez os eleitores possam ajudar.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Autoritarismo x ignorância

Mais uma vez o autoritarismo e a ignorância de quem usa o microfone público são revelados. "Dê poder a um homem e verás do que ele é capaz". Pois essa frase está mais atual do que nunca. 

Mas não pense o nosso algoz que usaremos o Expresso, um veículo de massa para responder àquilo que poucos ouviram, acabando por ainda projetar o nome desse senhor. Nem nesse blogue ele merece ser citado o qual, acredito ter mais acesso que a transmissão radiofônica da Câmara. (Ou alguém deixa de ver novela para escutá-los?)

Entretanto, nossos advogados já estão articulando-se para pedir o direito de resposta pela própria boca do ofendedor, que a esta hora, já transformou a malfadada "imunidade parlamentar" em "nulidade parlamentar".

E já que esse ignorante e grosso gosta tanto de falar em salários, saiba que qualquer cidadão em Santiago, por maior que seja seu ganho, recebe bem menos que um vereador que ganha mais de três mil reais para dizer baboseiras por 5 minutos de um horário pago do nosso próprio bolso.

SABEM QUAL A DIFERENÇA ENTRE A SABEDORIA E A BURRICE? A PRIMEIRA É LIMITADA


Fritada em fogo brando

Paulo G. M. de Moura*
Escândalos e trapalhadas  viraram rotina no governo. Todos os escândalos anteriores foram contornados, mas a um custo político enorme. A governadora carrega um índice de rejeição que beira os 50% (Datafolha) e as manifestações de intenção de voto na virtual candidatura a sua reeleição giram em torno de 8%, quase o mesmo índice que apresentava na largada da eleição de 2006. Os dribles que o governo deu nas denúncias anteriores foram possíveis porque nenhuma prova cabal foi apresentada. Por outro lado, se as denúncias voltam a emergir também é porque a governadora não conseguiu dar uma resposta cabal e convincente à sociedade sobre as alegações de seus acusadores. 

Yeda sai dessa?

Há novidades nas novas denúncias da revista Veja e pelo PSOL? Terá Yeda condições de se livrar de mais essa onda? A resposta à primeira pergunta é sim; há novidades. Veja faz referências a gravações cujo conteúdo circula como boato nos bastidores políticos e da imprensa gaúcha há meses. De posse da informação, e, tudo indica, das gravações, Veja buscou no depoimento da viúva de Marcelo Cavalcante (ex-chefe de gabinete da então deputada Yeda e ex-chefe do escritório de representação do RS em Brasília, encontrado morto), um suporte que conferisse lastro à matéria que publicou somente 40 dias após ter a notícia em mãos.
* Consultor em Comunicação & analista político


Tapa de luva

Acabo de receber notícias vindas da Fazenda Itu. Várias fotos, os temas abordados e o lançamento da pré-candidatura de Afonso da Motta para deputado federal. Vejo, com prazer, que a direção do PDT também sabe administrar as críticas, dando quase um tapa de luva neste blogueiro que havia reclamado de não ter recebido convite para o evento e nem uma linha a respeito. 

Gripes

A Gripe Suína (não adianta mudar o nome. O mal já foi feito com os bichinhos roncadores) segue se alastrando. Agora já são oito infectados em todo o Brasil, um de Santo Ângelo. Mas como diz o próprio secretário de saúde Osmar Terra, a gripe comum mata mais gente que essa nova peste. O problema todo é a mídia que semeia o pânico e acentua o medo da morte em todos nós.

Chuva, chuva

Felizmente uma chuva caiu sobre a pampa tórrida. Em Santiago foram 20 mm. Pena que em Unistalda, conforme nossa equipe de reportagem que percorreu a região nesta manhã, foi só uma garoa. Pelo menos até às 11:30 de hoje. Mas ela vem, ora se vem. Para amanhã há promessa de 40 mm.
Por enquanto, era isso, meus amigos.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Este aí da foto ao lado de Brizola sou eu. Não dá pra ver? Meio mudado, é verdade, mas sou eu.

PDT - Assim é que se fala

Após minhas críticas sobre o porquê do Expresso não ter sido convidado para a festa do PDT na Fazenda do ITU, recebi um comunicado a capricho, assinado pelo presidente José Marques e pelo assessor de imprensa Cleudo Irion. Eles falam da nova fase do PDT na região, entre outras metas, que por sinal, vai valorizar os antepassados trabalhistas, a exemplo do falecido líder Leonel Brizola, pessoa que muito admirei.

Encontro na ITU

E sobre o encontro na Fazenda do ITU, o qual o Expresso não pôde divulgar por falta de convite ou de informação, o mesmo foi organizado pelo PDT regional, não sendo, portanto, a cargo dos trabalhistas de Santiago. 

Está muito bem, gente! Obrigado pela atenção e pela maneira fidalga com que assimilaram as críticas. Se o evento foi grandioso, sorte do PDT, sorte dos seus filiados e simpatizantes. O Expresso aguarda mais dados para noticiar tudo com muito prazer!

Os 'gargantas'

Vejam como é! A sessão da Câmara nem chegou a ir ao ar direito (faço esta postagem às 18 horas) e eu já sei que falaram em meu nome. Vou aguardar o momento oportuno para dar a resposta por inteiro a esse camarada que tanto diz orgulhar o  PP santiaguense. Usar microfone pago com o nosso dinheiro para gargantear é muito fácil mesmo...  E tem mais: enquanto alguns vão latindo, a caravana toda está passando. Ética e respeito é para quem tem, não para quem quer, muito menos para quem é ignorante. (obs.: esta postagem não tem nada a ver com o Bianchini, meu homenageado da semana). 


Parabéns ao 
homem de ferro

O Expresso trouxe uma grande homenagem ao vereador Bianchini, feita pelos seus amigos, sobrinhos e demais familiares,  devido ao seu aniversário. Sexta foi a vez da comemoração e aqui me atrelo aos convidados para dar os vivas ao bombeiro de ferro, que tem demonstrado coerência e vem sabendo aceitar as críticas. Valeu, caro vereador. Seu passado é glorioso assim como deve ser o seu futuro. |Desejo-lhe sucesso na empreitada.
 

Grandiosa lei...

Falando em Bianchini (vira e mexe e o seu nome vem à tona), lembrei dele hoje ao sair de casa. Na minha rua abriram um baita buraco para canalização, isso depois do prédio pronto. Recordo que foi dele uma lei de que, agora, antes do calçamento passar, as esperas de água devem estar prontas. Uma grandiosa lei, justamente por ter sido fácil de ser criada e mais fácil ainda de ser aplica... 


Aí estão, Marco pai e Marcos filho, com a governadora. Yeda assinou verba de 100 mil reais  para o hospital a pedido deles.  O Expresso até deixou de lado esta nota por falta de espaço. E como falei inda há pouco, o filho segue no rastro do pai. Se eu estivesse no lugar de Peixoto e meu filho no lugar do Marquinhos, certamente faríamos o mesmo: um ensinaria e o outro aprenderia. É a vida, então, ciúme não adianta de nada!


Yeda x fantasmas

A imprensa, como sempre a imprensa, volta a sacudir o palácio da Yeda e, desta vez, a enrrascada é bem maior e o caso da casa volta a dar boia (bóia perdeu o assento) aos fantasmas, com direito a uma viúva desgostosa não sei com quê...

Tabacos e tabacudos

Empresas fumageiras envolvidas, quem diria... E que tabacudo esse cara que confiou em mulher, logo na sua eh,eh,eh. 

Brincadeiras à parte, espero que ela consiga explicar tudo isso, pois eu sou um dos que acreditei em seu governo. Ela pode não dar a mínima importância para um interiorano como eu, mas verdade seja dita: se eu tenho o espaço, vou usá-lo, contra ou a favor. Depende dela e do seu Crusius. Ainda mais que sou contra a essas empresas de tabacudos, digo, de produção de tabacos...

O Ruy e a natureza

Meus filhos sempre leem (este assento também caiu)  o Expresso, mas às vezes deixam alguma coluna de fora. Foi aí que eu intervi para que todos lessem o artigo do Ruy Gessinger. Uma lição sobre meio ambiente que chega a dar vergonha na gente. Juro que fiquei corado a hora que li, e vocês? 

Ele sempre vem rachando com alguma coisa toda a semana, gerando expectativas em seus leitores, como eu. Realmente, me convenço que o Expresso e Santiago ganharam muito com a sua participação, principalmente por ser isenta.



À espera da chuva

Segunda-feira com previsão de chuva. Pouco, mas dizem que vem, sendo que, no mais tardar, na quarta teremos para todo o Estado. Isso eu ouvi domingo à noite pela RBS TV. Tomara que eles estejam certos.

Tiroteio

Novo tiroteio na região, mais morte, feridos... Desta vez foi em Unistalda, onde morreu o jovem Rafael Pinheiro (que por sinal é primo de uma ex-empregada nossa) em função de brigas nos afamados “comércios de carreira”. Não é à toa que Noel Guarany já cantava:  “...foi forro para carpeta, em carreiras perigosas...”  A bala segue comendo frouxa ainda nos dias de hoje.

Bandido e cidadão

Ainda lembro quando palestrei sobre desarmamento em Unistalda. Um vereador que me aparteou dizendo que a arma era para defender suas posses contra os bandidos e que cidadão não era marginal etc. Até dia de hoje, nunca ouvi dizer que alguém espantou bandido à bala pela região, mas em compensação, mortos e feridos temos aos montes... Talvez o ilustre vereador Becker não soubesse que o cidadão vira bandido num piscar de olhos, basta dar-lhes uma arma e um motivo.

Filmes

Quem desejar ver dois bons filmes sugiro: “Um homem bom” para o qual dou nota 07; e “Austrália”, com nota 09. Ambos falam de guerra, de amores e de lideranças. 

Ciúme de homem

Na semana passada o Expresso abordou uma pequena discussão entre os vereadores Pelé e Bianchini (os dois do PP) que se estranharam por causa dos possíveis candidatos a deputado, o Chicão e o Marco Peixoto.  Pelé apoia Marco e o Bianchini, o outro. Vejam como é. Mesmo faltando mais de um ano pra campanha, já andam se pegando por aí.

Pelé é Marco

Sabe-se que Pelé há horas é apoiador de Peixoto, enquanto que, Bianchini, há horas demonstra não gostar mais do baixinho. Talvez o ciúme mesmo seja do Peixotinho que fez mais votos que ele (Bianchini) para vereador. 

Berços

O que Bianchini deve aprender é que o guri não tem culpa de ter nascido em berço de ouro e ele não. Não tem culpa se o pai é líder político há anos, sendo eleito por 5 mandatos e se ele está recém no segundo, e como vereador... Essas coisas fazem parte da vida da gente. Um nasce rico, outro pobre, um bonito, outro feio... um  inteligente, outro mais burro...

sábado, 9 de maio de 2009

As do sábado

Mais um sábado à espera de chuva. Tudo seco, gado magro, plantas morrendo. A última sobre a chuva que eu soube é que ela virá lá por quarta ou quinta. E vamos esperando...

Agora é quente! Soube que o Clovis Brum articula a sucessão de seu cargo na direção da URI com os chicos; me refiro aos Gorski. Até Chicão estaria na jogada. Por outro lado, a professora Ayda, outro sobrenome Brum, também não abre mão de concorrer. Mesmo um pouco enfraquecida pelo afastamento inevitável, Ayda é sempre Ayda.

Chicão sabe que se tentar concorrer a deputado com o Marco Peixoto pelo caminho, a coisa não vai ser moleza e periga nenhum passar, o que seria amargo demais para a nossa região, pois a representação política não pode deixar de existir.

Sei que muitos outros políticos ligados ao PMDB, PDT, PSB irão ficar beiçudos: "por que só Marco ou Chicão?" É que o PP é forte, organizado e, embora existam algumas divergências internas, na hora de saírem à rua em busca de voto, todos, ou quase, andam na mesa direção.

Mas e aí, porque mencionei as campanhas para deputado se iniciei esta postagem falando na URI? Simples. Cada vez que Chicão vir o caminho pra Assembleia ganhar um espinho, o jeito é se achegar mais e mais na URI. Já pensou se ele consegue chegar à direção? Um bom cargo para quem deseja seguir na vitrine, não é mesmo?

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Hemodiálise x prefeitura

Concordo com o Prates sobre a matéria da Hemodiálise, publicada hoje no nosso Expresso. Mas em partes, pois o título diz que a prefeitura corta a verba ao hospital para este tipo de tratamento, e não deixa de estar correto, afinal, se o dinheiro é o da prefeitura, LOGO, É ELA QUEM O CORTARÁ. 


Por determinação do Conselho, mas o conselho não tem dinheiro, portanto, o título só foi mais direto, não precisava ser assim, mas já que o foi, não está errado totalmente como Prates julga estar.
Obrigado pela crítica.

Nesta história toda, está correto o meu colega Márcio Brasil. Ele pensa que às vezes sé preciso dar um canetaço em certas coisas. 

Reconhecimento ao Expresso


Felizes os que tem boas coisas a ouvir, a ler, a viver. Nós tivemos bons momentos na última sexta-feira, 1º de maio. Estávamos participando de uma feira em Alegrete, quando recebemos a edição do Expresso contendo na capa o nosso pai. Um profundo orgulho nos tomou o coração, não só por tudo o que ele foi e que é, mas sim em tudo nos transformou. E é muito bom ver esse reconhecimento. O nosso, de filhas, sempre existiu. Com certeza não agradou a todos, mas para quê? Para nós, foi simplesmente o máximo. Egoísmo? Talvez só um pouquinho. 

Obrigado, jornal Expresso e a toda sua equipe que brilhantemente faz Santiago acontecer e que transforma nossas vidas em "vidas no jornal".
Obrigado, com muito carinho.
Aline e Luciane (Grupo Batista).


O orgulho é todo nosso

Pois é, caras Aline e Luciane (e também ao grande xará João Batista). Nós fizemos um jornalismo justamente voltado a quem faz acontecer, que são vocês todos. Então, como não destacar uma pessoa que iniciou com um caminhão e se consagrou como um dos maiores empresários da região? 

Como não destacar um trabalho familiar tão bonito e que serve de exemplo? Portanto, também ficamos orgulhos quando acertamos em cheio nas nossas reportagens, e mais felizes ainda, pelo reconhecimento. Não se trabalha pensando nele, mas quando vem, sempre é recebido com grande orgulho, pois são poucos os que têm a sensibilidade de reconhecer algo. Isso também é grandioso.

Um beijo pra vocês e obrigado pelas maravilhosas flores A Sandra e a Suzana adoraram muito mais do que nós,  homens.

PDT se esconde

Amanhã o PDT fará mobilização na Fazenda Itu, propriedade de Alceu Nicola e dos meus amigos Sônia e Osvaldo. O local é encantador e mais uma vez cede espaço aos trabalhistas. Lógico, do Expresso não vai ninguém, pois esse partido dificilmente envia convite para algum evento, a não ser pelas mãos do vereador Nélson Abreu. Oportuno dizer que talvez eles não queiram que o encontro  seja divulgado, pois não deve ser lá muito importante e preferem ficar meio às escondidas, sem muita badalação etc e tal.

Entrância Intermediária:
Projeto entrará em pauta

Há pouco recebi a informação diretamente da Assembleia Legislativa de que na semana seguinte (terça) entrará em discussão e votação o projeto que eleva a Comarca de Santiago a Entrância Intermediária. Esta é uma antiga luta da comunidade judiciária local e regional. O assessor parlamentar Marcos Fiorin Flores (Kinho) informa ainda que pediu ao deputado Paulo Odone (PPS), para que essa comissão priorize a nossa cidade. 

quinta-feira, 7 de maio de 2009

As charges

Do meu amigo Sidi - Santiago

Do meu amigo Senna -  São Paulo.

Comentário esportivo

Há pouco escrevi um artigo (VER "O ASSUNTO É FUTEBOL")  sobre a possibilidade do União integrar a Segundona Gaúcha e recebi este comentário do desportista Luciano Vieira, o qual diz haver erros no que publiquei. Vejam seu comentário:

CARO JOÃO LEMES:

EU NÃO SEI ATÉ QUANDO VOCÊ VAI ESCREVER COISAS ERRADAS A RESPEITO DO UNIÃO, ATÉ PORQUE SEU FUNCIONÁRIO FOI ATÉ A CAMARA DE VEREADORES E FICOU CIENTE DAS DESPESAS.  NÃO TEMOS NADA A ESCONDER DE NINGUEM E OS CUSTOS NÃO SÃO ESSES QUE VOCÊ TA COLOCANDO. EU NÃO SEI QUAL É SUA INTENÇÃO NO MOMENTO QUE MANDA SEU FUNCIONÁRIO PARA SABER AO CERTO O QUE ACONTECE DEPOIS PASSA INFORMAÇÕES ERRADAS, MAS TUDO BEM OBRIGADO PELO APOIO.

Minha Resposta:

Desculpe-me, Luciano, então, me diga onde estão os erros que, com todo o prazer, irei reconsiderar. Estas informações estão apenas no blogue, então, poderei alterar algo para quando for sair no jornal.
Obrigado pela participação. Estamos às ordens sempre, basta entrar em contato.
(O PC falará contigo nesta semana).
Um abraço.