quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Quentes

Tudo encerrado aqui na redação. Pesos de páginas do nosso Expresso está rodando para logo mais entrarmos nas casas dos senhores. Muita notícia boa e umas não tão boas, mas é a vida... Muita propaganda política neste último suspiro dos candidatos antes da fatídica eleição;

Hoje mal deu pra trabalhar de tanto carro-de-som passando pra lá e pra cá. Dia desses, de novo me acordei com um veículo com som a mil!!!

Gosto dos que são mais silenciosos, pois denotam a inteligência de seus propagados. Agora, os que não deixam ninguém trabalhar, esses eu detesto.

Soube que hoje haveria um evento esportivo e andava um zum-zum que a verba que viria para uma boa obra era fruto da emenda do Padilha. Mas nessa época? Isso tá me cheirando a notícia azeda... (ou, no mínimo, requentada).

Já tem neguinho dizendo que o Bianchini como vereador é um bom cabo eleitoral do Chicão e ótimo assessor de imprensa da prefeitura. Te segura meu amigo Eden...

O loco andou lá nas "caixa-prego" e ainda foteou seu companheiro de jornada assando uma linguiça no meio do mato. Tudo pelo Chicão. Quer saber de uma boa projeção sobre todos os nomes que concorrem? Falem com o Bianchini.

Ah, antes que eu me esqueça, peço que não deem bola para algum comentário maldoso sobre determinados candidatos. É que muitos, ao ouvirem o primeiro não (principalmente se for um não para algum cargo de apadrinhado), saem brabos e passam a apoiar outros. Até aí tudo bem, mas não falem do "ex-apoiado", sob pena de cometerem injustiças.

Artigo do dia

Todos sabemos, e até os políticos sabem, que para representar o povo é preciso dar exemplos e, acima de tudo, não possuir a ficha suja, como dizem. Um candidato precisa ser limpo, pois essa palavra (candidato), provém de “cândido”, que significa branco, alvo, límpido, sem máculas...

Mas será que apenas sendo “cândido” basta para recebermos o tão sagrado e particular voto? Não é preciso mostrar habilidades administrativas, políticas e sociais? Claro que sim, embora a nossa lei não exija isso. E há dúvida até se o candidato precisa ser alfabetizado, presumindo-se que sua capacidade não esteja só nesse item.

Na França e em outros países mais desenvolvidos, os requisitos para um político ser bem aceito estavam acima das exigências daqui do Brasil. Cada cândido ou candidato deveria ter uma folha corrida de ensaios, de livros e até de poesias publicadas para depois se pensar no resto.

Aqui é diferente e se vê até prefeito que mal sabe se expressar, no entanto, seu cargo é sagrado pois foi lhe concedido pelo voto popular, diploma soberano que vem das urnas. E quem votou deveria saber em quem estava votando; ou não, afinal, cada povo tem o governo que deseja, ou que merece...

ENQUETE do Expresso

Horário eleitoral em rádio e TV:
Ouço e assisto todos. É a maneira de saber quem é quem e de ouvir as propostas; 12 votos 15.2%

Gostaria de ouvir, mas não tenho tempo, nem paciência; 18 votos:22.8%

É sempre a mesma coisa, por isso não assisto. E meu voto não vai mudar mesmo. 49 votos

Vai dar no Expresso

Covardes e sem moral

Temos boas equipes, mas há torcedores que não sabem o que é moral. No jogo Riachuelo x Milan (São Martinho), o bandeirinha levou a pior, tudo porque o time local não jogou nada. Uns gurizotes bagaceiras ameaçaram tanto o bandeira só porque havia uma tela entre les.


E outro covarde fez a pior coisa contra um pai de família: cuspiu no seu rosto. Depois, um baixote invadiu o campo pra surrar o rapaz. Covarde e bagaceira! E os da Bonato é que não prestam...

Melhor é acabar de vez com o esporte se uns boca-braba vão pra beira do campo só pra tirar o estresse e se aparecer...

quarta-feira, 29 de setembro de 2010


Novidades no FIES

Conforme o professor Padilha, a URI tem incentivado o ingresso de alunos nos cursos de licenciatura, pelo plano Rubi, que oferece descontos. Já o professor Chico também comentou sobre as facilidades do FIES e que a URI está trabalhando nisso.

"O aluno que consegue o FIES, tem carência de um ano e meio para começar a pagar, após se formar, e tem um prazo médio de 15 anos para quitar sua dívida", destacou. "Hoje só não estuda quem não quer", concluiu.

Outra novidade do Fies, e que corrige uma dificuldade anterior, é dos próprios alunos serem avalistas uns dos outros, o chamado aval solidário. Por fim, os diretores destacaram a vontade de trabalhar muito pelo crescimento da URI.

Comentário

Prezado Lemes,

Muito boa sua observação a respeito do comportamento do Tarso. Eu pensava da mesma forma. Tarso me ajudou a definir meu voto para governador: YEDA. E em Brasília está na hora de desalojar os companheiros, que em oito anos se preocuparam em dar bolsas para todos, mas esqueceram de ajeitar a educação e a saúde pública.
Ariosvaldo Cunha Castro

Artigo do dia

Menos gente, mais
oportunidades

O censo 2010 está quase no fim e ainda não soubemos se a nossa Santiago terá mais de 50 mil moradores. Caso não tenha, o que é uma tendência nacional e até mundial (a de diminuição de filhos por casal), finda-se a vontade de alguns políticos de querer aumentar a arrecadação local por meio do FPM - Fundo de Participação dos Municípios. Perderemos com isso? Sim. Mas por outro lado, se ganha. Querem ver? O governo poderá gerir seus recursos pensando numa população mais enxuta, mais consciente, resultando numa cidade melhor administrada.

Hoje, poucas famílias têm mais que um, dois filhos, fazendo cair o número de pessoas por residência. Em 2000 era de 3,79, agora é de 3,34. Cada censo registra uma população mais velha, com menos crianças e, automaticamente, com menor população, abrindo-se mais oportunidades para quem quer trabalhar.


E assim será nas próximas décadas, menos jovens e cada vez mais gente de meia idade e idosos. Diante dessa realidade, e tendo em vista que o mercado está sempre querendo “engatar” os jovens pelo consumismo, estaremos prontos para essa nova freguesia?

Carreata do Chicão


Neste sábado, o candidato Chicão encerra a sua campanha em Santiago com uma grande carreata. A concentração será às 14h30 na avenida Alceu Carvalho. Após, ele e seus apoiadores pretendem percorrer todos os bairros.

Frase do dia

“A vida não é curta, não. É longa e os dias de ausência custam a passar, como noite de geada, que custa a amanhecer”.

Rui Gessinger, poeta e
colunista do Expresso.

Comentário

REALMENTE!CANSEI, DESTE PAPINHO E DE TODA ESSA MÁFIA PETISTA! REALMENTE VOTO NO SERRA, VOTO NO TIRIRICA, MULHER MELÃO, MAS CONTINUAR COM O PT NÃOOOOO!

LIBERDADE DE IMPRENSA JÁ! A VERDADE DEVE SER DITA DOA HÁ QUEM DOER!!!
SE A VEJA É SERRISTA, MENTIROSA, PORQUE DEMITIRAM A EURENICE DA CASA CIVIL????
(Riograndino)

Debate ao governo

Ouvindo o debate, percebi que Yeda perguntou a Tarso Genro se o ajuste fiscal que colocou o Rio Grande no caminho certo é importante, se o crescimento de 9% foi graças a esse ajuste etc.

Aí, Tarso lascou o que já era esperado. Disse que o crescimento no Estado se deve ao governo federal, o do governo dele;

Yeda rebateu; “O Tarso está dizendo que o Rio Grande não existe!”

Digo eu - Lógico que Tarso não admitiria nada que viesse dos outros, justo no momento em que a sua candidata, a Dilma, é líder nas pesquisas, apoiada pelo presidente Lula. Esse é o PT!

Eu iria votar pro Tarso, mas essa empáfia dele, não admitindo nenhum crescimento, ou pior, dizendo que foi só coisa do governo federal, me entristeceu.

Agora, estou indeciso. Não tenho em quem votar para o governo estadual, pior para o federal. Que coisa!

Deu na imprensa

"Não existe candidato que nao se diga democrático. Em época eleições, então, todos viram ardorosos defensores dos direitos civis. Contudo, a partir do momento em que algo interfere na campanha, e esse "algo" é a imprensa, políticos e, muitas vezes, a conivência da justiça, deixam de lado a democracia e trazem de volta resquícios de ditadura. Até que o bom senso retorne, claro."

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Circula pela net


No Expresso


O importante é
ser bela. Será?

Muitos brasileiros, infelizmente, votam pelo sorriso do candidato, pela beleza ou simpatia. O fenômeno Mauela, por exemplo. Será que ela é de fato tão competente ou seria a sua beleza que contagia o eleitor? Essa deputada federal porto-alegrense seria diferente de muitos outros, outras? Talvez. Mas vejam, esta foto mostra que ela abraça a velhinhas e crianças. Legal, isso não é feio, e todo mundo faz. Sim, mas um olhar mais crítico dirá que a Manu está olhando é pra lente da máquina, não para a pobre idosa, mera coadjuvante da sua bela imagem.

Leia no Expresso:


Quanto custa o seu
deputado federal?

Quando você perguntar para um deputado federal quanto ele ganha, na certa vai te dizer: “16 mil”, que é o salário dele. Pois bem, e o resto, ele não fala? Conforme um estudo de Zero Hora, o deputado Luiz Carlos Heinze, por exemplo, foi o que mais gastou. O são-borjense chegou a singela cifra de 911 mil desde 2007 até julho deste ano. Foi quase um milhão em: combustível (173 mil), viagens (352 mil), verba de gabinete (335 mil), consultoria (5mil) e divulgação (44 mil) etc.

Obs.: Entre outras coisas, a câmara federal paga gastos com viagens, alimentação, hospedagem, passagem, combustível e até segurança.

Missa adiada


Agora há pouco a polícia prendeu mais uns amigos do alheio, que teriam roubado joias e aparelhos eletrônicos na casa de um militar. O Jones, todo engomado, como vemos, ia pra missa e teve que voltar, só pra entrevistar um policial lá na delegacia.


Tinha que ser o Chaves!!!

O nosso querido major Chaves, que agora mora em Santa Maria ressurgiu lá na Brigada. Ele veio para o festival de hipismo, deste último final de semana. pelo jeito, a geada tava forte lá pelos pagos de Santa Maria. Reparem só a melena do taura: branquinhaaaa!!!!

DE NOVO!


Pecuária Gessinger foi
premiada em Bossoroca

Os proprietários da Pecuária Gessinger (Unistalda) festejam o fato de terem vendido quase todos os ovinos campeões na Expointer. Agora chegou a vez das Feiras Regionais e a primeira foi a Boexpa, de Bossoroca, onde conquistou os seguintes prêmios:

Raça Ideal
Borrego campeão, 2 dentes; reservado de Grande Campeão; melhor velo da raça.


Raça Ile de France
Grande campeã; campeã ovelha; campeã borrega; reservada grande campeã; reservado de grande campeão.


Santiago e Unistalda orgulhosos pelos seus excelentes produtos.

Apoio antigo



Ontem o seu Nery Machado foi um dos que levou solidariedade à campanha de Chicão. Nery é taura da pura cepa, gente que se fez do suor, do trabalho. Hoje, com mais de 80 anos, está recluso em casa e apenas foi ao diretório para desculpar-se por não ter atendido aos convites para manifestações públicas em favor do amigo e candidato.

Precisava ver o carinho de Roger Roos (um dos homens fortes de Chicão) para com ele. Admiro muito o seu Nery, a exemplo de toda a sua família.

Viva a Justiça!!!

Soube hoje que em Tocantins, terra de índios, havia uma liminar tentando proibir 84 veículos de imprensa de publicar algo contra o governador, que é candidato. O cara se envolveu num escândalo e não quer ser notícia. Bem feito que a Justiça cassou a tentativa de censura.

Caso semelhante houve em Jaguari, com o Expresso, em decisão favorável ao jornal. cabe recurso, mas acredito que triunfaremos, pois em nada extrapolamos a linha editorial.

Lá em São Chico, meu colega foi impedido de copiar um processo do caso Alcione Pires, isso que é público. Só entregam se for para um advogado. Pois bem...

Vou pelear de novo e conseguirei esse processo, pois é meu direito, é direito de todos saberem sobre ele pelas páginas do Expresso. Que é isso, gente? Onde estamos? Que país é este?

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Nova Esperança

Ivori Guasso Júnior no comando...


Acabo de vir lá de Nova Esperança, onde assisti à sessão legislativa. Pelo tamanho da cidade, até deu pra espantar o número de projetos e outras discussões em pauta. E que nível dos debates! No comando, o Ivori Guasso Júnior, um menino, se for comparar sua idade à dos demais vereadores. Ao seu lado, na assistência, o advogado Rodrigo Vontobel Rodrigues. Valeu, amigos. Muito obrigado pelo carinho de todos.

As Bancadas da Câmara

Ivori, vez por outra confabulava com seu assessor, Rodrigo Vontobel.

Bianchini x Bin Laden

Lendo o blogue do Bianchini, vi que ele estava impressionado com o alcance do seu espaço net. "Queria ter tempo e cultura suficientes para escrever ao mundo.
Neste domingo, meu blog registrou 12 acessos do Paquistão. Seria por causa do Bin Laden da Florida? Ou o do Taquerembó?", diz ele.


Olha, amigo blogueiro, sei que muitas pessoas leem nossos blogues fora daqui, mas muitos acessos registrados dizem respeito aos que digitam alguma coisa no google, aí, cai no blogue e tá feito o registro. E não te preocupes, com toda a certeza os registros vindos do Paquistão estavam ligados ao seu Bin Laden eh,eh,eh.

E cá pra nós, a julgar pelas tuas boas matérias e fotos, presume-se que tem andado um bocado pela nossa região e, graças ao Bin, pelo mundo também...

Fábrica de boatos

Na internet vale tudo mesmo. Agora até a Dilma é homossexual e não quis assumir. Ora, gente. Isso é tolice, pois sabe-se que nesta época sempre surge a turma do boato. E digamos que ela fosse, o que isso impediria na condução do Brasil?

Outro e-mail me dava conta de que a jornalista Marília Gabriela andou escrevendo artigo contra a Dilma, dizendo “Morro de medo da Dilma” e descascou cobras e lagartos.

O engraçado é que a pessoa que me mandou isso, ainda anotou acima do e-mail: “Não sei se foi ela mesma que escreveu”. Dos males, o menor, ao menos nos deu a benesse da dúvida.

Sabem que em termos de Internet, tudo deve ser bem pesquisado, com sites consagrados etc, e ficam a dar bola para estes e-mails que nos enchem a paciência a toda hora. Me poupem!

Deu na Veja

A IMPRENSA IDEAL
DOS PETISTAS

Desacorçoados com a revelação pela imprensa de evidências irrefutáveis de
corrupção no Palácio do Planalto, Lula e seu partido sacam do autoritarismo
e atiram na imprensa, que acusam de ser golpista e de inventar histórias.
Eles querem um jornalismo melhor? Não. Querem jornalismo nenhum.

Quentes de Jaguari

Pra quem não lembra, assim que estourou a polêmica questão das dívidas do ex-prefeito Ivo, Jaguari, o Expresso passou a noticiar tudo e a criticar severamente Luana Marcon, então secretária de Finanças.

Desacostumada a ser tratada assim pela imprensa, nos processou, exigindo, entre outras coisas, que não tocássemos mais no seu nome. No frigir dos ovos, acabou perdendo a causa e ainda vai arcar com as custas de 500 reais.

Noutro processo ela pediu assistência Judiciária grauita (alegando que estava desempregada), mas foi-lhe negada, uma vez que a própria Justiça descobriu que ela havia comprado um veículo Corola caríssimo (mais de 60 mil) e pago parte dele à vista (cerca de 30, 40 mil).

Não tenho nada contra a vida pessoal da Luana e perder ação faz parte do jogo da vida, o que não pode é não permitir que eu faça o meu trabalho, que é noticiar e criticar. São 50 funcionários e mais três filhos que vivem à custa do jornal que dirijo. Fora os 40 mil leitores a quem sirvo. Entendeu?

Obrigado aos meus amigos, os advogados Alexandre e Daniel - da Advocacia Tonetto e Martini - Santa Maria.

Obrigado ao meu irmão, o também advogado Rodrigo Vontobel, o qual não poupou esforços em minha defesa, trabalho este elogiado até pelo meu amigo Ruy Gessinger, que outrora atuou como juiz e desembargador, e que hoje atua como advogado.

Obs.: Luana ainda pode recorrer desta decisão da Justiça de Santiago.

Passa ou não passa?

Semana decisiva na política. A maior pergunta em Santiago e região: Chicão passa? Arrisco a dizer que fica nos 20 mil aqui, já que o número de votos válidos não sei se chega a 30. E aí temos mordedores em geral, os que fazem de 200, 500, 1000;

De cada 10 que eu converso, oito dizem votar no Chicão, mas ele esbarra na falta de eleitores diante da exigência de um número tão alto: de 45 a 50 mil. Vai ter que se virar fora, aí, vamos ver... (nessa hora, sobre eleição, é muito perigoso opinar, sob pena de se dizer bobagens)

Pra senador, dizem que passam a Ana Amélia e o Paim. Ficaria de fora o nosso Rigottinho, infelizmente. Mas como dizem os entendidos, Ana e Paim nunca disseram não, nunca foram governo...

Ouvindo a propaganda da Ana, notei que uma jovem dizia que ela poderia seguir nas empresas privadas, RBS e tal, mas não. Preferiu trabalhar pelo seu estado, pelo país...

Santa demagogia!!! E do salário e de outras benesses ela não conta? Nem do poder que terá e da quase aposentadoria enterna?

Me admiro! Uma jornalista deixar isto ir a ar? É o mesmo que dizer que eu poderia estar lá em Cruz Alta ainda atuando no Diário, mas que resolvi fundar e dirigir o Expresso por amor a todos vocês.

É claro que cada um decide o que fazer, o que não pode é ficar arranjando desculpas pra justificar a escolha. Não dessas desculpas da Ana Amélia.

sábado, 25 de setembro de 2010

Cavalgada

O Luiz, homem campeiro barbaridade...

Homem não tão campeiro...

O dia maravilhoso deste sábado me tirou de casa. Fui à propriedade do Luiz Gomes, meu vizinho aqui do Zampereti. A minha filha Fernanda e eu até aproveitamos para cavalgar.

Confiança é tudo...

Saindo pro campo...

Beleza e natureza: Fernanda (D) e sua amiga Thais

Depois, o bom chimarrão à beira do Lajeado (saída pra Capão do Cipó) me fez voltar aos tempos de criança. Belo passeio, coisas simples que nos dão força pra enfrentar outra semana de trabalho.


No Expresso no Ar, a direção da URI: professores Padilha, Micheli (foto) e Chico. Mudanças e boas notícias, veja tudo no Expresso de sexta.

Expresso no Ar

Hoje, sábado, Chico Gorski e os também professores Padilha e Michele Beltrão (URI) no Expresso no Ar. E muito, muito comentário político, um balanço da semana regional e algumas piadas sem fundamentos. Ligue-se, a partir das 10 horas na Central FM, 97.9.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Comentário

Meu caro amigo J Lemes, um elogio desses vindo de você é coisa para estufar o peito de qualquer vivente. Realmente eu ouvi essa "perla" do Rigotto no teu programa Expresso no Ar. O qual desde a estréia eu só perdi um.
Abraço amigo!!!


Vanderlei Machado

Desabafo


Me enganei feio. Disse que a minha prima, a gostosa, a perfumada, veio dia 21, mas não. Ela chegou dia 23. Meu próprio jornal me corrigiu essa. Credo! Que mancada com a primavera.

Gana por grana

Muitos vereadores ficam bem loucos em tempo de eleição e são os primeiros a pegaram uma grana preta para "fazer a campanha" do fulano e beltrano. Boa parte desse troco não iria parar no bolso deles?

Lá em São Chico, todos se dizem compromissados com este ou aquele, menos com gente de nossa verdadeira terra. Por que será?

Gostei do que o Rodrigo disse para um "teuzinho" que queria verba de um candidato para colher votos para ele. "Ué, mas pensei que tu fosse partidário", disse o Rodrigo.

Por isso tudo que eu digo: haja dinheiro... Aí, durante os governos, surgem os caixas-2, os golpes em detrans, em banrisuis (tá certo assim?) e o escambau...

Profissão:
candidato sempre

E nunca vi candidato se eleger da noite pro dia sem antes ter passado por um alto posto público. Uns entram como secretário e passam quatro anos fazendo favores aqui e ali, depois, cobram isso.

Dizem: eu apoiei isso, eu fiz aquele outro. Na verdade, fazer mesmo, muito pouco quase nada, mas, infelizmente, são essas nulidades que acabam triunfando.
É como diz Claudiovaldo Nogueira, o chefe dos flanelinhas: nada é pra agora, tudo é pra depois; é plantar pra colher...


Lembram dele?

No Expresso, anunciou, vendeu. Graças a Deus que é assim. Até eu desfruei do sucesso do nosso jornal. Vendi meu cusco por 250 pilas.

Não lido nessa área, mas ele veio ao mundo e suas vacinas e rações, banhos etc (mais os cuidados com sua mãe e seus manos) me custaram uma pequena fortuna. Então, torrei nos pilas. Graças ao Expresso.

É batata. Os caras vêm a foto e se apaixonam. Adeus, bichinho, snif, snif... Agora, vou tomar umas geladas, graças a ti. Espero que esteja bem, e está, ninguém coloca 250 paus num cão para maltratá-lo.

"Cosa horrívio"


Vanderlei Machado, blogueiro e viajante (e meu amigo também), publicou uma de suas melhores postagens no seu blogue: Amanhã, se eu me lembrar, vou falar nesta estrada na "rádia" do Eldrio.

"Hoje, percorrendo o trecho entre Santiago e São Chico, me veio à memória uma entrevista do ex-governador Rigotto, lamentando não ter podido inaugurar a RS 377, deixando assim para a governadora "apenas colocar a cereja no bolo". Pois bem, meus caros políticos, foi-se o bolo com cereja e tudo e só ficaram as panelas.

A estrada está um perigo, ainda mais com neblina, a buraqueira tomou conta.
Aconselho mandarem seus cabos eleitorais pedirem votos em outra freguesia e evitarem viajar pela RS 377. Chega de palhaçada! Fizeram serviço porco. Mais cedo ou tarde vão responder pelas falcatruas. Espero que seja nas urnas."
EM TEMPO - A dia entrevista foi no Expresso no Ar. Lembrou bem, amigo Machado.

FRASE PREMIADA NUMA ESCOLA DE ARACAJU. ESSA É, SEM DÚVIDA,
A MELHOR DO ANO:

"O HORÁRIO POLÍTICO É O ÚNICO MOMENTO EM QUE OS LADRÕES FICAM EM CADE- EIA (NACIONAL)".

(enviada por um leitor do blogue)

Ficha limpa???

Em uma sessão que se estendeu por quase 11 horas, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou na quinta-feira os rumos e a aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa — que torna inelegíveis candidatos condenados por colegiados —, mas não chegou a um veredicto. O placar de cinco votos a cinco deixou em suspenso a decisão: com o empate, os magistrados resolveram suspender a sessão, mesmo sem chegar a um resultado definitivo.

Deu na imprensa

SUS(to): pesquisa revela:

Uma pesquisa encomendada pela Associação Paulista de Medicina revela um dado assustador: 97% dos médicos entrevistados afirmam que os Planos de Saúde interferem na sua autonomia. Isso quer dizer que, além de não podermos contar com o Sistema Único de Saúde, que é uma piada, também podemos estar sendo ludibriados por quem pagamos mensalmente para ter um pouco de segurança.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Artigo do dia

São 50 anos de
incompetência

São tantas promessas nesta campanha que até chegamos a pensar que nós, eleitores, viramos santos. E como disse o bageense Luís Albano: “Há 50 anos escuto que vão melhorar a saúde, a educação e a segurança. Portanto, são 50 anos de incompetência municipal, estadual e federal”.

Discursos ocos

Bonito fez o jornalista Cauê Fonse (ZH). Questionou um candidato que prometia expansão de energia eólica e a sustentabilidade da água potável. Na real, nem projeto ele tinha, sendo mais um dos tantos discursos ocos dessa campanha.

Um bom exemplo

E só pra dar exemplos de assuntos aos candidatos, Cauê Fonse sugeriu maior estudo em tecnologia para que as mulheres (de todas as classes) não tenham tanta dor na hora de fazer o exame de mama. Muitas dizem que preferem a dor da doença à dor do exame.
E aí, senhores políticos, vamos encarar essa?

Obrigado!


Já ia me esquecendo de agradecer ao professor Rodrigo (URI) que desfilou no Sete de Setembro ao lado do meu boneco, criado para fazer parte do projeto "Santiago do Boqueirão, seus poetas quem são".

E antes que me critiquem (e com razão), vou logo dizendo que sou apenas um jornalista que um dia escreveu um livro, e contando a sua história.

Por outro lado, é um orgulho ser reconhecido por esse projeto tão nobre, no qual pessoas tão dedicadas atuam. Obrigado a todos pelo carinho e consideração comigo, e com meu boneco, lógico. Ao meu lado (de mão com o professor Zé Lir) me honra a companhia o mestre Froilam Oliveira, este sim, é poeta.
Abração para ele.

Artigo do dia

Essa reforma ortográfica lançada recentemente foi elaborada em 1975, portanto, já é pra lá de antiga. A própria equipe de especialistas que a elaborou, publicou vírgula antes de etc, o que foi mais um erro. Nem bem ela entrou em vigor, já há um movimento para derrubá-la, pois nem o Brasil, nem Portugal querem aceitá-la. O “pretexto do texto” dessa lei é uniformizar o idioma português, seja do Brasil, seja o de Portugal. Ora, jamais conseguiremos falar igual a eles e vice-versa. Até porque cada região cria suas palavras o tempo todo, por isso, dizemos que o dicionário é refeito pelo povo e para o povo, e a todo instante.

Como exemplo, citamos palavras que são ditas aqui e lá de formas distintas. Aqui, muitas palavras têm duas grafias e duas pronúncias. Em Portugal têm só uma grafia, geralmente com a letra muda, a qual some na pronúncia. Os dicionários de lá registram “expectativa”, mas na pronúncia, o “c” desaparece. Aí, todos dizem “expetativa”. Lá também se escreve “direcção” e se diz “direção”. Aqui se escreve “contato” e se pronuncia a mesma coisa; lá, se escreve “contacto”, e se diz “contato”. Fora os termos que, pra nós, são chulos e que lá não são: “puto” (menino), “rapariga” (moça), “bicha” (fila).

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Quentes

Ao lançarmos nomes à aprovação, sempre há riscos de não passarmos. Assim, e caso algum queridinho nosso não passe, quero ver a caça às bruxas depois. Gostei desse raciocínio de um amigo que me falou isso inda há pouco;

Já outro amigo disse-me que tem deputado, ou ex-deputado, torcendo contra outros (futuros) deputados. Só pra ficarem de galos históricos. Dizem que vão apoiar, mas por baixo do poncho apoiam outros parceiros. E como tudo aqui é público, "vê se fale" isso pra alguém.

Deu na imprensa

Nesta quarta, 22, o Superior Tribunal Federal está julgando recurso do ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, sobre a possibilidade, ou não, da LEi da Ficha Limpa valer já para essas eleições. Está em jogo um grande passo na direção da moralização da política ou apenas a continuação do descrédito das Instituições no Brasil.

Tá loco!


Vejam o que disse este leitor do Expresso:


Manoel Viana:
Chinelada nos vereadores

Luiz Carlos Franco Alflen*
Como cidadão vianense e contribuinte com os impostos que pagam os salários dos representantes do povo, escrevo ao Expresso, para expor a minha indignação com pessoas que ocupam cargos públicos apenas para se beneficiarem politicamente. A nossa Câmara deixa a desejar e, às vezes, me envergonha pelas atitudes de alguns. Tenho acompanhado pela imprensa que houve até casos em que os mesmos se agrediram fisica e pessoalmente. Fazer cobranças de dívidas particulares em plena sessão, brigar por diárias, veículos e cargos políticos cansa o eleitor. Daqui há dois anos voltarão a pedir votos, fazendo promessas que não cumprirão.

Sessão policiada

Além disso, aconteceu um fato inédito uma “sessão policiada”. Imaginem se todas as Câmaras aderirem esta ideia! Faltará segurança para a comunidade. Sugiro que esses políticos copiem exemplos de municípios onde os mesmos vão nos bairros e vilas e junto dos líderes comunitários constatam o que está faltando e informam à prefeitura. Basta de controvérsias! Trabalhem pela comunidade e deixem as siglas partidárias de lado. Façam uma terapia política e usem com rigor o código de postura dos legisladores municipais.
*Policial aposentado.

Almoço com Osmar Terra


Várias lideranças almoçaram hoje com Osmar Terra, candidato a deputado federal pelo PMDB. Estavam lá Rúderson Mesquita, Rodrigo Vontobel, Renato Cadó, Marcos Lemos, Fernando Serafini... O ex-vereador Accácio Oliveira também o apoia, mas não pode conparecer à reunião.

Osmar Terra atuou como secretário de saúde do Estado e deixou sua marca; reestruturou vários hospitais, lançou o PIM - Primeira Infância Melhor e soube enfrentar a epidemia de gripe A, entre tantos outros serviços.

Muitos podem dizer, "fez porque era sua obrigação". Concordo, mas será que outro no seu lugar teria feito tanto? Desculpem a franqueza, mas isso é o que eu penso desse médico santa-rosense.

Deu na imprensa

As eleições estão chegando e, como sempre, surgem candidatos que deviam receber algum prêmio por tosquice. E, em tempos de desilusão, muitos eleitores acabam iludidos que, ao votar nesses candidatos "estranhos", estão fazendo um ato de rebeldia. Mas não é assim que funciona.

Artigo do dia

O tal João Osório e o
Tribunal de Contas

João Osório não quis deixar a vaga que ocupa no Tribunal de Contas e permitir que Giovani Cherini (PDT) também desfrutasse do “repouso eterno de alguns políticos”. O ex-deputado do PMDB disse que ficará até a sua aposentadoria: 2011.

Ora se ele vai largar o que é bom! Conforme a imprensa, está na hora de mudar a forma de escolha dos membros deste poder, a começar eliminando o voto do futuro governador. O tempo não é mais desculpa.

Falando em João Osório, eu mesmo vi ele chorando num discurso para uns proximozinhos de um bairro, aqui em Santiago, ladeado por Sandro Palma. Com o choro, conseguiu mais de mil votos aqui. E que fez pela cidade?

A última que eu soube do João é que tinha uma mansão na praia. Não faltou quem dissesse: se na praia, lugar que se vai poucas vezes, ele tem esta barbaridade, imagina como serão as outras, nas quais ele fica mais tempo...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

É primavera...


Não sei se alguém se deu por conta, mas hoje iniciou a primavera. Embora o tempo esteja chuvoso, a estação mais bonita do ano chegou. Para lembrá-la, usei esta belíssima foto, na qual está a minha colega Sandra Siqueira, num passeio em Gramado.

Heloísa Flores


No último sábado conversei muito com a Heloísa Flores (e desculpem minha opinião), a eterna musa do Chicão. Ela estava muito bem, festejando com as filhas e a netinha, a qual é a cara do meu grande amigo Dionatan Farias, pai da linda pequena.

Heloísa hoje mora em Portugal, onde dedica-se a uma Ong. Falamos sobre costumes brasileiros e portugueses, sobre filmes e fotografia, arte que ela também estuda. Foi muito bom revê-la e saber que está bem, embora a gente saiba que a saudade te castiga um pouquinho, não é mesmo?

Comentário

Acho que o teu chapéu foi emprestado de alguém, heim, compadre? Tá um pouco grande, mas tá bom, o que fazer, né? (Itacir Flores)

Obs. O Pior é que ele tem toda a razão. Tá grande mesmo.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Os farroupilhas

SANTIAGO

Muita, muita gente na avenida em Santiago pra ver o desfile de 20 de Setembro. Como o nosso gauchismo tem força! E é sempre mais divertido que o de Sete de Setembro, quando os pais vão de fato é para ver os aluninhos (seus filhos mesmo). Essas fotos (sempre de bom gosto) são do Márcio Brasil. Ele ficou aqui enquanto os demais e eu fomos para outras cidades.


O palanque oficial. Como notamos, o Marcolino, mesmo sem pilchas, continua nele. Saudações a todos e um abração para o grande Cássio Peixoto. O gaudério que tá metendo bala na foto (único de chapéu) não é o Miguel Marques, viu?


Avenida lotada.

O prefeito Ruivo, sempre elegante, ao lado da bela Gizele. O Toninho também está ótimo, assim como o outro Antônio ao seu lado, o nosso comandante, major Antônio Ney.


Viva o gaúcho!

Gauchada na avenida em Capão do Cipó

CAPÃO DO CIPÓ

Não fiquei em casa neste dia 20, Não mesmo! Chega de folga. Peguei minha câmera e me toquei pro Cipó, digo, pra Capão do Cipó. Que alegria em rever velhos amigos e apreciar o desfile magnífico.

Escolas, piquetes, gauchadas, todos entreveirados pelo mesmo sentimento: o amor pelo Rio Grande.

O Expresso trará a cobertura completa, mas antes disso, vamos dando alguns flashes do que eu vi. me acompanhou na viagem o amigo e colega Gilberto Aguirre, o Careca, feliz que foi me contando que as assinaturas do jornal em Capão do Cipo só têm aumentado.

Em Santiago a cobertura ficou por conta do PC e do Márcio. E já me disseram que tudo estava muito bonito. Claro, tive que morder a língua, pois cheguei a sugerir que mudassem (antecipando) o dia do desfile devido aos 40mm de chuva que viriam hoje. Por enquanto, nada...

Desfile - Capão do Cipó

Meu amigo Careca observa sorridente o gaudério com sua cadelinha mimosa. Lindos! Quer dizer, linda...

Povo que assiste e fotografa. Data importante para eles.



Nosso prefeito Froner e os vereadores, entre outras autoridades. Esse homem fala pouco, né? Poderia ter aproveitado e feito um discurso mais empolgante, mas cada um tem seu estilo. Vamos respeitar o dele. Professor Aires, a cultura e a dedicação de um homem sendo lembradas na avenida.


Nunca a avenida Tancredo Neves ficou tão colorida.



Prendas e peões: viva o gauchismo.



As belas prendas cipoenses. Belos cavalos também. Montaria perfeita!

domingo, 19 de setembro de 2010

Gaúcho e Colono

No sábado, pela Central FM, relembrei meus 12 anos, quando pela primeira vez pisei num palco. Era um 20 de setembro e fui convidado a declamar uma poesia, isso graças aos meus dotes de decoreba e de metido a conversador.

Arrumei bota e bombacha emprestadas e me toquei pra festa da escola. Minha alegria: não errei um verso sequer e até fui aplaudido. Minha tristeza: ninguém da minha família foi me ver.

Guardei a poesia até hoje (na cabeça) e apenas não sabia o nome do autor. O problema é que só após tê-la declamada na rádio, é que lembrei de procurar no Google pelo nome dele. E aí, pra minha alegria, estava lá: Jayme Caetano Braun.
Me penitencio agora e publico a poesia na íntegra (no programa pulei uns versos) e seu autor.
Obs.: o azar de vocês é que o patrão Éldrio ligou pra rádio elogiando a minha "payada", motivo pelo qual, seguirei declamando alguma no Expresso no Ar (mas só de vez em quando).


GAÚCHO E COLONO
Jayme Caetano Braun

Mais de cem anos já faz
Que num arranco pujante
Chegou da Europa distante
Um vulto cheio de entono.
Que vinha também ser dono
Da nossa querência eterna
E o guasca boleava a perna
Pra receber o colono.

Desde então entreverados
Dentro dos mesmos cenários
Os dois vultos legendários
Do pago continentino
Entoaram o mesmo hino
De fulgente trajetória
E se embretaram na história
Traçando o mesmo destino!

E ao longo dos territórios
Que o gaúcho conquistava
Vinha o colono e plantava
Seus roçados e tapumes.
Copiou do guasca, os costumes,
As lendas e as diversões
E até mesmo as tradições,
Guardadas cheias de ciúmes!

E ao redor das sesmarias
Dos vales e dos penedos,
Foram surgindo os vinhedos
No maior desembaraço,
E a enxada, o machado de aço
Entravam na sintonia
Na mesma escala bravia
Da boleadeira e do laço.

Foi o toque generoso
Desse sangue de além-mar
Que veio fortificar
A raça, que então nascia.
Dando a têmpera bravia
Padrão de força e virtude
Dessa fusão semirude
Que despertou nossa cria!

Santo e bendito milagre
Caldeado ao frio do Minuano,
Filho do guasca pampeano,
Filho da Itália e Alemanha,
Entremeados na Campanha.
Tão gaúcho, um como o outro,
Tamanco e bota-de-potro
Na valsa e na meia-canha.

Vejo um, riscando a fogo
Nossas fronteiras de guerra,
Outro falquejando a terra
Na cadência dos arados
E por fim, entrelaçados,
O cabo da enxada e a lança
Glorificando a pujança
Dos nossos antepassados!

Qual dos dois é mais gaúcho
Qual dos dois é mais Rio Grande?
Se o peito de ambos se expande
No mesmo sagrado anseio?
Já não é mais o que veio
Já não é mais o que havia,
Rio Grande, hoje, é a sintonia
Da lavoura e do rodeio.

Pois, se o guasca evoluiu.
Para chegar ao atual,
A velha fibra imortal
Pelas épocas perpassa.
E o Rio Grande se entrelaça
Nesses dois tentos torcidos
Que vieram, depois de unidos,
Formar o sovéu da raça.

Eu te bendigo colono
Desbravador primitivo,
Não como filho adotivo
Deste chão, santo e eterno,
Mas como anseio fraterno
Do velho pago bagual
Que em troca de amor filial
Te deu o amor paterno!

Por isso, como patrício
Riograndense, antes de tudo
Querido irmão, te saúdo
Corcoveando de emoção,
Pedaço do meu rincão
Que estreito um abraço forte,
Porque és também um suporte
Da gaúcha tradição.



sábado, 18 de setembro de 2010

Baile do chapéu

Gente, como ninguém me viu por aí, seja nalgum CTG ou num clube, arrastando o pé, saibam agora onde eu estava. Como sou cola-fina e não me misturo com os gaudérios nos CTGs (e quando vou ainda me correm) na sexta-feira foi o dia de tirar o atraso noutro lugar.
Me reuni com meus amigos no lugar de sempre e dê-lhe arroz-de-carreteiro e música. Claro, vez por outra, uma dancinha pra agradar a pessoa amada. Hoje, sábado, nos vamos de "novamente". Amanhã é dia de churrasco e segunda, trabalho, muito trabalho...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Deu na imprensa

Candidatos não cumprem
regras da propaganda móvel

Um dos transtornos gerados nas cidades pela campanha eleitoral são as propagandas móveis, geralmente fixadas em cavaletes. Regras foram criadas para que o uso deste recurso não prejudicasse o dia-a-dia da população, mas as restrições sobre seu uso são desrespeitadas em boa parte dos casos.

Isso significa que, antes mesmo de serem deputados – cuja função é criar leis e fiscalizá-las –, os candidatos estão infringindo o estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

O desrespeito é generalizado por parte de candidatos e partidos. O TRE e os fiscais de trânsito acionam o serviço de limpeza da Capital, que recolhe a propaganda irregular. De acordo com o TRE, das 22h às 6h (horário da proibição), o DMLU tem autonomia para a tarefa.

A juíza da 159ª Zona Eleitoral, Vera Lúcia Fritsch Feijó, afirma que diariamente são recolhidas propagandas que enchem de dois a três caminhões do DMLU. O destino é a reciclagem: “O volume se intensifica à medida que nos aproximamos das eleições”.

A responsabilidade pelo respeito à lei é de cada candidato, independentemente de ele ter contratado ou não uma empresa para colocar e retirar as propagandas às 6h e às 22h. Não estão sendo aplicadas multas, diz a juíza:

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Neto de João Goulart
em visita ao Expresso

O trabalhista Christopher Goulart centraliza sua campanha para deputado estadual em Santiago e região, defendendo o legado político de seu avô, o ex-presidente João Goulart. Cristopher mora em São Borja, onde sua campanha está muito forte. Em Santiago, ele conta com o apoio da juventude do PDT, encabeçado por Fábio Monteiro e Rodrigo Machado.


Gente nova no pedaço,
mas bem à moda velha

Os nervos andam meio inquietos ultimamente na briga pela colheita de votos. Há gente se estranhado até dentro dos próprios partidos. Mas o correto é cada um cuidar do seu milharal, à sua maneira, sem meter o bico no lado do outro que também busca a mesma coisa. E aqui, um reconhecimento ao pessoal do PDT.
Os jovens Fábio Monteiro e seu candidato, o Christopher Goulart “Janguinho”, aqui pra nós. Eles fazem campanha bem na deles e vão conquistando a “freguesia” com simpatia e propostas. É isso aí!!! Um exemplo.

Pintura

Esta é uma das mais belas imagens da nossa região; o rio Ibicuí, em Manoel Viana, e tenho orgulho por tê-la registrado. Uma verdadeira pintura da mãe-natureza. Apreciem sem moderação. Por favor!

O Ibicuí precisa
ser preservado

O Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do rio Ibicuí foi criado para observar o uso correto da água e para comemorar os 10 anos, a entidade apresenta nesta sexta o projeto de estudos sobre a bacia hidrográfica, verificando condições dos nossos cursos d'água e das áreas de preservação. O lançamento será às 9h30min, no Sindicato Rural de Santiago.

Visita


Conversa na redação

O Expresso é sempre motivo de pesquisas para os estudantes. Na última sexta, quatro acadêmicas de Ciências Contábeis da URI vieram saber como o jornal é feito, desde a redação, diagramação, impressão e distribuição. Milene Pinheiro, Emeline Bertazzo, Alice Bahu Gripa e Ciméia Machado conversaram comigo e com o colega Márcio Brasil. Muito obrigado a todas vocês. Voltem quando quiserem, pois o Expresso é nosso.

Quero um dono!

Sou filho de Maltês. Tenho apenas alguns meses de vida, mas já faço travessuras. E se você quiser me levar pra sua casa, estou à sua espera. Ah, e já sou vacinado. Meu valor: 250 reais. Ligue 3251-0162 e marque a hora pra me ver. Venha logo.

Artigo do dia


Ser gaúcho
nos basta

Não dá pra esconder. Nós, gaúchos, sempre nos achamos melhores em tudo e nunca perdemos nosso orgulho. Essa Revolução Farroupilha mesmo, a qual ninguém ganhou. Só se viu foi rios de sangue, mas nós demos um jeito de festejá-la. Nenhum outro estado deu tantos presidentes ao Brasil. Nós também temos o melhor futebol, os melhores escritores, atores, a melhor carne, e o prato mais apreciado mundialmente também é nosso, o churrasco. Nossa música, claro, é a melhor, embora nós a cantemos pra nós mesmos, mas que é, é...

Nosso estado é o mais politizado. Aqui há menos analfabetos e a qualidade de vida é das melhores, sem falar nos vinhos, na produção agrícola, com soja e trigo para dar e vender...
Mas é bom dizer que ainda temos muito a melhorar. A começar pelas letras das nossas canções. Alguns escrevem e cantam que arrastar espora é maravilhoso, mas é uma tremenda falta de educação. Espora se usa no campo. Ao elogiarmos e divulgarmos nossa própria música cometemos uma das piores cacofonias “música gaúcha” só que ninguém nota, afinal, somos gaúchos! Isso nos absolve de qualquer ridicularização, ou seja, o fato de sermos gaúchos nos basta!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

No Expresso de sexta

Esta eu tinha que dividir com vocês. Um cuera lá pros lados de São Vicente se empolgou na ronda da chama crioula e resolveu apelar, mostrar para o Brasil que não é só em São Paulo e Rio que se dança na boca da garrafa, gaúcho também dança, e gosto, gosta, gosta...

Olá, "grioulos"


A gente passa escrevendo, acertando e errando, mas convenhamos, uma placa, é uma placa. Vai ficar ali por uma semana, com duas, três palavras e uma ainda está errada?

Vejam, que pérola! Talvez seja por isso que só ficaram os gringos, alemães lá no dito galpão da prefeitura. Se eu fosse o prefeito mandaria o cuera que escrevinhou isso aí ficar de castigo por uns dois dias no quarto de banho.

E dê-lhe baile

O tempo melhorou, o sol está maravilhoso, favorecendo muito para quem gosta de festejar a Semana Farroupilha. E dê-lhe baile, fandangos, como este aí no Coxilha de Ronda. O Márcio e eu fomos lá ver de perto a bailanta. Olha, meu povo, se alguém jogasse um pau de fósforo não se veria ele chegar ao chão. Também, com Os Monarcas...

Já na entrada do baile quiseram nos deter. Eu estava de tênis. Uns mandavam entrar dizendo "é o Expresso, é o Expresso." Outros, alguns mais metidos a conservadores, diziam "de Tênis, não", "de tênis, não". Aí me calcei e disse; "vamos voltar, parceiro. Já vi que conseguimos mais um furo de reportagem". Nisso outro insistiu pela nossa presença, e deu no que deu... Acabamos entrando de fato.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Comentário

Amigo João: certa vez o presidente Figueiredo justificou uma queda com a seguinte frase: "Só cai quem monta". E tu, andando a pé??? Só pode ser a idade!!!
Bricadeira, amigo, boa recuperação.
Abraço. Vanderlei Machado.

Rosane é cultura


Registro e-mail da querida amiga, a professora Rosane Vontobel, hoje pró reitora de Ensino da URI, Erechim. Mesmo distante, mantém contato com nossa aldeia. E já mandamos o jornal para ela, um montão (todas as edições atrasadas) via malote da URI.

(Lembro à professora, que só recebemos uma das fotos, das quais ela menciona)

Estimado João:

Ainda estou sem poder ver o nosso jornal. Você não tem
ideia da falta que nos faz a cada sexta-feira. O Ery até agora foi o que mais reclamou. Amamos vocês e amamos seu imprescindível trabalho social e cultural no Expresso.

E para que todos vejam que estamos sendo embaixadores culturais de Santiago, aqui em Erechim, nesta primeira foto estamos entregando os livros do Ataliba e do Nenito para o Manoelito Carlos Savaris, presidente do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, um dos mais respeitados folcloristas gaúchos. Junto está um dos ícones do tradicionalismo de Erechim, Aldo de Assis Ribeiro, os quais manifestaram grande carinho por todos os tradicionalistas de Santiago.

Na segunda foto estamos entregando os livros a Zulma Trindade Grando, presidente da 19ª região tradicionalista do RS. Por fim, na outra foto, estamos com o filho do Paulo Menges e sua nora.

Um carinhoso abraço
Rosane.

Quedas

Soube agora que o rapaz desta foto aí abaixo, caiu do cavalo lá na Pecuária Gessinger. Espero que esteja tudo bem com o nosso amigo Luiz César, capataz do querido amigo Ruy Gessinger. Até falei pra ele, hoje não é nosso dia; um caiu do cavalo, outro caiu na calçada, sozinho, que fui eu.

Falando em quedas, caiu o número de ocorrências em Cipó a nível zero. Isso porque a polícia agiu bem. Só falta agora alguém dar uns tiros à toa por lá só pra dizer que não está tudo bem, tentando dizer que o horror tocado lá não era obra somente dos que estão presos.

Utilidade social



Por dentro da Pecuária Gessiger
As atividades campeiras também fazem parte do ensinamento


A direção da Pecuária Gessinger sabe que ganhar um prêmio na Expointer faz aumentar a responsabilidade social da empresa e por isso soma-se às universidades para ajudar na busca do conhecimento.

Ao receber um ofício da URI, ressaltando a premiação na maior feira da América (Expointer), o pecuarista Ruy Gessinger aproveitou para abrir as porteiras da sua cabanha para o aprendizado.

Cada universidade poderá agendar passeios-aulas na fazenda, com almoço e refrigerantes por conta da casa. Cada grupo de aluno terá, enfim, uma boa aula de atividade rural, típica da nossa região.
Lembrando que os passeios podem ser feitos por qualquer turma, de qualquer escola, independentemente da idade ou grau de ensino. Mas os agendamentos devem ser todos feitos por e-mail:

ruy@gessinger.com.br

Tô mal, ai, ai...

Finalmente o sol dá as caras, ainda meio sem graça. Estamos por aqui, peleando com as letras. Logo mais, iniciam os fandangos e dê-lhe gaita e bóia, trago e festança. Vai começar também a poluição nas ruas com os cocôs dos cavalos...

Falando em cocô, bem diz o ditado que o pobre quanto tá de azar, até no "cagar" se descadeira. Pois eu saí do consultório (clínica) da fisioterapeuta Gládis Ferraz e me ferrei, digo, caí na calçada. Dei de lombo no chão ao pisar numa calçada lisa. Que coisa!

Fica meu alerta que essas drogas de calçadas devem ter um padrão, e não do tipo: "qualquer pedra serve". Neste tempo de garoa galopeada, como hoje pela manhã, andar vira um risco ainda maior. Ai, ai, ai...

Atenção, eleitores

Eleitores que ainda não pediram a segunda via do título devem ficar atentos: o prazo encerra na quinta-feira da próxima semana, dia 23 de setembro. Segundo dados do TER-RS, a procura pela segunda via do título eleitoral tem aumentado nos Cartórios e Centrais de Atendimento ao Eleitor. Na última semana foram realizadas 18.487 reimpressões em todo o Estado.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Açude da antiga Rede Ferroviária (fotos: Márcio Brasil)



Milonga abaixo de mau tempo

(Mauro Moraes)

Coisa esquisita a gadaria toda
Penando a dor do mango com o focinho n'água
O campo alagado nos obriga à reza
No ofício de quem leva pra enlutar as mágoas

Olhar triste do gado atravessando o rio
A baba dos cansados afogando a volta
A manha de quem berra no capão do mato
E o brabo de quem cerca repontando a tropa

Agarra amigo o laço enquanto o boi tá vivo
A enchente anda danada molestando o pasto
A passo que descampa a pampa dos mil réis

E a bóia que se come retrucando o tempo
Aparta no rodeio a solidão local
Pealando mal e mal o que a razão quiser

Amada me deu saudade
Me fala que a égua tá prenha que o porco tá gordo
Que o baio anda solto que toda cuscada lá em casa comeu

Coisa mais sem sorte esta peste medonha
Curando os mais bichados deu febre no gado
Não fosse a chuvarada se metendo a besta
Traria mil cabeças com a bênção do pago

Dei falta da santinha limpando os pesuelos
E do terço de tento nas prece sinuelas
Logo em seguidinha é semana santa
Vou cego pra barranca e só depois vou vê-la